28 de fevereiro de 2010

UTOPIA COM PÉ NO CHÃO

Possível candidata à Presidência em 2010, a evangélica Marina Silva movimenta a sucessão com bandeiras como ética, sustentabilidade e respeito à diversidade. Quem espera encontrar em Marina Silva ingenuidade política e meras palavras de ordem de uma militante ambientalista vai se surpreender. Sua principal bandeira, a do desenvolvimento sustentável, já se mostra capaz de articular-se com amplos setores da sociedade, mudando os rumos do debate em torno da sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A senadora pelo Acre, que se filiou ao PV em agosto, desponta como candidata a presidente e promete não fazer apenas figuração nas eleições do ano que vem. “Quero preservar as utopias”, disse Marina, de 51 anos, ao filiar-se ao novo partido. Antenada com os esforços mundiais para frear o aquecimento global, ela afirma que estamos em uma “esquina civilizatória”, na qual todo o planeta precisará repensar seu modo de crescimento e consumo. Casada, mãe de quatro filhos, Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima tem o dom de surpreender. Quem poderia dizer que a cabocla acreana, filha de seringueiro, que só aprendeu a ler aos 16 anos, pudesse se tornar a senadora mais jovem da história, eleita pela primeira vez aos 36 anos, em 1994? Formada em história pela Universidade Federal do Acre, ela não parou de estudar, tendo feito vários cursos. Atualment e, com uma agenda superlotada, ainda encontra tempo para uma pós-graduação em psicopedagogia. Herdeira política do líder seringueiro Chico Mendes (1944-1988), Marina foi ministra do Meio Ambiente entre 2003 e 2008, quando, após esgotar os esforços para fazer da política ambiental uma prioridade no governo Lula, preferiu voltar ao Senado. Sua saída teve grande repercussão na imprensa internacional. O impacto provocado por sua desfiliação do PT também não foi pequeno. Mas pareceu o caminho natural de Marina, que une sua voz frágil à firmeza de suas convicções. Em 2007, foi escolhida pelo jornal britânico The Guardian como uma das 50 pessoas em condições de ajudar a salvar o planeta. Sua lista de premiações é longa. Dentre muitos outros, ela recebeu o prêmio 2007 Champions of the Earth, o maior das Nações Unidas na área ambiental. A aparente fragilidade física – ela foi vítima de muitas malárias e de hepatites, além de ter sofrido com a contami nação por metais pesados – desafia o fôlego de quem queira acompanhar seu ritmo de trabalho, que entra pela madrugada. Formada políticamente pelas Comunidades Eclesiais de Base, Marina não renega o que aprendeu, mas confessa com clareza sua fé evangélica. Desde 1997, congrega na igreja Assembleia de Deus, em Brasília. Ela procura preservar sua vida devocional da curiosidade alheia, evitando também o uso político de sua fé. Nesta entrevista, concedida com exclusividade a CRISTIANISMO HOJE, a senadora, em raro momento, se permitiu falar de sua conversão e de sua vida cristã. CRISTIANISMO HOJE – Como foi sua conversão à fé evangélica? MARINA SILVA – A gente sempre tem a chance de se tornar cada vez mais dependente de Deus pelo amor que ele tem para conosco. Mas a maioria de nós busca esse amparo e segurança no momento de dor. E comigo não foi diferente. Eu me converti em 1997, numa situação de problema de saúde muito grave. Meu médico, o doutor Eduardo Gomes, após uma batalha comigo por muito tempo, me mandou para o Massachussetts General Hospital, nos Estados Unidos. Fiquei lá quase um mês, fiz uma série de exames, e o diagnóstico confirmou a contaminação por metais pesados. Não era mercúrio, era antimônio, que gerava problemas semelhantes. Só que o medicamento que poderia ajudar a combater a contaminação por antimônio não estava liberado ainda pela FDA [Food and Drug Administration, órgão do governo america no que regulamenta o setor farmacêutico]. E eles não aplicariam o remédio nem com minha autorização, devido ao risco de desencadear um choque anafilático ou uma hepatite medicamentosa grave – e eu já tinha tido três hepatites e cinco malárias. Na época, meus rins eram muito sobrecarregados e eles disseram que o remédio poderia também levar a uma sobrecarga e fazer uma paralisação renal. Então esqueci esse remédio. Voltei ao Brasil muito triste. Fui à nova consulta, muito mais para chorar minhas pitangas, e meu médico até brincou, dizendo “senadora, a senhora não precisa de médico, precisa de um milagre”. Fui então apresentada a um grupo de oração. E me converti, me batizei e passei a ter uma relação de muita proximidade com a Palavra, de muito recolhimento e muita oração. Foram experiências muito profundas. E como ficou a saúde? Depois de dois anos – e toda quinta-feira eu ia para o círculo de oração –, em um momento de oração pelos enfermos, eu estava na fila e me vieram à lembrança as letras “DMSA”. Na hora, não me ative. Mas depois me dei conta que era o tal remédio e pensei: vou tomá-lo. Liguei para o doutor Eduardo e perguntei se poderia tomar o remédio caso eu me comprometesse. E conseguimos, veio o remédio. Tomei a primeira dose, não aconteceu nada… Tomei a segunda e nada e, no terceiro mês, tomei a última. Seis meses depois eu fiz um teste de sangue que finalmente mostrou níveis de contaminação mais baixos do que o limite tolerado pela Organização Mundial de Saúde. Então, eu fui atrás da bênção de Deus e encontrei o Deus da bênção. Talvez, se eu tivesse encontrado primeiro a bênçÍ ?o, tivesse desistido de Deus. Mas ele sabiamente se deu primeiro a mim, e depois veio a bênção. E foi um milagre! Para mim, era um milagre, porque a maior dificuldade era remover aquela montanha do medo, da insegurança por tomar um remédio sobre o qual os médicos não se responsabilizavam. Então essa montanha foi removida pela fé e pela graça de Deus. E a ciência removeu a outra, que foi a do antimônio, que já estava impregnado nos meus tecidos. Como se dá hoje sua vida devocional? Se estiver em Brasília, nos finais de semana eu vou à igreja Assembleia de Deus. Ultimamente, as viagens são muitas. Mas também, durante a noite, eu sou convidada pelas igrejas Brasil afora. Então me sinto congregando intinerantemente. E, obviamente, leio a Palavra, faço minhas orações. No cenário político nacional, cada vez que alguém se diz evangélico, vem uma chuva de perguntas sobre temas como aborto, eutanásia, homossexualidade, criacionismo. Como a senhora lida com isso? Fui católica durante muito tempo, e desde 1997 me converti à fé cristã evangélica. Muitos dos fundamentos que tenho, sobretudo os valores éticos na política, eu os trago da minha experiência espiritual primeira, da teologia da libertação, que foram essenciais na minha formação política. Agora, como evangélico, a sua experiência com Deus, a sua intimidade com ele, não pode ser diferente da vivenciada por Jesus Cristo. Ele sabia fazer as mediações corretas. Havia momentos em que ele se recolhia com seus discípulos, ia para o Monte das Oliveiras, ia para algum lugar para viver aquela experiência, mesmo que fosse dentro de um barco isolado. E tinha momentos que ele se colocava para a sociedade, preservando os mesmos princípios, os mesmos valores – mas sendo muito cuidadoso em respeitar as outras pessoas, que não professavam as mesmas crenças, que não tinham a mesma visão. Ele até confrontava a tradição de que você tinha de estar sempre com seus iguais. E procurava estar com os diferentes, e bastante diferentes: publicanos, estrangeiros… E o tempo todo Jesus tinha uma abordagem também muito respeitosa dessas diferenças. Acho que a melhor forma de viver a espiritualidade é seguindo esse exemplo. Jesus tinha uma atitude respeitosa também em relação ao Estado. Em nenhum momento ele quis tomá-lo de assalto ou criar um Estado paralelo. Ele soube muito bem separar as coisas. E quando ele era confrontado, pelos receios políticos que se tinha da sua fé e da sua liderança, do seu ministério, ele dizia que seu reino não era deste mundo. Então, um reino que é de outro mundo fica mais difícil de combater… E fica também mais difícil de temer, sobretudo por aqueles que não acreditam. É possível manter a ortodoxia evangélica no contexto de Estado laico? O Estado laico não é crente, nem ateu, nem agnóstico. É o Estado laico que assegura que eu tenha uma fé e que, em função da minha fé, eu não venha sofrer nenhum tipo de sanção. Que eu possa vivê-la nos diferentes espaços: no meu trabalho, na minha casa, no mundo. O Estado laico não é só para proteger os não-crentes dos crentes, é também para proteger os crentes dos não-crentes e possibilitar que ambos sejam protegidos no espaço em que a alteridade possa ser realizada e vivenciada, sem que isso signifique que você tenha que viver uma “dupla personalidade”. As pessoas querem que você diga que a sua fé não tem nenhuma consequência. Obviamente tem. Mas, como diz a Bíblia, não é por força nem por violência que se convence as pessoas. Existe ética na política? Bem, se não existisse ética na política com certeza eu já teria desistido [da política] há muito tempo. Eu acho que a falta de ética está em todos os lugares, e a ética também está em todos os lugares – ou estaríamos contradizendo a ideia de que o trigo nasce junto com o joio. E esse joio da falta de ética talvez nasça mais em alguns lugares porque parece que a terra é mais fértil. Mas o joio, de uma forma muito disfarçada, nasce em todos os lugares, inclusive dentro das igrejas. A Bíblia fala com muita sabedoria: aquele que pensa que está de pé, tenha cuidado para que não caia. É uma luta de todos os dias, de todos os momentos, de todos os instantes, porque ninguém é perfeito. Ninguém pode evocar-se como dono da ética, da moral, da verdade… Mesmo Jesus teve que conviver com os antiéticos – obviamente sem fazer alianças com eles… A senhora gosta de citar Santo Agostinho. Ele é seu autor preferido? Eu, de fato, gosto muito das coisas do Santo Agostinho. Acho que ele deu uma fundamentação muito significativa para o pensamento moderno, por incrível que pareça. Tudo o que ele foi capaz de fazer, integrando parte da filosofia grega com o cristianismo, deu uma contribuição muito relevante, inclusive para a avanço da própria ciência, da civilização ocidental. Não consigo imaginar como seriam as coisas sem essas contribuições. Sou, digamos assim, uma apaixonada pela psicanálise. E para mim foi muito encantador verificar que, antes de Sigmund Freud, Santo Agostinho já esboçava algumas coisas muito interessantes sobre a questão da libido e sobre o inconsciente – ele dizia que atrás da memória lembrada existia uma memória não lembrada, e que parece que é ela que nos dirige. Isso, em Freud, ganha o nome de inconsciente. E Santo Agostinho falava disso, mas falava também de uma outra memória não lembrada, que é o tempo em que nós tivemos a natureza do Éden, antes da queda. E ele tem uma oração muito bonita, uma poesia para mim, referindo-se ao Espírito Santo: “Tarde vos amei, beleza tão antiga e tão nova. Tarde vos amei. É que estáveis dentro de mim e eu estava fora de mim”. E eu li isso várias e várias vezes, e cada vez era maravilhoso, sublime, que é quando a gente se encontra com a natureza daquilo que a gente é. Então, eu gosto muito dele, e gosto muito das coisas de [G.K.] Chesterton e do Philip Yancey, que passou a ser para mim uma leitura muito edificante. E, claro, ler essas coisas “no original” é mais encantador: é na Bíblia… A senhora já declarou que não faz parte da bancada evangélica. Existe bancada evangélica? Existe uma articulação. Respeito as pessoas que procuram se organizar, enfim. Há a bancada da saúde, da educação. E tem a bancada evangélica. Mas acho que quando se trata da questão religiosa, a gente tem que procurar estar integrado ao todo, assumir a posição de sal. O sal, ao se cristalizar em si mesmo, não tem como se diluir e dar o sabor. Eu acho que é muito melhor essa diluição e se transformar em sabor. Essa é a minha percepção, sem nenhum demérito para os que assim se organizam e acham que essa é a melhor forma. Quando veio o convite para fazer parte da bancada evangélica, eu expliquei que achava que nós, os cristãos – católicos, evangélicos –, deveríamos atuar como parlamentares brasileiros do Congresso, sem precisar estarmos organizados como uma bancada, como se foss e uma coisa dos evangélicos trabalhando para o interesse dos evangélicos. De que forma as igrejas podem contribuir para a conscientização e a participação políticas? De muitas formas, inclusive com os valores que a gente gostaria de ver como reflexo de uma ação política justa, democrática, coerente, honesta. Isso tem que ser traduzido nas razões pelas quais se escolhe em quem votar. Às vezes a gente não faz essa ligação. E as pequenas coisas instituem aquelas que a gente tanto critica. As pessoas podem achar que é uma bênção comprometer o voto da igreja porque alguém promete dar as telhas para o templo… Será? Pois não é, não. Vai dar o púlpito para a igreja. Será?… Não significa que não se deva receber contribuições livres, de quem quer ajudar de forma liberal e feliz, com alegria. No entanto, isso não pode caracterizar nenhum tipo de troca, porque o voto é soberano. É preciso ter essa consciência de que não devemos corromper e nem se r corrompidos no nosso voto. É errado usar a religião para obter voto? Se for um uso de uma forma utilitarista, já é um erro em si. Se há alguma identidade programática, de visão, de propostas, aí são identificações legítimas que se expressam no mundo da política. O que você não pode, no meu entendimento, é ter uma relação utilitária e utilitarista com a igreja e transformá-la em palanque. É legítimo para as lideranças que tenham vocação política pleitear o voto. Pois você procurará receber apoio entre aqueles que conhece e dos quais você é conhecido. Assim é no sindicato, é em todos os espaços. O que nós não podemos é perder a dimensão de que na igreja teremos pessoas de todos os partidos, assim como pessoas que não têm partido, e de que aquele espaço ali deve estar à disposição para todas as pessoas. E uma posição tendenciosa faz com que as outras pessoas se afastem. A senhora vê risco de se repetirem, no Brasil, os mesmos erros que a Igreja cometeu ao longo da história? É preciso ter muito cuidado. Se a história só se repete como tragédia ou como comédia, por que iremos querer repeti-la? O que aconteceu historicamente no mundo inteiro não pode ser motivo de riso. Então não pode ser comédia. É algo muito grave e que nos ensinou a todos. Temos que perseguir o olhar do Mestre. Ele soube muito bem separar as coisas e não usar seu poder para transformar pedras em pão. Ele soube muito bem usar o poder da igreja, o poder da fé, no momento certo, na hora certa, não teve nenhuma ansiedade em transformar pedras em pão, para deixar bem claro que nós, cristãos, vivemos mais de verbo do que de pão. O que falta para as igrejas acordarem para a questão ambiental? Algumas já estão acordando. Já existem muitas iniciativas embrionárias. Mas as igrejas não são diferentes das contradições que existem no mundo. Esse despertamento da questão ambiental é muito recente. Nos últimos trinta anos, essa militância foi se ampliando cada vez mais e agora ela chega também às igrejas. Parece uma incoerência quando a gente diz que ama o Criador e não respeita a criação. A gente levou muito tempo para fazer essa ligação de respeito com a natureza, de respeito à vida, de respeito a outras formas de existência, de um uso cuidadoso dos recursos naturais. Leonardo Boff diz que ficamos muito presos a Gênesis 1.28 – “dominai [a Terra]” – e nos esquecemos de Gênesis 2.15, que diz que Deus colocou o homem no jardim para o cultivar e guardar. Eclesiastes diz que é melhor uma mão cheia com tranquilidade do que duas mãos cheias com aflição de espírito. Já era uma espécie de prenúncio do desenvolvimento sustentável. Quisemos encher as duas mãos e agora estamos vivendo várias aflições de espírito, por não usar adequadamente os recursos naturais. Eu acho melhor uma mão cheia de paz e tranquilidade.

SECRETÁRIO FICA IMPUNE EM ILHÉUS

O procurador jurídico da Prefeitura de Ilhéus, Luiz Carlos do Nascimento, não considerou ilegal uma empresa que tem a empregada da família do Secretário da Fazenda, Jorge Bahia, como sócia vender computadores para o município. A venda foi feita quando Bahia era chefe de gabinete do prefeito Newton Lima e a beneficiada com foi a Supri Service. No dia 8 de dezembro de 2009, ela foi declarada vencedora de um pregão. Com isso, forneceu computador, impressora e cartuchos para a Secretaria de Assistência Social de Ilhéus. A venda rendeu R$ 38.937. Meses depois, descobriu-se que a empresa tem como sócia Helenice Nascimento dos Santos. Ela é empregada da famÍ ?lia de Jorge Bahia e tem o mesmo endereço do secretário. O telefone também é o dele. Mas para Luiz Carlos não houve qualquer ilegalidade no pregão. (Jornal A Região).

TRIBUNAL TEM SUPERSALÁRIO DE ATÉ R$ 52 MIL

Um supervisor de expediente que ganhou R$ 52 mil. Uma atendente de recepção em cargo de comissão que ganhou R$ 17 mil. Motorista com rendimento de R$ 17 mil, digitador com R$ 13 mil, agente de segurança com R$ 13 mil. Arquivista: R$ 15 mil. Estes são alguns exemplos dos supersalários pagos pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) em janeiro deste ano. As informações constam na planilha da folha de pagamento publicada no site do TJ-BA depois de determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) – Resolução nº 102 de dezembro. Os nomes dos servidores não foram divulgados, apenas a denominação do cargo e o setor. Os números são revelados num momento em que o TJ-BA chega ao limite prudencial do gasto com pessoal. Ou seja, está perto de ultrapassar o teto estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal com o gasto de mão-de-obra. Além disso, cerca de 200 concursados aguardam nomeação e sobram reclamações sobre número reduzido de servidores e magistrados. Enquanto isso, baseado na denúncia de um servidor, o CNJ determinou que o Tribunal baiano informe o nome e os dados de todos os funcionários que recebem as gratificações denominadas “adicionais de função”, que são incorporadas aos salários depois de cinco anos. Tais gratificações podem aumentar o vencimento do servidor em até 150% e são uma das causas dos supersalários. Elas são concedidas sem “critério objetivo”, de acordo com ofício da Secretaria de Controle Interno do CNJ, do dia 9, assinado pelo analista Francisco Neto e secretário Maurício Carvalho. “O Tribunal não se preocupou em editar normas que definissem critérios objetivos para a concessão dos benefícios”, cita o relatório, para acrescentar que o modelo de concessão dos adicionais dá “poderes extremos” ao presidente para escolher quem deve recebê-los. A desconfiança da secretaria é que ocorra “apadrinhamento”, “injustiças” e “nepotismo”. Depois de análise dos casos denunciados pelo servidor baiano, a secretaria do CNJ reconheceu “distorções” e iniciou processo de investigação. O primeiro ato foi um despacho do conselheiro José Adonis Sá exigindo informações sobre a folha de pagamento do TJ-BA. Elas ainda não foram repassadas, mas o prazo não venceu. No relatório, a Secretaria de Controle do CNJ sugere que, caso o gasto com pessoal con tinue no limite prudencial, seja “reduzido” ou “cessado” o adicional. ATÍPICO - A presidente do TJ-BA, Telma Brito, que estava ontem em São Paulo em evento do CNJ, disse que foram pagas altas cifras na folha do mês passado por ser janeiro um mês “atípico”. Ela informa que os juízes e muitos dos servidores receberam as férias e o 13º salário. Os itens fazem parte das “vantagens eventuais” citadas na planilha divulgada. Mas ela admite distorções, causadas principalmente por conta dos “adicionais de função”. “Tem alguns casos que realmente assustam, mas que são incorporações antigas nos salários”, explica. Telma Brito informa que a sua antecessora, Silvia Zarif, enviou uma mensagem à Assembleia Legislativa para pôr fim às acumulações dos “adicionais de função”. “Quem já recebe a incorporação, continua, mas não teremos novas incorporações”. Sobre as informações da folha de pagamento ao CNJ, Telma Brito garante que o s dados estão sendo coletados e serão informados dentro do prazo. Em nota, o TJ-BA ressalta que a remuneração fixa de magistrados e servidores é inferior ao teto constitucional – 22 mil. E que alguns vencimentos são compostos a partir de decisões administrativas e judiciais. (Valmar Hupsel Filho e Vítor Rocha).

CLUBE DO POETA REMARCA ELEIÇÃO PARA O DIA 12 DE MARÇO

Não notando que a data coincidia com o Carnaval, a eleição para a escolha da nova diretoria do Clube do Poeta Sul da Bahia, que seria realizada dia 15, passado, foi transferida para o dia 12 de Março (sexta-feira), antevéspera do Dia da Poesia, para a alegria da oposição que já estava fazendo apologia infundada a comissão organizadora do pleito, dizendo que se tratava de uma eleição na calada da noite. Ai está a oportunidade de a oposição registrar sua chapa, se o problema era esse, na Travessa Moura Teixeira, 33, 2º andar, próximo ao Danúbio Azul. Até o momento, só uma chapa foi inscrita encabeçada pelo atual presidente Adeildo Marques (foto) que recorrerÍ ? ao pleito, programado para o Centro de Cultura Adonias Filho, das 09:00 às 17:00 horas. O edital, novamente será publicado dentro dos próximos dias, na imprensa local, mas já se encontra afixado no mural do Centro de Cultura Adonias filho. Adeildo Marques tem como vice-presidente o consagrado poeta, Divaldo Melo, uma das nossas grandes revelações na poesia Grapiúna. PROJETOS: A chapa de Adeildo Marques, intitulada “Poesia Centenária” tem como principais projetos: Elevar à entidade a Categoria de Utilidade Pública Estadual, após levá-la a Municipal; Construção da Nova Sede já em terreno doado pelo ex-prefeito Fernando Cordiêr e participar de um movimento de poesia nas praças das cidades cortadas pelo Rio Cachoeira, com a finalidade de sensibilizar suas autoridades para a recuperação dos rios de sua Bacia Hidrográfica. (Joselito dos Reis Santos).

TCM MANTÉM CONDENAÇÃO AO PREFEITO DE ILHÉUS, NEWTON LIMA

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) manteve a condenação ao prefeito de Ilhéus, Newton Lima, que terá que devolver mais de R$ 2000.000,00 da conta do Fundeb. Segundo o tribunal, cerca de R$ 300.000,00 deverão ser devolvidos e uma única vez e mais de R$ 1.700.000 deverão ser restituídos em 10 parcelas sucessivas mensais e iguais. Entre as irregularidades apontada s pelo TCM estão a ausência de licitação e fracionamento de licitação, entre as mais graves. Anteriormente, o TCM já havia emitido parecer pela rejeição das contas de 2008 da prefeitura, Newton Lima apresentou pedido de reconsideração que só foi parcialmente provido, mantendo as condenações. GOVERNO DE WAGNER DÁ CALOTE EM VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO: O assunto é tabu para os veículos nas mão$ do Governo Wagner pero que non para o Boca Maledita! Os petistas deram cano nas emissoras de rádio e de televisão e nos jornais da capital e do interior. Os veículos de comunicação enfrentam sérias dificuldades financeiras porqu e o governo de Jaques Wagner não paga o que deve. Campanhas publicitárias veiculadas em agosto, setembro ainda aguardam quitação. Sete meses de calote petista! (Boca Maldita).

MIN LANÇA PRÊMIO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Com o objetivo de incentivar projetos e propostas voltadas para a geração de empregos e renda nas regiões mais pobres do país, o Ministério da Integração Nacional vai lançar na próxima quinta-feira (04/03), o I Prêmio Nacional de Desenvolvimento Regional. A solenidade vai acontecer na sede do Banco do Amazonas, em Belém. “O prêmio vai estimular a área acadêmica a contribuir ainda mais com soluções para o desenvolvimento regional e, ao mesmo tempo, dar visibilidade a ações e projetos que estão trazendo resultados para a redução das desigualdades regionais em nosso país”, avalia o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima. A primeira edição do prêmio é uma homenagem ao economista Celso Furtado pela sua contribuição ao estudo dos problemas de desenvolvimento econômico e regional no Brasil e comemora os 50 anos do lançamento de seu clássico “Formação Econômica do Brasil”, livro que aborda o processo histórico de formação da economia brasileira traduzido para vários idiomas. As inscrições estão abertas até o dia 19 de junho, através do site do Ministério da Integração Nacional. Serão premiadas três categorias: Produção do conhecimento acadêmico; práticas positivas de produção e gestão institucional; e projetos inovadores de desenvolvimento regional. Em cada categoria, o vencedor receberá R$ 46,5 mil e o segundo colocado a quantia de R$ 23,25 mil. Na categoria produção do conhecimento acadêmico serão avaliadas teses e dissertações de mestrado e doutorado na área de desenvolvimento regional. Em Práticas positivas de produção e gestão instituc ional, os relatos de experiências em andamento, com resultados positivos concretos, implementadas por instituições públicas, privadas ou da sociedade civil, capazes de gerar mudanças estruturais e transformações do território onde estão instalados e de seu entorno. Já em projetos inovadores para implantação no território, o prêmio é direcionado a propostas de atuação com base territorial, que visam o desenvolvimento social, econômico, cultural ou ambiental e que tenham comprovado o potencial de transformação da realidade socioeconômica em escala sub-regional ou macrorregional por meio da dinamização econômica e inclusão produtiva. Os projetos, trabalhos e ações que concorrem ao prêmio serão avaliados por uma comissão julgadora formada por representantes da área acadêmica, do terceiro setor, do governo federal e da iniciativa privada.

SEMINÁRIO DISCUTIRÁ REDUÇÃO DO DUODÉCIMO NAS CÂMARAS DE VEREADORES

A Câmara Municipal de Itabuna e a Federação Baiana de Câmaras Municipais, realizará no próximo dia 04 de março, das 09:00 às 16:00 horas, no Plenário da Câmara desta cidade, um encontro de Vereadores das regiões sul e extremo sul da Bahia. Na ocasião serão discutidos os efeitos da Emenda Constitucional 58/2009 bem como a redução dos percentuais que servem de base para o repasse de recursos financeiros para as Câmaras de Vereadores. O intuito também é definir quais as medidas jurídicas, legais e contábeis necessárias e que deverão ser adotadas para o enfrentamento da atual conjuntura financeira. Durante o evento haverá assinatura de Carta Aberta dirigida a União dos Vereadores do Brasil e União Nacional de Vereadores. Após esse evento, haverá o primeiro Grande Encontro de Vereadores em Salvador para debater com os Deputados e Senadores baianos, os efeitos da Emenda Constitucional 58/2009 frente a autonomia legislativa dos Municípios e a auto-governabilidade dos Poderes Legislativos.

27 de fevereiro de 2010

GEDDEL DIZ QUE É MAIS FÁCIL WAGNER DESISTIR DO QUE ELE

Na noite desta quinta-feira (25), o ministro Geddel Vieira Lima, presente no lançamento do site do mais novo companheiro de partido, deputado federal Severiano Alves, falou com exclusividade ao Política Hoje, sobre o boato de que após ter tomado um puxão de orelha de Lula, teria tentando se reaproximar do PT na Bahia, numa clara demonstração de desistência ao embate. “Ha, ha, ha. Desconheço essa informação e volto a reiterar que minha candidatura é absolutamente definitiva. Eu vou ganhar as eleições. É mais fácil Wagner (Jaques Wagner) desistir do que eu”, disparou. LÚCIO COMPLEMENTA IRONIA: O presidente regional do PMDB, Lúcio Vieira Lima não perdeu tempo e aproveitou para reforçar as declarações do irmão (Geddel Vieira Lima). “O PMDB tentar reaproximar-se do PT baiano? Isso é impossível. É mais fácil o governador Jaques Wagner vir para o nosso lado ser nosso senador”, ironizou. (Fernanda Chagas).

EDSON DUARTE CRITICA PARCIALIDADE EM DEBATE SOBRE CÓDIGO FLORESTAL

O líder do Partido Verde, deputado Edson Duarte (BA), criticou a parcialidade da composição dos expositores do Seminário "Código Florestal: Desenvolvimento e Defesa do Meio Ambiente" - em sua maioria ligados ao segmento ruralista -, que acontece na terça-feira, 23, na Câmara dos Deputados. Duarte se disse surpreso e estarrecido com a relação dos expositores do evento promovido pelo PCdoB, que tem um dos principais participantes o relator da Comissão Especial do Código Florestal, deputado Aldo Rebelo (SP). Ele estranhou a presença maciça dos segmentos mais aguerridos do agronegócio que apóiam as recorrentes tentativas de flexibilização da legislação ambiental no sentido de ampliar o desmatamento. O parlamentar ambientalista disse também que lamenta imensamente que o PV, por tudo aquilo que representa na defesa das questões ambientais, que tem em seus quadros no Parlamento dois ex-ministros do Meio Ambiente e que participa ativamente da Comissão Especial que trata do tema, sequer tenha sido convidado a participar do evento. "Se para discutir o Código Florestal o PC do B está convocando praticamente só ruralistas, não é de se estranhar que no próximo seminário se convide os ambientalistas para discutir a renegociação da dívida do setor rural", disse Edson Duarte. Na quarta-feira, 24, parlamentares da Frente Ambientalista da Câmara e entidades de defesa do meio ambiente se reúnem para discutir a situação do Código Florestal e as tentativas de desmonte da atual legislação. O seminário acontece durante todo o dia desta terça-feira, no auditório Freitas Nobre na Câmara dos Deputados.

FHC CONFIRMA JOSÉ SERRA COMO CANDIDATO DO PSDB

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou neste sábado (27) que não há dúvidas de que o candidato do PSDB à Presidência nas eleições deste ano será o atual governador de são Paulo, José Serra. Segundo ele, o nome de Serra ainda não se tornou oficial apenas por uma questão de “momento”. “O candidato do partido é o que todo mundo sabe, o José Serra. O problema é que não é o momento ainda, a lei não permite”, disse o ex-presidente. “Na medida em que o governador de Minas Gerais [Aécio Neves], que poderia ser candidato, tem condições, disse que não vai, então é o Serra. O resto é conversa.” Ao ser questionado da postura do partido em não confirmar o candidato no momento em que o PT já confirmou a ministra Dilma Roussef como pré-candidata, Fernando Henrique indiretamente criticou o partido governista. “Ela não assumiu candidatura nenhuma, e já começou campanha. É fora do tempo e é ilegal.” O ex-presidente participou da inauguração da ciclovia da Marginal Pinheiros, em São Paulo, evento que contou com a presença de Serra e o prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab. Indagado se a decisão de lançar Serra passa por Aécio Neves, ele desconversou. “A decisão passa por todos os líderes, e o Aécio tomou uma posição, ele disse que vai se concentrar em Minas Gerais.” DROGAS: Fernando Henrique também negou ter pedido em evento na sexta-feira (26) a descriminalização de todas as drogas. “Não pedi nada. O evento foi feito com a Secretaria da Justiça para discutir qual a melhor maneira de reduzir o consumo. Não pode legalizar porque faz mal”, disse o ex-presidente. “A tese é outra. Não adianta coloca na cadeia o usuário, porque ele vai usar mais. Tem que botar na cadeia o traficante.”

JORNALISTA PREVÊ DIFICULDADES DE WAGNER PARA DEBATER SEGURANÇA

A previsão de que o governador Jaques Wagner enfrentará dificuldades para debater com seus adversários a política de segurança pública foi feita pelo jornalista Ivan de Carvalho, em artigo publicado na Tribuna da Bahia. Além de defender que o governador deve sim aceitar o desafio do ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e “marcar hora e local para o debate”. O jornalista acredita que o governador terá que apresentar argumentos decisivos para convencer a opinião pública dos resultados das ações empregadas por seu governo no combate a violência. “Possível, mas nada fácil, pois o cidadão sente um forte aumento da insegurança pública e é isso que estará ocupando sua mente ao ouvir críticas, comparações e defesa”, escreveu Carvalho. De acordo com o jornalista, não apenas o ministro Geddel Vieira Lima, mas também os demais pré-candidatos ao governo do Estado, devem estar interessados em debater com o governador a atuação dos organismos de segurança. Acrescentou que a idéia do debate partiu do próprio governador, que na semana passada, em solenidade para a entrega de viaturas à Polícia Militar, se propôs a debater a política de segurança com os seus adversários. “Certamente, se lançou o desafio, o governador, que naturalmente não estará pensando em fugir do debate que propôs, estará convicto de que tem elementos e argumentos para enfrentar as críticas, que são extremamente pesadas e vão desde o nível dos investimentos feitos no setor (apesar das 350 novas viaturas, dos 1.350 novos integrantes da Polícia Militar e até, por que não, do polêmico Guardião), até o crescimento constante e acelerado dos índices de criminalidade, especialmente nas modalidades em que é usada a violência”. No final do seu artigo, o jornalista Ivan Carvalho destaca que o desafio feito pelo governador aos seus adversários “é benéfico para a sociedade e precisa mesmo ser realizado”, com a participação de todos os pré-candidatos. “Ganhará a sociedade na medida em que ele (o debate) conduza menos a diagnósticos acadêmicos e mais a medidas práticas que se possam adotar a curto e médios prazos para atenuar significativamente o problema e inverter as tendências tenebrosas atuais”.

QUEM É O PREFEITO?

Há uma duvida com relação de quem é o Prefeito de Buerarema. Na cidade tem varias apostas. Para alguns o Prefeito é Eudes, para outros é Geraldão, mais para a grande maioria da cidade o "Prefeito" é o contador Aedo da Nova Visão Consultoria. Conforme fonte da propria prefeitura o contador é o "prefeito" pois o mesmo paga, demite, admite, faz acordos, faz todos os atos do prefeito e o "Prefeito" Eudes, é o ultimo a saber.Não vai demorar muito e os Ìndios que estão em pé de guerra com produtores na serra do padeiro assumirem o comando da prefeitura, porém tem que combinar antes com Aedo. (Fábio Luciano).

MARINA SILVA DIZ QUE É URGENTE IMPLANTAR A POLÍTICA NACIONAL DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Preocupada com o aumento do número de desastres climáticos causadores de perdas humanas e econômicas, a senadora Marina Silva (PT-AC) disse que é urgente a implementação da lei que institui a política nacional de mudanças climáticas (Lei 12.187/2009), especialmente no que diz respeito às ações de adaptação aos efeitos nocivos do aquecimento global. Em seu discurso nesta sexta-feira (19) no Plenário, Marina citou uma série de estudos nacionais e estrangeiros que comprovam o aumento no número de doenças e de outros problemas na produção de alimentos em função das alterações de clima da Terra. A senadora explicou que essa “crise ambiental global”, como denominam os cientistas, tem consequências para diferentes setores da vida na sociedade. - O custo de não encararmos com a devida urgência e prioridade essa questão aumentará enormemente o sofrimento das pessoas e os custos para a sociedade – afirmou Marina Silva, observando que, no Brasil, os efeitos negativos são mais claros na questão da saúde pública. A senadora explicou que isso acontece porque com a mudança climática, que provoca invernos mais quentes, há maior proliferação de insetos transmissores de doenças como a dengue e a malária. Ela lembrou que as enchentes também aumentam o número de enfermidades transmitidas por meio da água contaminada, como a diarreia e a leptospirose. As doenças, por sua vez, continuou Marina Silva, acabam gerando mais despesas com ações de defesa civil, com o sistema de saúde e de assistência social. Já em relação aos alimentos, a senadora contou que o aquecimento da Terra provoca queda na produção agrícola e falta de trabalho, particularmente nas regiões mais carentes, como o semiárido nordestino. Por isso, ela defendeu que os governantes adotem medidas de adaptação para essas mudanças, como a construção de cisternas de armazenamento de água e o desenvolvimento de culturas mais resistentes à seca para enfrentar as alterações do clima. Marina Silva atentou ainda para outras dificuldades que podem advir com as mudanças climáticas, que têm provocado no Brasil fortes estiagens, bem como enchentes. No caso das primeiras, observou, o suprimento de geração de energia elétrica pode ser prejudicado. Já as enchentes, disse ela, agravam ainda mais os problemas ambientais que o país já tem, como a devastação e o assoreamento dos rios, o desmatamento e os deslizamentos de áreas ocupadas irregularmente. Ao comunicar que irá apresentar na semana que vem requerimento para a realização de uma série de audiências públicas no Senado, destinadas a discutir o problema com a sociedade, a senadora criticou a inação do governo federal diante da questão. - Mesmo diante de tão preocupantes fatos e desastres naturais, ainda não vemos nenhuma autoridade do governo federal se dispondo a iniciar esse processo de formulação de uma estratégia nacional de adaptação – lamentou a senadora.

SOBE PARA 147 NÚMERO DE MORTOS EM TERREMOTO NO CHILE

Subiu para 147 o número oficial de mortos no terremoto de 8,8 graus que atingiu o Chile na madrugada deste sábado informou a diretora da Agência Nacional de Emergência, Carmen Fernandez. Ondas de dois metros acima do normal atingiram a costa do país, de acordo com o serviço de pesquisa geológica do EUA. Testemunhas na região costeira de Maule, próxima ao epicentro do abalo, viram casas "simplesmente desaparecerem". Fontes do governo disseram que em algumas áreas de Maule até 80% das cidades foram destruídas pelo terremoto e pelas ondas subsequentes. Esforços de ajuda estão a caminho e o governo disse que pode enviar tropas para garantir a segurança nas regiões mais afetadas. A presidente do Chile, Michelle Bachelet, reuniu-se com autoridades emergenciais na manhã de hoje e voou em helicóptero do exército para a área mais atingida. Bachelet declarou "estado de catástrofe" na área central do Chile, mas afirmou que o governo não pediu ajuda para outros países. "O sistema está funcionando. As pessoas estão calmas. Estamos fazendo tudo que podemos com todas as forças que temos", declarou Bachelet. O governo não declarou emergência nacional, mas identificou as regiões atingidas no sul do país que irão receber fundos emergenciais. Segundo Bachelet, o Chile tem neste momento os recursos necessários para enfrentar as consequências do terremoto e não precisa de socorro internacional imediato. As imagens das televisões chilenas mostram janelas quebradas, telhados e calçadas destruídas em Santiago. O metrô também está fechado e centenas de ônibus ficaram presos no terminal por causa da destruição de uma ponte, informou o ministério das Telecomunicações e Transporte. O ministério pede que os chilenos usem o telefone somente quando for absolutamente necessário. As informações são da Dow Jones e Associated Press.

OPERAÇÃO DA POLÍCIA TENTA IMPEDIR POSSÍVEL INVASÃO DE ÍNDIOS EM BUERAREMA

Quinze homens da Polícia Federal e 30 da Polícia Militar ocuparam as principais entradas e o centro da cidade de Buerarema, 450 km de Salvador, na manhã deste sábado, 27, para tentar impedir uma possível invasão indígena no centro da cidade. A operação das polícias foi iniciada por volta das 6 horas. De acordo com Andirley Lopes, Agente Especial da Polícia Federal, aproximadamente 70 carros, caminhões e ônibus foram revistados para impedir circulação de armas de fogo em Buerarema. O clima está tenso no local desde o dia 19, devido à ocupação de duas fazendas pelos índios da tribo Tupinambá de Serra do Padeiro. O conflito entre índios e fazendeiros deixou quatro produtores rurais feridos - Edvan Moreira, Hypérides da Silva Magalhães, conhecido como “Péu Magalhães”, Ivanilson Almeida Santos e Alfredo Falcão. Os produtores foram atingidos na mão, braço, rosto e cabeça, mas não correm risco de morte. Segundo testemunhas, que preferem não ser identificadas, há pelo menos mais uma pessoa desaparecida. De acordo com o delegado da Polícia Civil de Buerarema, Pedro Chaouí, não foi registrado nenhum caso de morte ou desaparecimento de produtores rurais na delegacia da cidade. A operação se encerrou às 12 horas da tarde e, segundo informações da Polícia Federal, outras ações serão feitas para tentar amenizar o confronto. Camila Oliveira, da Sucursal Itabuna. (Camila Oliveira).

MULHER MORRE DE AVC APÓS DOIS DIAS À ESPERA DE ATENDIMENTO

Uma semana e a história se repete. Depois de dois dias na espera por transferência para UTI, Tereza Cristina da Silva Santos, 51 anos, também não resistiu às deficiências do sistema de saúde público baiano. A paciente deu entrada, na madrugada da última quinta-feira, na Unidade de Pronto-Atendimento de Plataforma (UPA), vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) e morreu enquanto aguardava transferência para o Hospital do Recôncavo, em São Félix. Não muito diferente, exceto pela gravidade do quadro e os dias de peregrinação, da aposentada Elizete Aragão Ferreira, 86 anos, que no dia 21 de fevereiro também morreu à espera de uma vaga na UTI. O leito só surgiu em São Félix, após 40 dias migrando em diversos postos de saúde da capital. A idosa iniciou o quadro com um problema na vesícula e morreu com problemas renais. MUDANÇA: A inversão na rota da saúde da capital para o interior está atrapalhando o destino dos que lutam pela vida. No caso de dona Elizete, a transferência foi suspensa porque a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) constatou que a UTI em São Félix não teria como realizar hemodiálise. Já dona Tereza teve a transferência reavaliada pouco antes de morrer: segundo a Sesab, ela havia apresentado melhora Para os profissionais da UPA, parecia drama o desespero da filha da paciente de apenas 51 anos. Débora Silva Santos aguardava desesperada uma notícia positiva. “Minha mãe está com a pressão alta, usando uma sonda e chegou até aqui sem conseguir nem falar. Ela está lutando pela vida”, desabafou, poucas horas antes da morte da mãe. ESTRUTURA - A mulher de 25 anos era a única que tinha acesso ao leito da mãe. “A enfermeira já me falou para eu preparar todo o mundo que ela não passa de amanhã (hoje). Minha mãe cuspia sangue e não achei ninguém para me ajudar. Tenho que limpar sua boca o tempo todo, se não ela engasga”, contou Débora. A unidade tem apenas 12 leitos e dois médicos a cada turno.“Aqui é uma unidade 24 horas. Não temos estrutura para manter pacientes nesse estado. No entanto, já seguramos paciente aqui 60 dias”, explica a diretora geral do posto, Jaci de Carvalho. Com o ambiente bem movimentado, pacientes aguardando atendimento e todos os leitos ocupados, a diretora da unidade conta que chegam muitas vítimas de AVC e infarto à unidade e a maioria não resiste. “Trabalho aqui há nove anos e vejo o sofrimento dessas pessoas. O problema maior são os idosos, que chegam sempre em estado grave e não temos para onde transferir”, lamenta Jaci. A diretora vê a solução no Hospital do Subúrbio Ferroviário, previsto para ser entregue ainda este ano. O hospital é uma reivindicação antiga dos moradores da região. “Só temos dois postos de saúde no Subúrbio para atender uma população que só cresce a cada dia. É um caldeirão prestes a explodir”, completa. Mãe de quatro filhos, Tereza era uma mulher batalhadora. “Ela nunca parou. Cuidava da casa e dos filhos, pescava na maré e vendia milho para alimentar todo o mundo”, conta a irmã, Delza Silva Santos. Socorrida pelo sobrinho, dona Tereza deu entrada no hospital desmaiada. “Minha mãe começou a ficar com a boca torta, falou que tava tonta e caiu no chão. Ela veio pra cá porque não tinha jeito”, disse Débora. (Tatyanna Hayne).

26 de fevereiro de 2010

DÍVIDA DO CACAU: PERDÃO NÃO É A SOLUÇÃO

Dramática situação vivida pelos pequenos produtores de cacau endividados e pelos bancos credores, pois frente ao indispensável rigor para com as dívidas se alevanta a crueldade da questão social. Os agricultores estão “pendurados” por dívidas tidas como impagáveis e, portanto, sob risco de perda das terras. Independente da solução deste caso em si, essa contradição é recorrente não apenas na Bahia, mas no Brasil e no mundo. Em várias ocasiões, lançou-se mão do perdão da dívida. Solução obviamente humanitária, traz consigo, porém, um inconveniente: pode viciar o cidadão. E como perdoar não paga dívida, o prejuízo termina caindo nas costas dos contribuintes (não se esqueçam que os bancos em questão são estatais). Para esse problema simples, “dever e não ter como pagar”, a solução simplificada (não pagar) é enganosa (pois alguém pagará pelo inadimplente). Assim, é essencial a busca de soluções mais complexas, porém mais justas: O produtor de cacau incapacitado de saldar sua dívida, e que, comprovadamente, não tenha culpa na história, não deve perder a terra. Mas um compromisso com alguma forma de reparação (mesmo que parcial) necessitaria ser assumido, e cumprido, evitando que a semente daninha dos perdões graciosos germine em pomares onde ser inadimplente é meio de vida.

UMA MANCADA DE MARCA

A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), através do seu presidente Cyro de Matos, organizou um concurso para escolha da marca das comemorações do primeiro centenário do município de Itabuna e para tanto, formou uma comissão, composta por nomes como os da professora Janete Macedo, da Uesc; do secretário municipal de Educação Gustavo Lisboa (também professor universitário) e do artista plástico Richard Wagner. Esta comissão acabou escolhendo a marca que ficará eternizada como o símbolo dos 100 anos de emancipação política e administrativa de Itabuna. O autor da marca premiada foi o designer publicitário Ricardo Furtado Santana, que produziu uma p eça na qual sintetiza a cultura cacaueira, o crescimento urbano e a riqueza da mata atlântica. Acontece que a referida comissão acabou não compreendo o propósito deste concurso e escolheu como símbolo do centenário de Itabuna, a marca mais estapafúrdia, feia e impertinente, pois não se pode imaginar, que houve condições de se eleger uma marca com tanta rejeição e que, em quase nada, representa o espírito dos festejos dos 100 anos de Itabuna.

AGRADECER É UM DEVER DE TODOS

Gratidão é o reconhecimento do benefício recebido. Ser grato. A gratidão é a maior das qualidades espirituais. O inverso, o oposto desse sentimento é a ingratidão, qualidade do que é ingrato. Pessoa desagradecida, que se esquece dos benefícios recebidos, displicente. Deve ser, o ingrato o companheiro do hipócrita. O dever de gratidão é tão justo e aceitável quanto o direito positivo das necessidades comuns da vida dos povos. Para que obtivéssemos as vantagens e regalias do Direito, necessário foi adviesse o Dever: onde não existe nenhum contrato não se transmitiu nenhum direito e to do homem tem direito a qualquer coisa, por conseguinte, nada poderá ser taxado de injusto. Desfrutamos de uma imensa cooperação, fecundando em retribuição o dever de gratidão cuja memorização permanece eterna. Tais observações nascidas no silêncio das madrugadas que abrangem o País de Norte a Sul, de Leste a Oeste, e concentra-se na capital da solidão, onde fervilham seres humanos de todos os matizes, ambiciosos, interesseiros, sórdidos e desprovidos de qualquer sentimento de gratidão, que é a síntese da índole dos homens de bem. Como entendo ser a gratidão um dever de todos, aproveito este espaço, para agradecer aos nossos milhares de leitores, que nos acessam diariamente e que transformam este nosso veículo de comunicação, como um dos mais prestigiados do sul da Bahia. Paulo Coelho, em um dos seus livros, diz que: “Nenhum homem é uma ilha. Para combater o bom combate, precisamos de ajuda”. Fui sobejamente ajudado. Muito Grato amigos. Deus abençoe a todos.

LOIOLA DESTACA AVANÇOS DE SUA GESTÃO NA CÂMARA

O presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Itabuna, vereador Clóvis Loiola, avalia como bastante positivo o seu primeiro ano de gestão à frente do Poder Legislativo municipal. Loiola afirma que 2009 foi produtivo em termos de discussões e votação de projetos importantes, tanto os de autoria do Executivo quanto os que foram apresentados pelos vereadores e mesmo pela Mesa Diretora. Para o gestor, esse trabalho se reflete em leis e outros instrumentos legais que visam ao desenvolvimento econômico e social do município e à garantia dos diretos dos cidadãos itabunenses. Quanto ao trabalho da Câmara, o vereador considera que garante as condições para que o Executivo governe sem dificuldades, mas observando os critérios da razoabilidade e da moralidade com o dinheiro público. “Foi assim com a autorização que a Câmara deu ao prefeito Capitão Azevedo, de utilizar uma suplementação de 40% do orçamento de 2009. Os vereadores entenderam que esse índice era suficiente para o gestor desenvolver as ações pretendidas, em vez dos 100% que o Executivo queria”, lembra Loiola. Ele destaca ainda que a Câmara não se furtou de debater questões polêmicas, sempre dando uma resposta à comunidade. “Acredito que esse é o papel que o Legislativo deve cumprir, e nós cumprimos”, argumenta. O vereador cita ainda o projeto de reforma do Código Tributário, que chegou à Câmara já no período de recesso. De acordo com Loiola a Câmara entendeu que não era oportuno, pois havia a possibilidade de penalizar alguns setores, e decidiu por uma discussão mais ampla. “Mas esse ano o Executivo deve reenviar o projeto, e vamos analisar com cuidado para fazer as correções necessárias, sem penalizar a arrecadação do município”, comenta. EXPECTATIVA: Loiola analisa que o ano de 2010 será pautado pelas demandas que surgirão a propósito do centenário de Itabuna, e afirma que a Câmara terá grande participação no sucesso dos festejos. “Se a prefeitura for realizar alguma obra que necessite de autorização do Legislativo, faremos nosso papel”. O presidente afirma que a Câmara pode oferecer ainda mais à sociedade, e diz que vai estimular essa busca pela maior produtividade possível. “Porém, acredito que a sociedade poderia nos ajudar, cobrando dos vereadores as ações necessárias, frequentando as sessões plenárias e de comissões”. O presidente diz ainda que quem deve fiscalizar o vereador é o povo, o eleitor. “Queremos acertar sempre, mas precisamos também da contribuição da sociedade. Um bom exemplo de como isso dá certo foi no caso da reforma tributária. Deveria servir de exemplo”. Loiola revela ainda que em conversa com outros vereadores, principalmente os que compõem a Mesa Diretora, analisou a possibilidade de abrir um debate sobre a reforma de Lei Orgânica, que está ultrapassada. “Esse seria um bom presente do Legislativo para o município no ano de seu centenário. É uma proposta da Mesa, vamos tentar levar adiante”. NÚMEROS E DADOS: Em 2009 foram aprovadas 41 matérias, entre projetos, resoluções e decretos legislativos. O vereador Roberto de Souza por exemplo destacou-se em dois projetos que se tornaram leis municipais, como o que disciplina o fumo em locais públicos e o que regulamenta o tempo de espera nas filas dos supermercados. Ainda foram apreciados 26 projetos do Executivo e um encaminhado pela Mesa Diretora.

ONDE VAMOS CHEGAR?

Selvageria consentida: “Índios” invadem fazenda e atacam pequenos agricultores em Buerarema, sul da Bahia. É a contramão da justiça em rota de colisão com o bom senso, deixando mutilados e um rastro de sangue. Na escola aprendemos a chamá-los de silvícolas. Será que o tempo e as organizações ditas sociais se encarregaram de transformá-los em selvagens? Ou seja, em animais irracionais com salvo-conduto , portadores de licença para matar, ferir e mutilar, tudo impunemente? Será que são apenas os civilizados que podem ser tocados, algemados e presos? E os supostamente indígenas, que dizem que não podem ser tocados, mas que tudo podem porque nada temem? Estão parecendo uma versão tupiniquim dos famosos Intocáveis da velha Chicago americana, deixando de lado o arco, a flecha e a lança, substituídas por armas de grosso calibre, apontando suas miras giratórias para colonos que há gerações vivem de suas terras, áreas abençoadas que garantem sua subsistência e matam a fome da população da cidade. Diante de vozes que se calam, vem a pergunta que não quer calar: “Será que uma decisão unilateral vale mais do que uma vida?” Uma sociedade que pretende evoluir não pode substituir o diálogo por atitudes intempestivas, irracionais, premeditadas para “causar impacto”, pois para adeptos da violência, naturalmente a conversa, a negociação ou qualquer forma de entendimento não interessa. Não repercute, não ganha as primeiras páginas dos jornais, as chamadas do rádio e da televisão, as análises das revistas, a postagem em destaque nos blogs. E onde estão os poderes constituídos? Executivo executando benesses pessoais? Legislativo legislando em causa própria? Judiciário judiciando apenas e tão somente sentenças que interessam? É preciso que os mais altos mandatários deste país saiam de suas zonas de conforto, de seus gabinetes refrigerados a splits e se dirijam para o campo. Não é tão longe a ponto de uma minivan ou um mono/bimotor não poder chegar num instante. Porque só assim, indo pessoalmente, in loco, os doutos senhores poderão perceber que em cada pequena fazenda, sítio, chácara, sesmaria, pequena estância ou qualquer outro termo que se possa chamar uma terrinha, uma roça, existe muito mais que um simples patrimônio físico. Existe um patrimônio histórico-familiar, um patrimônio cultural de gerações de gente simples, um patrimônio moral de pessoas humildes e, acima de tudo, de pessoas honradas. Basta de ouvir apenas uma parte, achando que só um lado, por ser supostamente mais fraco, é que tem razão. É irresponsabilidade inconcebível para quem se diz moderno, avançado – civilizado, enfim - não escutar o que a outra parte tem a dizer. Seria dar ao diálogo o mesmo destino que podem ter os envolvidos no conflito: a morte. Chega da hipocrisia de quem se diz representante do povo, dando com uma mão um assentamento para o agricultor e tirando com a outra mão a mesma terra para dá-la a um suposto aborígene carente. Faz-se necessário, antes de mais nada, uma distribuição justa de terras. A população – leia-se o eleitor – não suporta mais comportamentos selvagens travestidos de reivindicação de direitos. Ninguém aguenta mais justiças feitas com as próprias mãos, com rastros de sangue pelo caminho. Justiça tem que ser feita pelos poderes constituídos. E, acima de tudo, constituídos por dirigentes lúcidos e responsáveis. (Prof. Ed Brasil - Negociações Internacionais pela UESC).

CASE DE SUCESSO DA COOPMAC E DA EXPOCONQUISTA NO FÓRUM EMPRESARIAL

O presidente da Cooperativa Agropecuária Conquistense (Coopmac), Claudionor Dutra, especialista em desenvolvimento regional, tem presença confirmada na abertura do Fórum de Lideranças Empresariais em 2010, na próxima quinta-feira, dia 4, no auditório do Tarik Plaza Hotel, um evento promovido pela Associação Comercial e Empresarial de Itabuna. Na agenda anunciada na última reunião da ACI, estão a apresentação do case de sucesso da Coopmac e da Expoconquista, considerada o maior evento agropecuário e industrial do interior baiano que se realiza anualmente no Parque de Exposições Teopompo de Almeida. Segundo o presidente da ACI, Eduardo Fontes Neto (foto) também estão confirmadas no fórum itabunense as participações do coordenador regional do Sebrae em Vitória da Conquista, Cláudio Cardoso e do vice-presidente da Coopmac, Ronaldo Leite. Eles deverão relatar a sua experiência no empreendimento que é resultado de uma parceria entre Ministério da Agricultura, Secretaria da Agricultura, Prefeitura de Vitória da Conquista, Sebrae, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), Universidade de Barcelona e outras entidades. Este ano, a Expoconquista estará recebendo visitantes de várias regiões da Bahia e de outros estados brasileiros. Nos 200 mil m² da área do Parque de Exposições deverão ser expostos mais de 1.500 animais, cerca de 250 estandes fixos, com a realização de seis leilões, além dos tradicionais shows musicais e rodeios. AVALIAÇÃO: Na última reunião da ACI, Eduardo Fontes fez também uma avaliação das ações em 2009 e definiu como prioridades para 2010, a ampliação do quadro social e uma maior participação institucional na discussão de propostas para o desenvolvimento de Itabuna. Como destaque citou o empenho na proposta de duplicação da BR 415, com ações da associação junto ao governo do estado e ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, que viabilizaram a alocação de recursos para as obras no orçamento da União. Outro projeto bem sucedido é o Fórum de Lideres, que vem apresentando bons resultados e que tem a proposta de colocar em debate uma ampla agenda de assuntos. A ACI também vem discutindo junto ao governo municipal e ao legislativo, uma série de emendas e sugestões com relação ao projeto de reforma do código tributário. EVENTOS: Na pauta de 2010 também estão as mudanças na premiação do Primeiras e Melhores, em parceria com a CDL e com a Sócio Estatística, que realiza uma pesquisa anual e agora abrange 75 categorias, com anuncio dos vencedores antes da premiação. Eduardo Fontes Neto também confirma mudanças na realização do Seminário de Marketing, coordenado pelo publicitário Silvio Roberto Oliveira, diretor de eventos da ACI. O evento que será realizado no período de 12 a 14 de agosto, será incluído na programação do Centenário de Itabuna e terá como alterações a apresentação de cases de sucesso de empresas itabunenses. A sua formatação ainda está em aberto e deverá incluir a presença de um empresário conhecido nacionalmente. A agenda de 2010 da ACI também vai incluir uma parceria com o Sebrae visando a reforma do nono andar da sede da instituição. Um projeto que foi discutido com a presença do coordenador regional do Sebrae, Renato Lisboa, que depende agora da apresentação do projeto de engenharia.

25 de fevereiro de 2010

LÚCIO DESMENTE REAPROXIMAÇÃO COM PT

O presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima (na foto com Dr. Renato Costa) atribuiu ao “desespero dos adversários”, o boato de que o PMDB e o PT estariam se reaproximando na Bahia. Enfático ele garantiu que essa hipótese não existe e que “a falsa informação” é uma reação à aceitação pr parte do eleitorado baiano, do nome do ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, pré-candidato do partido ao Governo do Estado. “Se isso partiu do PT é porque eles estão muito preocupados com as últimas perdas e rejeições. Perderam o PMDB, o PV, grande parte do PT não quer César Borges, e agora tem se falado muito na possibilidade de lançamento de uma candidatura avulsa ligada às forças que sempre foram aliadas ao grupo de Wagner e têm se sentido traídas. Se foi de Paulo Souto, o DEM tenta enfraquecer Geddel porque tem percebido que a candidatura deles está enfraquecendo”, alfinetou. Ele aproveitou para negar a existência de qualquer pressão nacional contra a decisão do PMDB de ter candidato ao governo da Bahia. Segundo Lúcio Vieira Lima, nem o presidente Lula ou o Diretório Nacional do seu partido se opõem ao PMDB baiano disputar o governo. “Lula nunca tocou no assunto com Geddel. O ministro também é membro da Executiva e o PMDB nunca esteve tão unido e estimulado em fazer o governador do quarto maior colégio eleitoral do país. Só o povo da Bahia poderia fazer o ministro desistir e o povo baiano tem sim pressionado Geddel, mas para que ele seja candidato ao governo do Estado”, disse o presidente do PMDB. Lúcio Vieira Lima também desmentiu a possibilidade da formação de uma chapa única das forças contrárias ao Governo do PT, formada pelo ministro da Integração e o ex-governador Paulo Souto (DEM). “Não há a menor hipótese”, garantiu.

TEXTO FINAL DO PROJETO FICHA LIMPA SERÁ ENTREGUE ATÉ 17 DE MARÇO, DIZ RELATOR

O deputado federal Índio da Costa (DEM-RJ), relator do projeto Ficha Limpa, disse nesta quarta-feira (24) que o texto final da matéria será entregue ao presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, até o dia 17 de março. Após receber o projeto, Temer deverá convocar reunião com os líderes partidários para definir quando a matéria será apreciada no plenário. A expectativa é de que o texto seja votado na Câmara até o fim do mesmo mês. O cronograma das atividades relacionadas ao projeto foi apresentado hoje pelo relator ao grupo parlamentar formado para debater o assunto. De acordo com a programação, os deputados terão até o próximo dia 3 para apresentar propostas de emenda. No dia 10, a versão final do texto será debatida pelo grupo e será entregue à Presid ência da Câmara sete dias depois. O grupo de trabalho, formado por 18 deputados indicados pelos blocos partidários, aprovou ainda requerimento para realização de audiência pública com os ministros Carlos Ayres de Britto, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes, presidente do STF(Supremo Tribunal Federal) e o procurador geral da república, Roberto Gurgel. A audiência está marcada para o próximo dia 2. APLICAÇÃO EM OUTUBRO: Em audiência pública ontem, com a presença de deputados e representantes do movimento Ficha Limpa, o presidente da Associação Brasileira de Magistrados, Procuradores e Promotores Eleitorais (Abramppe), Marlon Jacinto Reis, propôs que o texto final da proposta deixe claro que as mudanças já valerão nas eleições deste ano. A idéia também foi defendida pelo líder dos Democratas, deputado Paulo Bornhausen (SC), e pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante. Para o relator, há grandes chances d a nova lei entrar em vigor já este ano. “Estamos otimistas e trabalhando para isso. O projeto será aprovado até lá”, disse o deputado. POLÊMICA: O projeto de iniciativa popular Ficha Limpa, com mais de 1,3 milhão de assinaturas, foi entregue em setembro de 2009 ao presidente da Câmara. Ele foi organizado pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) – composto por 43 entidades da sociedade civil. O projeto original barra o registro de candidatos condenados em primeira instância por crimes graves ou contra a administração pública. Também prevê que quem tem denúncia do Ministério Público aceita em um tribunal não pode concorrer nas eleições. Vários deputados defendem que sejam inelegíveis apenas os candidatos condenados em segunda instância, ou em instância colegiada, com a presença de mais de um juiz. Entidades como a OAB aprovam a alteração. “Somos seres humanos e, como tais, somos falíveis. O juiz também é um ser humano. Para isso é que existem os órgãos colegiados, onde muitas cabeças vão pensar juntas sobre aquela decisão”, disse o presidente nacional da entidade, Ophir Cavalcante. A alteração deste ponto é tida como quase certa pelos deputados. As entidades se articulam para que os deputados mantenham o texto original, mas já aceitam algumas mudanças. “Queremos preservar o máximo possível do projeto original, mas estamos em uma posição de diálogo e construção para que tenhamos os melhores resultados”, disse Daniel Seidel, um dos representantes do Movimento Ficha Limpa. Outro ponto de tensão é a tipificação dos crimes. O líder do PSOL, deputado Ivan Valente, defende que sejam delimitados exatamente quais crimes geram inelegibilidade. Segundo ele, isso evitaria que integrantes de movimentos sociais, que participam de protestos políticos, como invasões de terras e greves, sejam penalizados com a nova lei. “Somos totalmente favoráveis ao projeto. Queremos apenas g arantir que não haja injustiças”, disse Valente. Os integrantes do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral discordaram da necessidade de mudar o texto. “Se o preço for esse, é preferível aprovar o Ficha Limpa e dividir o movimento social: os que ocupam órgãos públicos não se candidatam”, disse o representante da Comissão Brasileira Justiça e Paz, Marcello Lavenère Machado.

DOMINGUEIRAS NA USEMI AGORA COMEÇAM MAIS CEDO

Um encontro de bandas de pagode vai marcar uma nova fase nas “domingueiras” da União dos Servidores Municipais de Itabuna (Usemi). A partir deste domingo (28), a animação à beira da piscina do clube começa mais cedo, às 11 horas da manhã, com serviço de bar e a oportunidade de confraternização entre os servidores. A programação deste domin go será incrementada. Além do sempre presente grupo Dak Samba, também estarão na festa as bandas Bom Batuki e Alpha Love. A construção de um palco está sendo finalizada para inauguração durante o evento. (Ricardo Ribeiro/Foto: Waldyr Gomes).

EDUARDO FONTES PROMOVE DOAÇÃO DE ALIMENTOS

O empresário Eduardo Fontes iniciou a entrega dos produtos arrecadados na 8ª Feijoada do Tarik, com a coleta este ano de mais de duas toneladas de alimentos, que estão sendo entregues às seguintes Instituições: Renascer, Abrigo Balduino de Azevedo e Albergue Bezerra de Menezes. Ele destaca que a cada ano tem aumentado a participação o público e as doações para entidades assistenciais numa festa que também tem o caráter beneficente.

COMARCA DE ITABUNA GANHA MAIS VELOCIDADE DE LINK

A Comarca de Itabuna já conta, desde ontem, com um novo link de comunicação de fibra ótica que tem a capacidade de multiplicar em até dez vezes a performance de acesso da unidade à rede interna do Poder Judiciário, bem como aos programas de acompanhamento processual. De acordo com a Comissão de Informática, o novo link confere maior velocidade, confiabilidade e segurança aos trâmites digitais e já foi testado com êxito na comarca. No dia 11 de fevereiro o sistema foi implantado na Comarca de Camaçari. A interligação através da fibra ótica também já é utilizada nas comarcas de Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Juazeiro. Ilhéus será a próxima unidade contemplada.

FICC PROMOVE INSCRIÇÕES PARA CURSOS E OFICINAS

A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) mantém abertas as inscrições gratuitas, de segunda a sexta das 8 às l2 horas, para os cursos de bateria, ballet clássico, capoeira, dança de rua, desenho, pintura, flauta doce, instrumentos de sopro, percussão, teatro, teclados, violão e dança de salão. O presidente Cyro de Matos explica que os cursos integram o calendário de atividades da fundação. As aulas começam dia 8 de março, exceto as de teatro, que terão início no dia 10. Segundo a atriz e produtora cultural Eva Lima, por sugestão do prefeito Capitão Azevedo, os cursos estão sendo descentralizados e vários deles serão realizados nos bairros Pontalzinho, Antique, Banco Raso, Fonseca, Jardim Primavera, Santo Antonio, Maria Pinheiro e Ferradas. A oficina de bateria será ministrada pelo professor Sabará; a de ballet-clássico, por Paula Mendes; capoeira, pelo mestre Valdir Rodrigues da Silva (Ninja); dança de rua, por Marcelo Lobo; desenho e pintura, por Leila Barroco; flauta doce, por Carlos Oliveira; instrumentos de sopro, com Wellington Quintas; percussão – Egnaldo França; teatro, por Marco Nô; teclados, por Juliane Ramos. Já o curso de violão será dirigido por Elvis Lustosa e o de dança de salão, por Lindamara Braga. (Kléber Torres Foto: Waldyr Gomes).

PREFEITURA IMPLANTA PROTOCOLO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS

Melhorar a tramitação de documentos na administração municipal e facilitar o rastreamento em caso de extravio. Esses são os objetivos do Sistema de Gestão de Protocolo Eletrônico de Documentos (SGPED), desenvolvido pela equipe de desenvolvimento de software da Secretaria de Planejamento e Tecnologia, que está realizando uma capacitação para os servidores municipais, visando ao correto manuseio do programa. O secretário de Planejamento e Tecnologia, Maurício Athayde, ressaltou que o novo protocolo eletrônico oferece mais transparência e agilidade para a administração pública. “O sistema proporciona o controle de toda a tramitação de documentos, além de propiciar mais conforto à população atendida, que num único local é informado sobre o andamento do seu processo, não precisando se locomover a diversos setores. Nossa intenção é otimizar o atendimento”, salienta Athayde. (Natalia Tavares).

1ª MOSTRA DA INDÚSTRIA DESTACA PRODUTOS LOCAIS

Indústrias grapiúnas ligadas aos setores de movelaria, alimentação, confecção e calçados estão participando da 1ª Mostra Industrial de Itabuna, realizada num stand na Praça Adami. A exposição se estende até o dia 9 de abril e, nesse período, mais de 40 empresas do segmento industrial vão expor seus produtos. O evento, que é promovido pela Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo, tem o objetivo apresentar os produtos confeccionados pelas empresas de pequeno e médio porte de Itabuna. Nesta primeira semana, estão sendo exibidos sofás, pufes e camas da Disgrife Estofados, além de portas e janelas da Carpintaria São Pedro. Na próxima semana, será a vez das indústrias alimentícias e, na seqüência, o público vai conhecer as confecções e calçados produzidos pelas indústrias locais. (Natália Tavares Foto: Vinícius Borges).

A NOMEAÇÃO DE LANARROSE

Chega a ser engraçado o esperneio de alguns com a nomeação da veterinária Lanarrose para o cargo de Gerente Técnica da ADAB em Itabuna. Não basta ser veterinária, militante, para ocupar a função. Precisa também não ser esposa de Gilson Nascimento, secretario de Administração da Prefeitura de Itabuna? Então, é pecado serem casados e competentes, cada qual na sua profissão? Nesta terça-feira (23), no evento Motorista TOP OURO, vi um casal de engenheiros esbanjando competência à frente dos trabalhos da Viação Águia Branca: ele, André, gerente da Águia Branca em Itabuna; ela, a esposa, especialista em engenharia ambiental, responsável pelo importante projeto daquela empresa nessa área . Trabalham na mesma empresa e na mesma regional. E daí? É preciso que as pessoas aprendam a ganhar, mas também a perder. Na política é assim: uma vez se ganha, outra vez se perde e no caso da chiadeira em questão é certamente porque perderam. (www.josiasmiguel.blog.br).

24 de fevereiro de 2010

WAGNER ABANDONA VITÓRIA DA CONQUISTA

O presidente do PMDB em Vitória da Conquista, Herzem Gusmão cobrou na terça-feira (23) do Governo do Estado, “uma solução para o abandono em que se encontra o município”, um dos maiores do Estado, que enfrenta uma onda de violência. Ele considerou positivo o trabalho da força tarefa formada pelo Ministério Público para investigar os assassinatos de 14 adolescentes e o desaparecimento de outros três, em janeiro, mas ressalta que até hoje o caso permanece sem solução. “O que está acontecendo em Vitória da Conquista demonstra o descontrole do Governo em relação à segurança pública, cabendo a responsabilidade exclusivamente ao Ministério Público”, diss e o presidente do PMDB. Pré-candidato a deputado federal, Herzem Gusmão cita outro exemplo para demonstrar o descaso do Governo Jaques Wagner em relação à segurança pública em Vitória da Conquista. Apesar de concentrar uma das maiores populações do Estado, com 320 mil habitantes e também um dos mais elevados índices de crescimento de violência, o município receberá apenas uma das 270 viaturas policiais recentemente adquiridas pelo Governo. Outro fato citado pelo presidente do PMDB é o fato da cidade ser um pólo regional e não ter nenhuma unidade de comando do sistema de segurança pública, sediada em seu território. “O comando da Polícia Rodoviária fica em Brumado, o da Polícia Militar em Itabuna e o do Corpo de Bombeiros em Feira de Santana. E isso acontece num município cujo prefeito é do mesmo partido do governador”, ressalta Gusmão. Outra crítica feita pelo presidente do PMDB de Conquista é com relação ao Instituto Médico Legal (IML) do município, que funciona em condições precárias. “Essa semana os técnicos do instituto receberam um cadáver levado pela força tarefa para investigação, mas não havia máscara nem luvas para realizar a análise. O material teve que ser comprado pelos próprios profissionais”, relatou.

ESTUDANTES DA FTC DOAM SANGUE EM TROTE SOLIDÁRIO

“Um gesto de solidariedade e amor ao próximo”. Com este tema, a Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) de Itabuna, através do colegiado de Enfermagem, promoveu ontem (24) o trote solidário com a doação de sangue para o Banco de Sangue da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna. A unidade, que assiste aos hospitais itabunenses e de cinquenta municípios vizinhos, passa por um período preocupante devido à escassez do produto. Segundo a enfermeira Lígia Rocha, em média, o Banco de Sangue precisa ter no estoque 1.600 bolsas de sangue para atender à demanda mensal. Ele explica que, mesmo com as coletas externas, a exemplo da que está sendo realizada na FTC, e as doações registradas naquela unidade não são suficientes porque nos últimos meses só foram coletadas de 900 a 1.100 bolsas. Para a enfermeira, o medo o principal motivo para a falta de doadores. “O receio de doar sangue ainda impera na sociedade, é preciso sensibilizar e conscientizar a população de que a doação de sangue é um gesto que salva muitas vidas”, afirmou. Doadora há quatro anos, a auxiliar de cozinha Marilene Silva soube da campanha da FTC no próprio Banco de Sangue. Ela compreende a doação como uma demonstração de amor ao próximo pode ajudar, inclusive, uma pessoa da própria família. “Quando soube da campanha não pensei duas vezes. Há sete meses doei sangue para uma criança que sofria de dengue hemorrágica e há pouco tempo minha mãe também precisou de bolsas de sangue. A necessidade pode estar ao nosso lado, por isso, faço a minha parte”, explicou. A iniciativa mobilizou os estudantes da Faculdade, a exemplo de Cláudia Souza, que cursa o primeiro semestre de Enfermagem. Ela, que é técnica e trabalha na área, sabe da necessidade de doação para os hospitais da região. “Sou doadora há um ano e sei o quanto é importante. No Hospital São Lucas, onde trabalho, são muitos os casos de pacientes que necessitam de bolsas de sangue. Por isso, aproveitei a oportunidade e vim doar”, pontuou. Também discente do curso de Enfermagem, Jouse Farias, que mora em outra cidade e doou sangue pela primeira vez, revelou que um parente próximo necessita constantemente de sangue, por isso, ela aproveitou a oportunidade para fazer a sua parte. “Eu já tinha vontade de doar sangue, mas na minha cidade não tive oportunidade, então aproveitei a campanha da FTC e fiz minha doação”. CONDIÇÕES: Para doar sangue é necessário ter boas condições de saúde. Ter idade entre 18 e 65 anos. Ter peso igual ou superior da 50 quilos. Ir ao local alimentado evitando alimentos gordurosos. Ter dormido pelo menos 6 horas. Não apresentar comportamento de risco (sexo e drogas) e levar à unidade de coleta RG ou documento equivalente com foto. Quem teve hepatite ou doença de chagas, malária ou sífilis, manteve relações com múltiplos parceiros, compartilhou seringas para uso de drogas injetáveis, parceiros sexuais infectadas pelo H.I.V., ou ter ingerido bebida alcoólica no dia da doação fica impedida de doar. A unidade de coleta do Banco de Sangue fica na Santa Casa de Misericórdia de Itabuna e atende nos horários das 7h às 17h de segunda a sexta e aos sábados a partir das 7h até às 11 da manhã.(Bruno Azevedo).

PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE URBANO SERÁ TEMA DE PALESTRA EM ITABUNA

A importância do planejamento do transportes urbano e a integração de serviços para população, que será objeto de pesquisa implementada a partir de março em Itabuna, serão tema de uma palestra do engenheiro Antônio Carlos Marchezetti, diretor-superintendente da Logística Engenharia e Transportes (Logitrans), a ser realizada nesta quinta-feira (25), às 18h30min, no auditório da CDL. O evento, aberto para técnicos, empresários e pessoas da comunidade, r esulta de parceria entre as Secretarias de Transporte e Trânsito (Settrans) e de Indústria, Comércio e Turismo, com a Associação das Empresas de Transportes Urbanos e Câmara de Diretores Lojistas de Itabuna. (Kléber Torres Foto: Waldyr Gomes.

EDUCAÇÃO DEFINE FINALISTAS DO CONCURSO DO HINO DE ITABUNA

A Secretaria da Educação promoveu a quarta etapa do concurso para a escolha do Hino Oficial de Itabuna. Trata-se da fase de audição do hino, que consiste na interpretação feita pelo compositor para a subcomissão da música. Comprovaram a autenticidade da composição os três finalistas da seleção: Genésio Ferreira de Sá Júnior, Carlos Antônio Correia de Oliveira e José Vicente Pires. Nesse processo, contribuíram os professores, membros da subcomissão da música, Adalmiro Leôncio da Silva, Zélia Lessa e Maria da Conceição Brandão de Sá Neto, além da professora Lourdes Bertol Rocha, que integra a subcomissão da letra. “Estamos realizando, conforme edital, uma etapa fundamental através da qual comprovamos a autenticidade autoral da composição dos hinos concorrentes”, afirma Allan Salomão, assessor de planejamento da Secretaria de Educação. (Natália Tavares Foto: Vinícius Borges).

ROTARY INTERNACIONAL COMEMOROU ANIVERSÁRIO ONTEM

A atuação do Rotary Internacional pela paz mundial e em ações no campo da saúde e da educação é motivo de elogios e reconhecimento do quanto este clube é importante na vida de milhões de pessoas no mundo inteiro. E foi esta a tônica das festividades dos 105 anos deste clube de serviço, ocorridas em solenidade realizada no Itabuna Palace Hotel, na noite de ontem (terça-feira/23). Houve realização de palestra do médico João Otávio Macêdo, que fez uma retrospectiva histórica da organização, que atua em mais de 200 países e tem mais de 1,2 milhão de associados. Foi ressaltada a campanha contra a poliomielite, de iniciativa do clube de serviço, que tem uma dimensão social ampla, uma vez que a doença provoca lesões irreparáveis e em muitos casos acaba resultando em terríveis mutilações para as vítimas. Destacou-se ainda as parcerias do Rotary com governos e empresas privadas na captação de recursos para seus programas internacionais.

LEILÃO EM ITABUNA ARRECADA R$ 406 MIL. NA 5ª, EUNÁPOLIS SEDIARÁ NOVO PREGÃO

Um conjunto de terrenos no Loteamento Jardim Guanabara, em Vitória da Conquista, com aproximadamente 500 m², foi o bem de maior valor (R$ 145 mil) arrematado no leilão que o TRT5 realizou hoje, dia 23, em Itabuna. Dos 160 lotes levados ao pregão, 51 foram arrematados, no valor total de R$ 406,3 mil. Outros dois lotes foram adjudicados e 12 retirados do leilão por ter havido pagamentos e acordos entre as partes envolvidas nos processos. O lote 62, que trazia a oferta de um terreno m edindo 96 mil m² na Rodovia Ilhéus/Uruçuca, com lance mínimo de R$ 450 mil, não encontrou comprador. Já na próxima quinta-feira, dia 25, acontece o primeiro leilão promovido este ano pelo TRT5 em Eunápolis. O evento terá lugar no Hotel Portal, em Pequi. A hasta pública vai oferecer 63 lotes, dentre eles o 24, que oferta um terreno com um hotel construído, medindo 10 mil m², situado em Taperapuã, Porto Seguro. O bem, avaliado em R$ 1,9 milhão, pode ser arrematado a partir de R$ 584 mil. Para participar dos leilões, os interessados podem se cadastrar no site do Projeto Leiloar (www.projetoleiloar.com.br), onde é possível acessar os editais com todos os lotes disponíveis. Quem quiser, também pode se inscrever para o pregão até uma hora antes, no local de realização de eventos. (Fàbio Luciano).

ITABUNA NÃO CRIOU NENHUM EMPREGO

Itabuna voltou a registrar um desempenho ruim na geração de empregos com carteira assinada. Os dados divulgados pelo Ministério do Trabalho revelam que em janeiro as empresas do município não criaram uma única vaga. A construção civil até que registrou saldo de 28 empregos no mês passado. O comércio contribuiu com 11 vagas. Só que os setores de serviço e agropecuária eliminaram 38 postos de trabalho. Foi o segundo mês consecutivo em que Itabuna apresentou resultado ruim. Em dezembro, o saldo de empregos formais ficou negativo em 266 vagas. Enquanto Itabuna não consegue se recuperar da crise, Ilhéus vem registrando seguidos saldos positivos na abertura de postos de trabalho. Em janeiro, o saldo foi de 194 vagas, com destaque para os setores de serviços e comércio. Também a indústria de transformação e a administração pública. O setor de serviços ficou na primeira posição, com saldo de 67 postos de trabalho. A agropecuária e a construção civil, juntas, eliminaram 23 vagas no mês passado. No acumulado de 12 meses, o saldo é de 805 empregos formais em Ilhéus.

LÍDER DO PMDB CRITICA PROPAGANDA FALSA E DISCURSO DE HERANÇA MALDITA DO GOVERNO

O líder do PMDB na Assembleia Legislativa, deputado Leur Lomanto Jr. criticou durante pronunciamento na sessão plenária desta terça-feira (23/02) a política de segurança pública do governo e ressaltou que as propagandas apresentadas pela gestão Wagner falseiam a realidade atual do estado. O parlamentar condenou o discurso de “herança maldita” usado pelo governador e seus aliados para explicarem a onda de violência na Bahia. Conforme Leur Jr., a Bahia passa pelo grave problema de segurança por falta de ações prioritárias do governo. “De que adianta o governo entregar viaturas novas se os policiais continuam sendo mal remu nerados e as delegacias estão abandonadas”, questionou, citando o número preocupante de homicídios, noticiado em jornais da cidade. O deputado censurou a postura da bancada governista que justifica os números da criminalidade, alegando que essa é uma realidade que se arrasta há muitos anos. “Sabemos que a violência é um problema antigo, mas vale ressaltar que ela vem aumentando a cada dia. Portanto não adianta discurso, pois o que a população quer é uma solução. O que precisamos é de um governo que gaste menos com propaganda e invista em segurança”, frisou. Ainda durante o discurso, Leur Jr. citou as deficiências na área de educação com cerca de 600 escolas fechadas e precisando passar por reformas e na área da saúde com os casos de meningite. “Falta uma política efetiva para se combater as doenças e prevenir a população. Falta vacina e investimentos nos hospitais”.

FTC ENTREGA CERTIFICADOS ÀS EQUIPES RONDONISTAS

A Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) de Itabuna entregou esta semana certificados aos alunos e professores que participaram, em janeiro último, do Projeto Rondon, que tem como foco a integração social a partir da participação voluntária de estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes. Este ano, a FTC participou do projeto com 18 alunos e 5 professores divididos em 3 grupos. As cidades de Barrocas, Macajuba e Mairi foram escolhidas pelo Ministério da Defesa para sediar o projeto através da FTC. A professora Valéria Ettinger, uma das coordenadoras das equipes rondonistas da FTC, c ontou como foi a experiência de participar novamente das operações do projeto. “Já é o segundo Rondon que participo. Este projeto nos faz ter uma renovação de cidadania porque nos proporciona vivenciar ambientes diferentes, poder mudar a realidade de pessoas que necessitam e ainda aprender com cada uma delas é maravilhoso”, afirmou. O aluno do nono período de enfermagem, Jelber Manzoli, também concorda que o Projeto Rondon é um exercício de cidadania. Ele que esteve na cidade de Mairi, contou como alguns casos marcaram não só suas atividades como estudante, mas também, como cidadão. “Cuidamos de muitas crianças com desnutrição protéica o que acarretava também problemas de pele. A pobreza dos lugares onde estivemos realmente nos preocupou. Mas desempenhar tudo o que aprendemos na faculdade com o propósito de ajudar as pessoas é uma experiência de vida e de cidadania”, pontuou. Na solenidade foi entregue à Faculdade os troféus das três equipe s que participaram do projeto. O professor Cristiano Lobo, diretor-geral da FTC parabenizou as equipes e elogiou a atuação dos rondonistas. “Estou muito feliz com os resultados das três equipes nas cidades visitadas. Quando estive em Feira de Santana para a solenidade de abertura vi que estes alunos estavam realmente determinados a fazer um excelente trabalho e não foi diferente. A todos que estiveram envolvidos neste projeto, meu parabéns”, elogiou. A diretora acadêmica da Faculdade, professora Raildes Pereira, e a Gerente de Avaliação Institucional da Rede FTC, professora Eleuda Coelho, também estavam presentes no evento. (Bruno Guimarães).