31 de julho de 2012

JUÇARA É CANDIDATA DE WAGNER

Embora haja um esforço descomunal para evitar que a candidata petistas, Juçara Feitosa, seja relacionada ao governador Jaques Wagner, o fato é que ambos estão no mesmo palanque e compartilham dos mesmos ideais. Consequentemente, eles comungam dos mesmos posicionamentos e são referências de judiação contra servidores públicos do Estado e contra a cidade de Itabuna. Para a candidata petista, devem ser dirigidas todas as manifestações de indignação do povo itabunense, contra o sucateamento do Departamento de Policia Técnica-DPT e abandono das obras do Centro de Convenções e Teatro de Itbauna. É sobre a candidatura de Juçara, que devem recair o protesto dos itabunense contra o abandono a que Wagner submeteu Itabuna, com degeneração dos serviços de saúde pública de alta e média complexidade e a situação de calamidade em que se encontra a segurança na cidade. E nem necessita mencionar o que significa a prefeitura sob comando de gangsteres da Máfia do IPTU, Quadrilha das Mochilas, Máfia das Empresas Fantasmas e Notas Frias e deputado vendedor de emendas parlamentares. Contra Wagner, Juçara é o voto de revolta.

DEPUTADOS SUPÉRFLUOS

Políticos como Ângela Souza e Jota Carlos nem sabem que a função principal de um deputado estadual, no exercício do cargo, é legislar, propor, emendar, alterar e revogar leis estaduais. Além de fiscalizar as contas do governo estadual, criar Comissões Parlamentares de Inquérito e outras atribuições referentes ao cargo. Eles também demonstram não saber nada sobre respeito á quem o elegeram e reelegeram. Mais de 20% do eleitorado itabunense votaram neles e Itabuna foi abandonada por eles. Deram as costas e traíram todos que acreditaram em suas promessas de trabalharem para trazerem obras e verbas para Itabuna. Falham na função de legislar, pois não há nenhuma lei de autoria de um dos dois e nunca propuseram algo que proporcionasse dignidade do governador Jaques Wagner, em lembrar que nossa cidade não pode permanecer tão judiada e menosprezada pelo Governo do Estado, a quem eles servem. O fato é que ambos não servem, sequer, para serem porteiros, copeiros, ou faxineiros de gabinete de deputado estadual merecedor dos nossos aplausos.

GREVE DE PROFESSORES DERRUBA APROVAÇÃO DE WAGNER

Criado no coração do sindicalismo, o Partido dos Trabalhadores já deu aula de greve. Hoje, do outro lado do balcão, leva bomba em matéria de negociação. Os mais de 100 dias de paralisação dos professores trouxeram prejuízo às avaliações do governo do estado e do governador. Para os soteropolitanos, segundo pesquisa do Instituto Futura em parceria com o CORREIO, o índice dos que consideram ruim ou péssima a gestão Jaques Wagner (PT) pulou de 36,1% em abril, quando começou o movimento grevista, para 69,1% em julho. O efeito greve também respingou nas barbas da popularidade do governador, que viu cair sua avaliação positiva de 23,6% (bom/ótimo) em abril para 9,3% neste mês. A reprovação cresceu de 35,9% para 65,9% no mesmo período. A pesquisa CORREIO/Futura revela que para 87,7% dos entrevistados, a qualidade do ensino público é hoje o pior problema do estado, acima da saúde (ruim e péssima para 83,2%) e da segurança (73,9%), entre as atribuições estaduais com avaliações mais críticas. A condução do governo estadual na greve da Polícia Militar no início do ano é melhor avaliada (49,9% de aprovação x 46,1% de reprovação) do que na paralisação dos professores (51,6% desaprovaram) . Para 86,7% dos entrevistados, o governo deveria atender às reivindicações dos professores. O apoio ao movimento, entretanto, também não é unânime em Salvador. A população está dividida: 52,9% são a favor e 44,6% são contra. No universo pesquisado, 66,2% ou estudam ou têm alguém da família na rede pública estadual. Neste público, a greve também dividiu os entrevistados: 50% a favor e 49,2% são contra. A má avaliação do governo baiano em julho é equilibrada entre os sexos : homens (70% ruim/péssimo) e as mulheres (68,5%) e mais crítica nas maiores faixas etárias, com reprovações de 74,7% entre quem tem de 40 a 49 anos e 73,4% de 50 a 59 anos. O desgaste após os três meses de greve foi um pouco menor entre os mais jovens: 59,4% entre 16 a 19 anos. Na divisão por classes sociais, a avaliação negativa da gestão estadual em julho cresce nas classes A/B, com 80,7% de ruim e péssimo contra 67,4% nas D/E. A nova classe média é um pouco mais generosa: 64,9% de reprovação. É ali que o governo estadual tem seu melhor desempenho com 13,8% de aprovação. Nas classes A/B, este índice cai para 5,3% de ótimo/bom, com 8,7% de aprovação nas faixas D e E. A pesquisa CORREIO/Instituto Futura foi realizada entre os dias 16 e 19 deste mês, com 399 entrevistas em Salvador. A margem de erro é de 4,9%. (Sergio Costa, Correio, por Risomar Lima).

TRE JÁ REGISTROU 3584 CANDIDATURAS IMPUGNADAS NA BAHIA

Já chega a 3584 o número de ações de impugnação de registro de candidatura, propostas pelos membros do Ministério Público Eleitoral (MPE) na Bahia para as eleições 2012. O indicativo, registrado pela Procuradoria Regional Eleitoral na Bahia (PRE/BA) na sexta-feira (27), ainda é parcial. As informações, enviadas pelas unidades em todo o estado, ainda chegam à PRE e o número deve subir. As ações, contra candidatos a prefeito e vereadore de diversos municípios baianos, foram ajuizadas pelos promotores eleitorais na Justiça de primeira instância. Segundo o procurador Regional Eleitoral Sidney Madruga, o quantitativo parcial reflete o intenso trabalho realizado pelos promotores eleitorais na Bahia e o empenho do Núcleo de Apoio às Promotorias de Justiça Eleitorais do Estado da Bahia na fiscalização das normas nas eleições de 2012. A partir das decisões dos juízos zonais e recursos, os processos podem ser encaminhados para o Tribunal Regional Eleitoral (2ª instância), quando a PRE passará a atuar nos casos. A intenção do MPE é buscar o cancelamento de candidaturas com base nos critérios da Lei da Ficha Limpa e da Lei Complementar 64/90. As impugnações foram: geradas principalmente por analfabetismo, desincompatibilização, contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Tribunal de Contas da União (TCU), desrespeito à cota de gêneros, filiação partidária, quitação eleitoral, domicílio eleitoral e ficha limpa. (www.bahianoticias.com.br).

30 de julho de 2012

POLÍTICO E ELEITOR COM FICHA SUJA PREJUDICAM ITABUNA

Existe uma premissa básica disseminada que nos faz acreditar que todos os políticos são por excelência, corruptos. E em épocas de eleições esse assunto torna-se ainda mais evidente e a discussão torna-se imprescindível. Assim, a generalização, não ajuda separar o trigo do joio. Se não existe a devida separação a democracia se enfraquece. A corrupção é um crime que precisa necessariamente de pelos menos dois agentes para concretizar os fatos que caracterizam o suborno: o corrupto e o corruptor. Um comprador e um produto. Nesta comparação a pureza ou a ignorância não podem ser argumentos em caso de existirem uma forma de defender-se. O corrupto, pela própria definição é o agente que cria o ambiente, para corromper seus próprios princípios; ele, por sua natureza fraca é um “adúltero”, no sentido metafórico da palavra, um viciado que se deixou subornar para obter alguma recompensa ou vantagem. Em épocas de eleições, corrupto é o eleitor que vendeu o seu voto em troca de algum dinheiro ou algum benefício em forma de assistencialismo ou algum benefício individual em detrimento do coletivo. Todo cidadão e cidadã que não valoriza seu voto tende a se tornar um corrupto em potencial. O corruptor, por outro lado, é o agente que corrompe; o subornador, aquele que pelo poder financeiro ou político que ostenta é capaz de “comprar” a “consciência e a liberdade do outro”. Em épocas de eleições, corruptor é o famoso candidato que tenta se eleger, ou o que é pior, muitas vezes se elege, comprando votos ou comprando a consciência alheia com uso de dinheiro, combustível, benefícios indiretos, assistencialismo, promessa de cargos e outras honrarias. Quando o corruptor, não respeita os limites da lei, torna-se “o patrão” da consciência dos outros. E quando a Justiça não pune o corruptor, lamentavelmente tende a crescer as estatísticas dos antiéticos na política. Como se pode ver, os corruptos e corruptores andam de mãos dadas e quem perde é, inevitavelmente, a sociedade do bem, o trabalhador honesto, aquele que paga seus impostos em dia, ou seja, a sociedade em geral. Quem perde é você caro cidadão e cidadã que por não denunciar o político ficha suja cria “monstros” que denigrem a imagem social dos cidadãos honestos. O eleitor corrupto e o político corrupto que suborna a vontade do eleitor, e este por sua vez, depois de vender o seu voto, encerra ali mesmo sua participação no processo democrático, porque como já fora recompensado, não terá direito de exigir mais nada do candidato que ajudou a “eleger injustamente, contra sua vontade”; e mesmo que tenha perdido “o voto” e o seu “candidato” tenha perdido as eleições, o direito de exigir alguma coisa do poder público se extingue pelo simples fato de ter sido recompensado antes das eleições. A corrupção é tão “demoníaca” que, se os cidadãos e cidadãs honestos ficarem calados, tende a crescer e se multiplicar. O comprador de votos, no início do processo denominado de corruptor, uma vez eleito certamente tentará tirar proveito no uso de suas atribuições como agente público e se tornará corrupto às demandas dos agentes corruptores, que podem ser empresários ou gestores de empresas ou gestores de grupos religiosos ou líderes de grupos étnicos ou líderes de quaisquer outros grupos de interesse. O corrupto, não é movido por uma escala de valores e sim pelo seu desejo desenfreado de usufruir o poder, um poder “comprado” às vezes por tão baixo preço. A corrupção política desmoraliza todo o processo e todo o esforço democrático para alcançarmos uma Itabuna melhor e mais justa. Os agentes, corruptos e corruptores, usam as coisas públicas e coletivas para os quais foram eleitos para se beneficiarem particularmente. A sociedade tem somente uma forma justa e democrática para se livrar desse “câncer social” que é a corrupção política: votar com a consciência limpa e jamais vender, trocar ou negociar o que a democracia lhe dá de direito, o VOTO. Itabuna exige cidadãos e cidadãs corajosos, honestos e responsáveis. Por que a corrupção do contrario, continuará criando aquele estigma tão aberrante de que a política “não é uma nobre vocação”, isso sim que é preocupante.

DEPUTADO PROPÕE SELO VERDE PARA AS LAVOURAS DE CACAU

Está tramitando na Câmara dos Deputados projeto de lei (3665/12), do deputado federal, Félix Mendonça Júnior (PDT), que cria o Selo Verde para as lavouras de cacau. A idéia é criar um Selo Verde Cacau Cabruca para assegurar a importância da sustentabilidade nas plantações nacional de Cacau. O Cacau-Cabruca é um sistema ecológico de cultivo agroflorestal. Para obter o Selo Verde, as fazendas cacaueiras deverão seguir critérios que asseguram a preservação das áreas de lavoura. O principal é plantar o cacaueiro à sombra das Reservas Atlânticas, de modo que preserve a mata. Na Bahia estima-se que 70% da produção do cacau já seguem essa técnica de plantio. De acordo com o projeto, a responsabilidade pela fiscalização das plantações do Cacau Cabruca será do órgão ambiental, que seguirá as especificações da legislação ambiental vigente. O Selo terá validade de dois anos, após esse período será inspecionado pelo órgão e se ainda estiver dentro das normas poderá ser renovado. Em caso de descumprimento das regras especificas no texto o cultivador perderá o Selo Verde de certificação. O parlamentar argumenta que tais medidas irão valorizar o Cacau, produto em destaque no cenário mundial, e beneficiar os produtores que passam a ter mais facilidade em fidelizar o consumidor através da qualidade do produto, além de contribuir de forma positiva para a preservação ambiental. “Podemos atrair novos negócios em um mundo que consome cada vez mais influenciado por exigentes critérios sociais e ambientais, sem deixar de preservar as nossas reservas, que é o mais importante”, afirma Félix Júnior.

WAGNER É VAIADO POR PROFESSORES AO SAIR DE MISSA EM CAMAÇARI

Hoje pela manhã, o governador Jaques Wagner (PT) foi vaiado por professores da Rede Estadual de Ensino ao sair da missa dominical realizada na Catedral, na Praça Desembargador Montenegro, em Camaçari. O governador estava acompanhado do presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), e do seu candidato ao cargo de Chefe Executivo Municipal, Ademar Delgado (PT). “O nosso objetivo é deixar visível para a comunidade baiana e, claro, camaçariense, que estamos vivendo um estado ditatorial, que tem como executor o atual governador e todos aqueles que, políticos como ele, se omitem ou deturpam a triste realidade que a educação baiana vive. Portanto, com as faixas de manifesto, nos colocamos diante dele hoje. Isto se chama democracia. É a indignação à intransigência que o governador comete em não sentar à mesa pra negociar”, declarou o professor Alexandre Almeida, que participou do manifesto. (Risomar Lima).

RESPONSABILIDADE COM A SEGURANÇA, QUE AO MESMO TEMPO É DE TODOS, NÃO É DE NINGUÉM

Os estudiosos já tratam a violência urbana como qualquer outra ameaçadora doença da sociedade moderna. Quando a violência, a exemplo de uma doença, extrapola os parâmetros definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), passa a ser tratada como epidemia. Na conta da violência, os limites tolerados pela OMS são os seguintes: quando a taxa ultrapassa 10 homicídios por grupo de 100 mil habitantes, o caso é de epidemia. Em Itabuna este índice é multiplicado por 10. Vivemos então, uma pandemia. A cronologia da violência mostra que durante os dois mandatos do governo Jaques Wagner as taxas de homicídios nunca apontaram tendência de queda, como insiste em afirmar a “décima quinta suplente de senadora” e candidata a prefeita de Itabuna, Juçara Feitosa, esposa do deputado Geraldo Simões (PT), que é acusado de vender emendas parlamentares e muitos outros crimes. Uma informação alarmante para os itabunenses é que a violência não está restrita ao grupo etário de crianças e jovens. A violência em Itabuna, até por conta das suas características pandêmicas, afeta todos os segmentos da população. Itabuna ocupa a quarta posição na lista nacional dos municípios mais violentos. Mais duas cidades baianas ocupam esta lista macabra: Simões Filho e Lauro de Freitas. Essa situação perdura há mais de cinco anos. Sem falar na violência contra as mulheres. Ao contrário dos discursos do atual governo, as curvas de homicídios ainda não deram qualquer sinal de queda nos últimos anos, como ocorreu com outros estados na última década. Não há nada de “mágico” no extraordinário resultado alcançado pelos governos estaduais que conseguiram diminuir os índices de crimes em seus estados. O que houve foi trabalho. Estado como São Paulo diagnosticou as causas da violência e desenvolveu programas capazes de dar uma resposta efetiva para o problema. O Estado da Bahia ainda está longe de seguir a lição de São Paulo. Muito pelo contrário, uma campanha publicitária lançada há poucas semanas pelo governo do Estado faz a ligação direta entre drogas e violência. Uma maneira fácil de explicar para a sociedade os altos índices de homicídios. Ao simplificar que o narcotráfico é a principal causa da violência, o governo elege a droga como a inimiga imaginária de todos e passa a dividir a responsabilidade com todos os segmentos da sociedade civil. É aquele tipo de responsabilidade que ao mesmo tempo é de todos, mas não é de ninguém. Às vítimas das drogas – geralmente jovens pobres e negros das periferias -, resta ao governo lamentar a escolha infeliz que resultou em mais uma morte. Enquanto isso os jornais publicam que “mais um jovem foi assassinato, provavelmente por estar envolvido com o tráfico de drogas”. Já parte da sociedade prefere festejar do seu jeito: “um a menos”. Essa estratégia de transferir o problema da violência para as drogas, é um caminho perigoso. A população fica com a idéia de que é melhor que se mate mesmo, já que não se gasta dinheiro público com aqueles que já estão mortos. Considerável parte dos casos que redundam em violência entre crianças e jovens têm suas raízes no núcleo familiar e nas redes de relação de vizinhança. E pergunta aos governantes que insistem em fazer a ligação direta droga-violência: “Estariam então todos envolvidos com as drogas?”

NA BAHIA, ELEIÇÃO JÁ ESTÁ DECIDIDA EM TRÊS MUNICÍPIOS

Nas eleições municipais deste ano haverá apenas um candidato a prefeito em 122 cidades em todo o Brasil. É o caso, por exemplo, de Mato Queimado (RS), onde o resultado da eleição municipal de outubro já é conhecido mais de dois meses antes da contagem dos votos. Curiosamente, o cenário se repete há quatro pleitos. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Minas Gerais é o estado com o maior número de cidades com candidatos únicos. Em seguida, aparece o Rio Grande do Sul. Na Bahia, três municípios engrossam a lista do TSE. Os eleitores das cidades de América Dourada, Ibipeba e Lafaiete Coutinho terão apenas uma opção de voto para prefeito nas eleições de 2012. Os cartórios eleitorais registraram candidaturas únicas para ocupar as respectivas prefeituras, o que antecipa o cenário político municipal das localidades. Com 15.961 habitantes, a cidade de América Dourada, que fica a 430 km de Salvador, tem como candidato único à prefeitura o atual vice-prefeito do município, Joelson Cardoso do Rosário (PT), da coligação “América de Todos”. Em Ibipeba, a 515 km da capital baiana, que possui 17.021 habitantes, o único candidato é Israel Chaves Lelis (PP), que em 2008 concorreu e perdeu para o atual prefeito, Nei Amorim de Souza. Neste ano, os partidos dos antigos rivais se uniram e lançaram a candidatura única de Israel. Em Lafaiete Coutinho, cidade a 365 km de Salvador, com população estimada em 3.901 habitantes, o único candidato é o atual prefeito Zenildo Brandão Santana (PP), conhecido como “Zé Cocá”. Dados do TSE mostram que a falta de disputa alcança o equivalente a 2,2% dos municípios brasileiros nas eleições deste ano. No pleito passado, em 2008, 180 municípios escolheram seus prefeitos sem disputa. Os números oscilam a cada eleição, sem uma tendência de crescimento ou de queda. É um fenômeno suprapartidário: os candidatos únicos desta eleição estão filiados a nove partidos diferentes. Os dados do TSE revelam também que, onde vai haver disputa, os candidatos declararam a intenção de gastar R$ 11,9 bilhões para ser eleitos. O orçamento das campanhas de prefeitos equivale à metade dos gastos do programa Bolsa Família, de distribuição de renda, durante o ano. Com informações do Estadão.

PROGRAMA DE AIDS NO PAÍS ENFRENTA FALHAS E PRECISA SER 'REPLANEJADO'

Apesar de ser tido como um modelo de política de saúde pública no exterior, o programa brasileiro de tratamento e prevenção da Aids vive uma fase de declínio e precisa de um "replanejamento", alertam especialistas do setor. "O programa brasileiro tem que ser revisitado. Deve haver uma reflexão profunda sobre a nova realidade da epidemia do país, e um redesenho das estratégias com vistas ao acesso universal (ao tratamento)", diz Pedro Chequer, coordenador no Brasil do Unaids, o programa da ONU contra a Aids. "Não podemos ficar na percepção de que o programa caminhou bem e está bem. Temos desafios novos e eles têm de ser enfrentados." O Programa Nacional DST/Aids começou a chamar a atenção do mundo em 1996, quando o Brasil se tornou o primeiro país em desenvolvimento a determinar, por lei, o acesso universal à terapia antirretroviral. Entre 2003 e 2005, o modelo brasileiro foi reconhecida por prêmios da Fundação Bill e Melinda Gates, da Organização Mundial da Saúde e da Unaids. Os resultados costumam ser apresentados em encontros internacionais, como a Conferência Internacional de Aids, em andamento até sexta-feira em Washington. PROBLEMAS - A imagem positiva se mantém, mas o aumento das denúncias de organizações da sociedade civil vem alertando para uma realidade mais dura no âmbito local. Entre os problemas que vêm sendo apresentados estão falta de médicos, leitos e exames para os pacientes; de medicamentos para tratar doenças causadas pelos antirretrovirais; de recursos para ONGs; bem como episódios de desabastecimento do coquetel em postos de saúde, obrigando os pacientes a interromper o tratamento. Para Eduardo Gomez, pesquisador da Universidade Rutgers de Camden, em Nova Jersey, a história de sucesso do programa brasileiro de Aids entrou em declínio nos últimos anos por fatores como a saída de recursos internacionais e o enfraquecimento da relação entre o governo e a sociedade civil. "Historicamente, o programa de Aids brasileiro tinha uma conexão forte com as ONGs, mas agora elas estão sem recursos e sem motivação. O governo precisa delas para conscientizar populações difíceis de atingir", diz Gomez, que pesquisa o sistema de saúde público brasileiro. "DESMANTELAMENTO" - Para o psicólogo Veriano Terto Júnior, coordenador-geral da Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (Abia), houve um desmantelamento na resposta brasileira à Aids. "As pessoas estão morrendo, as ONGs estão fechando as portas, os hospitais estão terríveis e o governo federal está censurando suas próprias campanhas", afirma. Ele se refere a dois episódios recentes nos quais o governo federal decidiu rever campanhas sobre a prevenção do HIV. As mudanças foram vistas como uma atitude conservadora, motivada por pressão, sobretudo, de grupos evangélicos. Na estatística nacional, a epidemia da aids alcançou um estágio de relativa estabilidade, atingindo cerca de 0,6% da população. Porém, a cada ano mais de 30 mil pessoas são infectadas - no ano passado, foram 33 mil. A epidemia cresce no Norte, no Nordeste e no Sul. Pedro Chequer lembra que havia dúvidas sobre a capacidade do Brasil de financiar uma oferta universal de antirretrovirais. Hoje, o país investe cerca de R$ 1,2 bilhão no programa por ano, e este orçamento conta com apenas 0,25% de recursos internacionais. ALCANCE - Mas o fato de a oferta ser universal não significa que alcance todos os soropositivos. O Ministério da Saúde estima que 250 mil brasileiros tenham o vírus sem que saibam. "Nosso investimento é para reduzir esse número, ampliar o número de diagnósticos e aumentar o número de pessoas em atendimento", afirma Eduardo Barbosa, diretor adjunto do departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde. "Vamos ter que trabalhar para absorver esse novo grupo de pessoas na rede." À medida que aumenta a longevidade de pessoas soropositivas, aumenta a demanda sobre a rede de saúde pública, já que os pacientes não precisam apenas do tratamento antirretrovirais. A terapia prolongada com o coquetel da aids pode causar uma série de efeitos colaterais, como diabetes, danos órgãos vitais e lipodistrofia (uma mudança na distribuição de gordura pelo corpo). No tratamento dessas doenças, pacientes esbarram em problemas típicos da rede pública: falta de leitos, falta de remédios, falta de médicos. O programa nacional foi descentralizado em 2003, e desde então conta com Estados e municípios para executar as políticas na ponta. "Ainda temos vários gargalos a serem resolvidos. Os hospitais estão realmente sobrecarregados e acabam tendo dificuldade para o agendamento (de consultas)", diz Barbosa. "Hoje, nosso grande investimento é para o atendimento ter uma fluidez maior. Em alguns lugares ainda temos dificuldades, como o Rio de Janeiro." SEM RECURSOS - No braço carioca do Grupo Pela Vidda, a visita da BBC Brasil durante um encontro de ativistas desencadeia uma sessão de denúncias. Todos soropositivos, eles vêm sofrendo na pele problemas como a falta exames para monitorar a efetividade do tratamento. Os exames para testar a imunidade e a carga viral devem ser feitos a cada três ou quatro meses, informa o Ministério da Saúde. No Rio, eles dizem conseguir fazer em média uma vez por ano, e muitas vezes têm o tratamento modificado pelo médico "às cegas", sem ter o resultado do exame para guiar a mudança. Apesar da importância que tiveram na elaboração da resposta nacional à aids, ONGs como a Abia e a Pela Vidda sobrevivem com dificuldades, e muitas estão fechando as portas. Os motivos são plenos de contradições. O Brasil cresceu e pulou de categoria: passou de país de baixa e média renda para nação de alta e média renda, e deixou de ser elegível para doações de instituições filantrópicas. Passou de receptor a doador. As ONGs se queixam de que o governo não compensou por essa fuga de capitais, e elas ficaram sem recursos. O problema maior, entretanto, parece ser que os recursos disponíveis não chegam a elas. Eduardo Barbosa diz que o governo federal repassa R$ 10 milhões por ano para projetos de ONGs, mas parte da verba fica parada. "Existe uma grande dificuldade dos Estados de fazer parcerias com as ONGs por conta de problemas de certificação", diz. Pedro Chequer estima que aproximadamente R$ 150 milhões destinados às ONGs estejam parados nos cofres dos Estados, acumulados. "Há necessidade de mais dinheiro, mas Estados e municípios não têm capacidade operativa de usar os recursos que o governo federal repassa. Isso é grave, sinaliza um descaso com a saúde pública. Recurso parado significa postergar a ação, às vezes ao ponto de o paciente ter um diagnóstico tardio. Um diagnóstico tardio é uma grande perda", diz.

MEDITANDO O EVANGELHO DE DOMINGO

Domingo é um dia para ser celebrado, eis que, por ser dia de descanso do trabalho, temos mais tempo para AGARDECER AO DEUS DA VIDA por seu interesse por nós que nada fazemos para merecer tão grande dádiva. Voltando nossa atenção para o evangelho de hoje, conhecido como "a multiplicação dos pães", episódio em que Jesus sacia a fome daqueles que o seguiam, fazendo com que estes queiram aclamá-lo rei. Mas é esse mesmo povo que hesita e muda. Não se manifesta quando Jesus é preso. Perdeu as ilusões. A sua confiança precisava de segurança e de impressão de força. Assim reage a maioria de nós, ditos crentes, diante do sofrimento natural à vida humana: Perdemos a fé, nos distanciamos de Deus. E isso ocorre porque, de fato, não o conhecemos. Aproveitemos esse domingo, parada para o descanso e contemplação do nosso ser diante do nosso Criador para pedir-Lhe: QUE EU VOS CONHEÇA SENHOR, E ME CONHEÇA A MIM MESMO! - Dia Litúrgico: Domingo XVII (B) do Tempo Comum. EVANGELHO (Jn 6,1-15): Naquele tempo Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, ou seja, de Tiberíades. Uma grande multidão o seguia, vendo os sinais que ele fazia a favor dos doentes. Jesus subiu a montanha e sentou-se lá com os seus discípulos. Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus. Levantando os olhos e vendo uma grande multidão que vinha a ele, Jesus disse a Filipe: «Onde vamos comprar pão para que estes possam comer?». Disse isso para testar Filipe, pois ele sabia muito bem o que ia fazer. Filipe respondeu: «Nem duzentos denários de pão bastariam para dar um pouquinho a cada um». Um dos discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse: «Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas, que é isso para tanta gente?». Jesus disse: «Fazei as pessoas sentar-se». Naquele lugar havia muita relva, e lá se sentaram os homens em número de aproximadamente cinco mil. Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes. Depois que se fartaram, disse aos discípulos: «Juntai os pedaços que sobraram, para que nada se perca!». Eles juntaram e encheram doze cestos, com os pedaços que sobraram dos cinco pães de cevada que comeram. À vista do sinal que Jesus tinha realizado, as pessoas exclamavam: «Este é verdadeiramente o profeta, aquele que deve vir ao mundo». Quando Jesus percebeu que queriam levá-lo para proclamá-lo rei, novamente se retirou sozinho para a montanha. COMENTÁRIO: Rev. D. Pere CALMELL i Turet (Barcelona, Espanha). UMA GRANDE MULTIDÃO O SEGUIA - Hoje, podemos contemplar como se forja no nosso interior tanto o amor humano como o amor sobrenatural, já que temos um mesmo coração para amar a Deus e aos outros. Geralmente, o amor vai abrindo passo no coração humano quando se descobre o atrativo do outro: sua simpatia, sua bondade. É o caso do «rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixes» (Jn 6,9). Dá a Jesus tudo o que leva, os pães e os peixes, porque se deixou conquistar pelo atrativo de Jesus. - Descobri o atrativo do Senhor? A continuação, o enamoramento, fruto de sentir-se correspondido. Disse que «muita gente o seguia porque viam os sinais que ele realizava nos enfermos» (Jn 6,2). Jesus os escutava, os obedecia, porque sabia o que eles necessitavam. Jesus Cristo sente um poderoso atrativo por mim e quer minha realização humana e espiritual. Ama-me tal como sou, com minhas misérias, porque peço perdão e, com sua ajuda, continuo esforçando-me. «Jesus percebendo que tentavam vir tomá-lo pela força para proclamá-lo rei, fugiu novamente ao monte Ele só» (Jn 6,15). E lhes dirá no dia seguinte: «Em verdade, em verdade vos digo: vós me buscais, não porque hás visto sinais, e sim porque hás comido dos pães e vos hás saciado» (Jn 6,26). Santo Agustinho escreve: «Quantos há que procuram Jesus, guiados somente por interesses temporais! (...) apenas se procura a Jesus por Jesus». A plenitude do amor é o amor de doação; quando se quer o bem do ser amado, sem esperar nada em troca, mesmo que seja ao preço do sacrifício pessoal. Hoje, eu posso lhe dizer: «Senhor, que nos fazes participar do milagre da Eucaristia: pedimos que não te escondas, que vivas conosco, que te vejamos, que te toquemos, que te sintamos, que queiramos estar sempre ao teu lado, que sejas o Rei de nossas vidas e de nossos trabalhos» (São Josémaria, por Rita de Cássia Arcanjo dos Santos).

29 de julho de 2012

A DESCULPA ESFARRAPADA DA EXCLUSÃO DE WAGNER DA PROPAGANDA PETISTA

Há um adágio que diz da desculpa de macaco ser banana verde, para explicar algo incompreensível. E para tentar convencer sobre o que jamais pode ser revelado, algumas pessoas cometem o despautério de utilizar-se de palavras que não vão fazer a cabeça de ninguém; por mais cabeça de pitu que seja o imbecil. Para explicar as ausências das imagens do governador Wagner e do deputado Ficha Suja Geraldo Simões das peças publicitárias, a candidata a prefeita de Itabuna, Juçara Feitosa (PT), alegou que a eleição deste ano será focado na “vez da mulher”, já que a presidenta é Dilma, e a chapa é formada por mulheres. É claro que a reserva de suplente de prefeiturável (terceira na disputa) não seria sincera em assumir que Wagner e Geraldo são nestas eleições, iguais a calo no pé; chute nos testículos; malas sem alça, peido em cabine de elevador e não recomendáveis para captação de votos. DESCULPAS ESFARRAPADAS - Você já percebeu que a grande maioria das pessoas, sempre que não consegue realizar seus objetivos arruma uma desculpa? O pior, é que usam desculpas que não servem pra nada. Uma desculpa por não cumprir a meta, por não fazer o prometido, em momento algum ajudará na finalização do objetivo. Ser pragmático é encontrar um meio, é resolver ao invés de dar uma desculpa. Ser pragmático é incomodar pessoas que estão acostumadas a empurrar a vida com a barriga. Quando você não faz o máximo para conseguir o que deseja, você não incomoda ninguém; leva uma vida mediana. Quem vive de maneira mediana é medíocre, e quem arruma desculpas para tudo está vivendo desta forma. Desculpas esfarrapadas que as pessoas medíocres dão: “NÃO TENHO DINHEIRO” Não conheço árvore que dá dinheiro e nunca vi cair do céu. Só conheço uma forma de ter dinheiro, trabalhando! Se o dinheiro está faltando, trabalhe mais. Se trabalhar mais não te dá o tanto que você quer, arrume outro trabalho, estude, aprenda, prepare-se, conheça mais pessoas que possam te dar oportunidades. Falar que não tem dinheiro não fará ninguém comover-se com suas lamentações. “NÃO TENHO SORTE” É engraçado como algumas pessoas, que não se dão bem, que não tem sucesso, colocam a culpa no acaso. Reclamar que não tem sorte é não admitir seus próprios erros. A primeira coisa a fazer quando se comete uma falha, é admitir. Ninguém consegue corrigir falhas se não assumir que falha. Pessoas que sempre reclamam que não tem sorte, na verdade são orgulhosas demais para assumir o que precisam corrigir. “NÃO TENHO EXPERIÊNCIA” É claro que a maioria das pessoas prefere dar oportunidades para quem já tem experiência. É mais cômodo, o risco é menor e dá menos trabalho. Agora, dizer que não tem experiência é desculpa esfarrapada! Trabalho voluntário dá experiência. São tantas entidades que precisam de ajuda e tanta gente querendo uma mãozinha… Ofereça seu trabalho voluntário e em troca ganhará gratidão e experiência. Caso tenha dificuldades em conseguir trabalho voluntário em entidades, seja voluntário em fazer amizades. “NÃO TENHO TEMPO” Todo mundo tem a mesma quantidade de tempo. O dia tem vinte e quatro horas para o pedinte de rua e para o presidente de uma multinacional. Escolher o que é mais importante é o primeiro passo para analisar se o tempo está sendo utilizado da maneira correta. Todo serviço que não te leva àquilo que você mais quer é um ladrão de tempo. Fazer as coisas como sempre fez sem se preocupar em melhorar os processos é desperdiçar tempo. “NÃO GOSTO DO MEU CHEFE” Seu chefe é você mesmo. Se você é subordinado à alguma pessoa e faz corpo-mole por não gostar dela, na verdade, você está prejudicando a si mesmo. Os colegas percebem, os clientes percebem e não demora, você será conhecido como uma pessoa amarga, molenga e desleixada. Não gostar do chefe ou de colegas de trabalho não é desculpa aceitável. Se brigou com alguém, faça as pazes. Se alguém te magoou, perdoe. Faça pelos clientes, faça por você. E se, por acaso, não conseguir, despeça seu chefe! Vai trabalhar em algo que te faça feliz. Se não gosta do trabalho que você faz, MUDE! “NÃO GOSTE DE ONDE MORO” Procure ver com outros olhos. Quando alguém não é feliz no que faz, costuma por a culpa na cidade onde mora. Tente encontrar coisas que não são especificas de sua área, talvez você encontre algumas coisas que vão te surpreender. Se não encontrar, MUDE! Existem outras desculpas, se prestar atenção em pessoas medianas, terá uma lista enorme de desculpas esfarrapadas. Conviver somente com pessoas medianas vai te fazer aprender novas desculpas. Encontrar desculpas para tudo é escolher ser medíocre.

INDICAÇÃO DE DIRETOR DE ESCOLA SOB O CRIVO DA SUCESSÃO MUNICIPAL

Em Itabuna, não basta atender aos critérios técnicos para assumir a secretaria de uma escola da rede estadual. É preciso “beijar a mão” e segurar a bandeira da candidata petista à Prefeitura. Para quem não o faz, o Diário Oficial vira arma poderosa.A última vítima foi a professora Laylla Sousa Rodrigues, que no dia 17 de julho foi designada para o cargo em comissão de secretária na Escola Rotary de Itabuna (confira aqui). Profissional competente, Laylla tem um “problema”: é filha do presidente da Associação dos Professores de Itabuna, João Rodrigues, que não apoia a candidata petista.Não foi por outra razão que, por solicitação da diretora da Direc 7, Rita Dantas, o ato que designou Laylla Rodrigues foi tornado sem efeito, conforme publicação do Diário Oficial do dia 21 de julho (confira aqui).A Direc, onde quem dá as cartas é o deputado federal Geraldo Simões (PT), está inteiramente aparelhada e a serviço da campanha. Na semana passada, este blog publicou a situação da funcionária Márcia Guimarães de Almeida, ameaçada de exoneração por deixar de comparecer a uma reunião na qual o assunto era o engajamento em atividades político-eleitorais.A divulgação impediu que o desligamento se consumasse, mas ontem (23) a funcionária recebeu pressões para assinar um desmentido. Não aceitou. (www.cenabahiana.com.br).

COM SALÁRIO DE R$ 7,6 MIL, HUMORISTA RENATO PIABA É OFICIAL DE JUSTIÇA DO TJ-BA

O humorista Renato Piaba é um dos nomes que integram a lista de servidores divulgada pelo Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA). Nomeado há 29 anos, Renato Lacerda de Alcântara, o Piaba, recebe o total de créditos de R$ 7.604 para trabalhar no Juizado Especial de Causas Comuns da Faculdade de Tecnologia e Ciências (3º JECCC-FTC). Com 15 anos de carreira, além de fazer cerca de 147 apresentações humorísticas por ano, Piaba executa, entre as funções do cargo de “oficial de justiça avaliador” no 3º JECCC, intimações, buscas e apreensões de bens ou pessoas que o magistrado do juizado indicar. O humorista, procurado pelo Bahia Notícias nesta sexta-feira (27), não atendeu aos telefonemas. A divulgação dos salários dos servidores pelo TJ-BA atende a um pleito do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que determinou abertura dos dados, conforme a Lei da Transparência. Além da presença inusitada de Piaba, a relação nominal também tem o nome da primeira-dama do Estado, Fátima Mendonça, que segundo assessoria de imprensa o Tribunal, atua normalmente no cargo de assessora de supervisão geral na coordenação de assistência médica em Salvador. Por outro lado, a assessoria de Fátima afirma que ela se licenciou da função para atuar na presidência da Voluntárias Sociais. Integram a relação ainda dois irmãos dela também concursados: Francisco José Carneiro de Mendonça – engenheiro à disposição da Conder, com um total de créditos de R$ 19.485,43 no mês de junho –, e Maria das Mercês Carneiro de Mendonça – técnica da Coordenadoria da Infância e da Juventude na capital baiana, com a remuneração de R$ 23.702,72 na mesma competência. Nos três casos, segundo a assessoria do TJ, os servidores atuam normalmente. (por Juliana Almirante/Evilásio Júnior).

TJ-BA DIVULGA SALÁRIO DE R$ 14,6 MIL DA PRIMEIRA-DAMA FÁTIMA MENDONÇA

Causou grande repercussão na imprensa local e nacional o fato de o nome da primeira-dama do estado, Fátima Mendonça, constar na lista de funcionários do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Conforme a relação de salários do Judiciário, a mulher do governador aparece lotada na Coordenação de Assistência Média, com cargo de assessora de supervisão geral e vencimentos de R$ 14,6 mil mensais, contando os adicionais. A assessoria da primeira-dama pediu que a reportagem entrasse em contato com a Secom para ter mais detalhes sobre o assunto. A Secom, por sua vez, informou que apenas o TJ-BA pode falar sobre o assunto. O Metro1 tentou falar com a assessoria do tribunal por diversas vezes, mas sem sucesso. (“Metro1”).

STJ DETERMINA RETORNO DO PREFEITO AFASTADO DE UBATÃ

A cidade de Ubatã, no sul do estado, enfrenta a 11ª troca no comando do executivo municipal em três anos e meio, desde as eleições de 2008. Edson Neves (PSD), afastado da prefeitura em junho, retornará ao cargo após a decisão do ministro Ari Pargendler, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, que deferiu, na sexta-feira (27) o pedido de suspensão de liminar ajuizado pelo ex-alcaide para tentar retornar ao cargo. Na decisão, Pargendler entendeu que a legislação municipal, que permitiu que a Câmara de Vereadores afastasse o gestor em 21 de maio, é inconstitucional. A presidente da Câmara, Rita de Cássia Mascarenhas, tinha assumido a prefeitura provisoriamente.

NUMEROLOGIA

Uma leitora do blog cenabahiana, que se diz numeróloga, afirma que, sob seu ponto de vista, a junção entre Juçara e Acácia não chegará a bom termo para as duas. “Juçara é 13, Acácia é 12; juntando as duas= 25″ ,constata a leitora. Como se sabe, 25 é o número do partido Democratas, que tem como candidato o atual prefeito, Capitão Azevedo.

28 de julho de 2012

PARABÉNS MINHA AMADA ITABUNA

Para desejar um feliz aniversário a minha querida Itabuna, manifesto aqui primeiramente a felicidade e o privilégio que sinto de ser filho desta terra, a qual por nada trocaria, onde contribuo com o meu trabalho para fazer da cidade um lugar ainda melhor de se viver e com um povo melhor informado, esclarecido e conscientizado. Comemorar o aniversário de minha cidade é como comemorar o aniversário de um grande amor! Sinto imensurável orgulho de minha cidade, de suas belezas e histórias incomparáveis, de localização geográfica privilegiada. Itabuna é, acima de tudo, um lugar de gente de bem, acolhedora. Comemorar seu aniversário me deixa extasiado. Tudo que diz respeito a ela me interessa. Cuido dela e a defendo como quem defende sua família, por isso, posso dizer que Itabuna é para mim um grande amor! Ela, nossa amada cidade está em um processo de desenvolvimento contínuo. Sei que não sou o único a orgulhar-me de morar aqui, e por isso divido essa alegria com todos vocês que se sentem assim, sei que vocês itabunenses de coração, assim como eu, zelam por ela e a defendem. Feliz aniversário, minha querida Itabuna! Parabéns pelos seus 102 anos! Do seu filho, Val Cabral.

PROFESSORES DECIDEM PELA GREVE E ESPERAM MEDIAÇÃO DO MPT

Durante a assembleia ocorrida na manhã de sexta-feira, 27, no Colégio Estadual da Bahia (Central), os professores da rede estadual de ensino decidiram por prosseguir com a greve, que já dura 108 dias. “A assembleia foi vitoriosa porque muitos professores estavam querendo voltar às aulas e desistiram”, avaliou a professora Sílvia Souza. Após a votação, os professores seguiram em caminhada até a obra da Arena Fonte Nova. Às 17h, representantes da categoria foram ao Ministério Público do Trabalho tentar nova mediação. “O procurador Rômulo Barreto irá encaminhar ao procurador-chefe o pedido. Na segunda-feira esperamos que o governo seja notificado”, disse a coordenadora da APLB, Marilene Betros. O assunto que entrará na pauta, em nova conversa com o governo, segundo a dirigente da APLB, é a rescisão de 94 contratos de professores do Reda, que será publicada neste sábado, 28, no Diário Oficial do Estado. A Portaria 007/2012, assinada pelo secretário estadual da Educação, Osvaldo Barreto, e o secretário estadual da Administração, Manoel Vitório, argumenta o não comparecimento às unidades de ensino. INTERNAÇÃO - Até o início da noite de sexta, o diretor da APLB, Claudemir Nonato, está internado na unidade semi-intensiva do Hospital Agenor Paiva desde a última quinta. Nonato defende o fim da greve e foi hospitalizado após ameaça, por telefone, de um número não identificado. “É melhor preservar a vida dele, depois a gente toma uma atitude a respeito”, disse o coordenador Rui Oliveira. INSCRIÇÃO NA UFBA - A Universidade Federal da Bahia (Ufba) divulgou que, em virtude das greves na rede estadual e na universidade, vai transferir as inscrições do vestibular 2013 para o prazo entre 11 de setembro e 9 de outubro, que seria entre os dias 14 de agosto a 2 de setembro. A entrega da documentação para pedido de isenção de taxa será entre 20 e 31 de agosto. (Juliana Brito).

MARINA SILVA SURPREENDE MINISTROS DO GOVERNO DILMA NA OLÍMPIADA DE LONDRES

A presença da ex-ministra Marina Silva na cerimônia de abertura da Olimpíada de Londres causou mal estar entre os ministros do governo de Dilma Rousseff. A participação pegou a todos de surpresa, segundo a agência Estado. Marina entrou com a bandeira com os anéis olímpicos ao lado do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o maestro argentino Daniel Barenboim e prêmios Nobel. O convite partiu do Comitê Olímpico Internacional (COI), sem o conhecimento do governo brasileiro, e foi mantido em sigilo. A situação teria criado constrangimento porque Marina não possui boas relações com Dilma Rousseff. "Marina sempre teve boa relação com as casas reais da Europa e com a aristocracia europeia", disparou o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, adversário político de Marina na polêmica do Código Florestal. O presidente da Câmara Federal, Marco Maia, disse que a primeira reação foi de surpresa. Para ele, o COI deveria ter feito um melhor trabalho de comunicação com o governo brasileiro. "É óbvio que seria mais adequado por parte do COI e da organização do evento que houvesse um diálogo de forma mais concreta com o governo brasileiro para a escolha das pessoas", disse, sem deixar de reconhecer a importância do trabalho ambiental de Marina.

JUDOCA CONQUISTA MEDALHA DE OURO PARA O BRASIL

O Brasil é ouro no judô. Sarah Menezes, 22 anos, conquistou a medalha na final inédita para o judô feminino em luta contra a romena Alina Dumitru, atual campeã olimpíca. Essa é a segunda medalha do judô brasileiro neste sábado (28). Felipe Kitadai ganhou medalha de bronze contra o italiano Elio Verde. Elas já haviam se enfrentado outras cinco vezes, e a brasileira havia vencido as três últimas. A classificação da judoca piauiense foi garantinda após ter derrotado a belga Charline Van Snick na semifinal do peso-ligeiro. Este é o melhor resultado para o judô feminino em todos as edições de Olimpíadas. Em 2008, em Pequim, Ketleyn Quadros foi a primeira mulher brasileira a subir ao pódio no judô. Ela conquistou o bronze na categoria até 57kg. Na torcida, estavam a técnica Rosicléia Campos, que sofreu ao lado do tatame, o treinador Expedito Falcão e as irmãs da atleta Samia e Samara. As irmãs carregavam as bandeiras do Brasil e do Piauí.

TRAGÉDIA INOMINÁVEL NAS TERRAS DO CACAU

A dispersão da praga da vassoura-de-bruxa na região cacaueira não foi algo natural e isso ficou totalmente comprovado em inquérito conduzido pela Polícia Federal há alguns anos. As investigações não conseguiram apontar os autores, mas concluíram que a forma como a doença se instalou denuncia um “modus operandi” todo especial, um plano macabro e destruidor, um ato humano deliberado, como sugere o excelente e fundamentado documentário produzido por Dilson Araújo. O filme traz uma série de depoimentos e documentos oficiais, além de histórias de perdas financeiras, familiares e humanas ocorridas nessas terras a partir do fim dos anos 80 do século passado. Foi o fim de uma era, e é impossível traduzir em palavras a tragédia que se deu nessa região, onde mais de 250 mil trabalhadores perderam seus empregos nas fazendas de cacau e o êxodo para as cidades chegou a 800 mil pessoas. Pesquisadores ouvidos no documentário atestam que o inchaço das favelas e todos os problemas sociais que vieram a reboque, como a falta de infraestrutura e a violência, têm relação direta com a bruxa que assombrou a região. Suas consequências foram também ambientais, com a destruição do sistema da cabruca em 600 mil hectares de fazendas. Muitas áreas onde a Mata Atlântica permanecia intacta, em uma convivência produtiva e ecológica de mais de dois séculos, foram transformadas em pastagens e a madeira nativa foi alimentar as serrarias. Tragédia. Crime. Holocausto. Genocídio. Qual a palavra certa para descrever o que se deu nessa região? “O Nó” apresenta várias, sem deixar de mostrar que os cacauicultores foram vítimas duas vezes. Uma quando a vassoura se instalou, com galhos amarrados diligentemente por mãos assassinas; a outra quando a Ceplac recomendou providências equivocadas, que levaram os produtores a assumir dívidas que lhes atormentam até hoje. Os bancos exigem que eles paguem pelo que não surtiu efeito e o governo não assume o ônus pela falha. É impossível assistir ao filme sem ficar permanentemente com um nó na garganta e um embrulho no estômago, além do sentimento de impotência diante da crueldade. São histórias destruídas, vidas destroçadas, uma cultura secular que deixou de existir por obra e graça de alguma ideia psicótica. De quem? A polícia diz que não sabe. Não por acaso, “O Nó” é narrado quase num sussurro, por uma voz que parece ser de alguém que fala em meio a um velório. O tom é triste, o filme fala de morte. (Ricardo Ribeiro é editor do Cenabahiana).

ANÁLISE FRIA

Ratifico mais uma vez que esta eleição para vereadores na cidade de Ilhéus poderá ser a mais difícil dos últimos anos. Primeiro porque a legislação eleitoral vem neutralizando na raiz o abuso do poder financeiro; Segundo, porque a Polícia Federal vai agir duramente em todas as irregularidades, principalmente com o vicio da compra de votos no dia da eleição; Terceiro, porque agora serão 19 vagas e, não mais 13 como na eleição anterior, tornando a disputa mais equilibrada; Quarto, porque o eleitorado já vive emburrado de tantos políticos mentirosos e por não acreditar muito nessa turma da hipocrisia, a tendência é acontecer um esvaziamento no dia 07 de outubro, aumentando assim o coeficiente eleitoral mínimo por partido ou coligação, que poderá variar entre 4.700 a 5.900 votos. Isso não é chute, é aritmética! As dificuldades para alcançar um resultado positivo nessa verdadeira batalha campal são imensas. Apesar desses obstáculos, ano após ano, cidadãos e mais cidadãos abraçam essa empreitada, doidinhos para se assentarem nas acolchoadas poltronas cor vinho viciosas do Plenário Teodolindo Ferreira. Sem querer desestimular ninguém, fazemos aqui uma peneira lógica, analisando os aspectos da visibilidade, prestação de serviços/favores, articulação, afinidade, persistência, bem como outros fatores que não podemos citar, selecionamos 45 candidatos (logo abaixo), que terão uma boa densidade eleitoral, ficando entre esses, a garantia mínima de pelo menos de 15 cadeiras do Legislativo Municipal ilheense, a partir do dia 01 de janeiro de 2013. Parece precipitação essa análise. Mas não é! Precipitação seria chutar nomes de quais partidos e/ou coligações. Vou além. Quiçá não estejam nesta relação à totalidade das cadeiras. PMDB-PTB-PDT-PSB: Dr. Aldemir Almeida, Augusto Jr., Carlinhos Freitas, Cosme Araújo, Chico Xavier, Fred Gedeon III, Raimundo do Basílio e Marcelo Trota; PT: Alisson Mendonça, Dero, Almério, Augustão, Makrisi, Valmir e Carqueija; PP-PRB-PRTB-PR-PHS: Gurita, Gil Gomes, Ivo Evangelista, Jamil, Luiz Escuta e Rafael Benevides; PSD: Elício Sá, Dr. Francisco Sampaio, Bel do Vilela, Dinho Gás e Tarcísio Paixão; PSC-PV-PSDC: Fábio Magal, Soldado Lúcio, Roque do Sesp, e Ruy Carteiro; PMN: Gilmar Sodré, James, Lukas Paiva e Euclides; PTC-PC do B: Cruz, José Vitor, Doutor Jó, Rodolfo Macedo, Jorge Farias, Claudio Magalhães e Dário da Sucam; PPS: Zé Neguinho e Roland; PRP-PTN-DEM-PSDB: Luizinho e Enio Lima. Considerando a relevância de quatro dos atuais vereadores que não são mais candidatos (Jailson Nascimento, que na eleição anterior obteve 2.509 votos); (Marcos Flávio, que obteve 2.466 votos); (Alcides Neto, que obteve 1.555 votos) e finalmente, Professora Carmelita que obteve 1.346 votos, pode-se avaliar numa linha de raciocínio lógico que, as supostas 04 vagas restante para completar os 19 eleitos, poderá sair entre os demais candidatos não inseridos na relação dos 45. Esses 04 candidatos poderão ser nomes surpresas, pessoas que não estão na mídia e que seus redutos estão fincados nas classes “C” e “D”, e que nos últimos anos vem fazendo um trabalho de formiguinha, sem exageros, sem oba-oba e sem alardes. (Elias Reis, Articulista, Presidente do Sindicato dos Radialistas de Ilhéus e Discente do curso de direito da Faculdade de Ilhéus).

27 de julho de 2012

JAQUES WAGNER É MALA SEM ALÇA ATÉ PARA OS PETISTAS

Estas eleições municipais na Bahia tem revelado um fato constrangedor para o governador Jaques Wagner. É ninguém quer saber de tê-lo consigo e até sua foto tem sido dispensada na propaganda dos candidatos petistas e aliados. Está todo mundo rejeitando a companhia de Wagner. Sabe aquele adágio “antes só que mal acompanhado”? Pois bem, se aplica perfeitamente na situação a que Jaques Wagner está submetido. Aqui em Itabuna, a petista Juçara Feitosa, distribuiu milhares de convites para a inauguração do comitê eleitoral na Avenida do Cinquentenário, no final da tarde de hoje, com impresso mostrando ela, a vice, Acácia Pinho e a presidente da República, Dilma Rousseff. O governador Wagner foi defenestrado, suprimido, alijado, excluído da propaganda do seu próprio partido em Itabuna. O QUE É UM MALA SEM ALÇA? - Imagine um grande container. E dentro dele uma infinidade de malas. Malas com rodinhas, sem-alça, frasqueiras, pochetes, esportivas, malas coloridas, malinhas infantis, maletas, malotes e... por aí vai. Pois é, de repente parece que o mundo está assim. Como um container carregando para lá e para cá várias e diferentes malas. E essas se espalham por toda parte. Quem não gosta de viajar? É muito bom fazer uma viagem de vez em quando. Porém, não existe nada mais “chato” do que carregar uma mala. É difícil encontrar alguém que diga: - Puxa! Amo carregar malas! A maioria das pessoas irá dizer que elas atrapalham e incomodam. Existem as malas que são pesadas e sem-alça. Essas, sem dúvida, são as piores, porque temos que colocá-las nos braços e sair carregando por onde formos. Mas o que significa “os malas-sem-alça” no dito popular? Na verdade, nada mais é do que uma expressão que classifica alguém que é considerado pelos outros como chato, ou seja, que perturba, “pega no pé”, incomoda, aparece em todas as fotos, “adora” se mostrar, não “chega pra lá”, está sempre em volta e nem sempre admite que é “mala”. Existe aquele “mala” que ganha o troféu de chato por unanimidade, é absoluto, todo mundo concorda que ele realmente incomoda. WAGNER É O-CONCUR DO TROFÉU MALA SEM ALÇA - Diante destes fatos, está mais que explicada a situação desagradável do governador Jaques Wagner na cidade de Itabuna. Na verdade, o troféu MALA SEM ALÇA é pertinente ao governador da Bahia em todas as cidades baianas. Ninguém é mais inoportuno que ele para quem quer ter uma boa imagem. Pouquíssimos tresloucados ousaram na Bahia procurar o governador para ser fotografado, ou filmado ao seu lado. E quando isso ocorreu, os índices nas pesquisas de opinião públicas revelaram o equívoco. Em Salvador ACM Neto lidera e deverá ser eleito prefeito, com o beneplácito de fotos mostrando Nelson Pelegrine (PT) ao lado de Jaques Wagner. O governador é para Juçara Feitosa o que ela é para a maioria do povo de Itabuna: peido dentro de uma cabine de elevador; calo no pé, sapato apertado, dor de dente, dor de ouvido... uma espinha atravessada na garganta. É como não ter sapato e bater com o pé na pedra!!!

PARADA GAY DE ITABUNA CONFIRMADA

A Parada Gay de Itabuna, de realização do grupo Humanus com vários parceiros, está confirmada para o dia 16 de setembro (domingo), com o tema: País Laico - Voto pela Diversidade. Nos meses que a antecedem o Grupo Humanus realiza uma série de eventos mobilizando a comunidade para o enfrentamento da Homofobia.Veja a Programação completa: 27 de julho - Troféu Humanus 2012 - Palace Hotel; 15 de agosto - Feira de Saúde - Praça Olinto Leone; 04 e 05 de setembro - V Seminário de Políticas Públicas; 12 de setembro - Cine Diversidade; 15 de setembro - Miss Gay 2012; 16 de setembro - 9ª Parada Gay- Avenida Aziz Maron.

PROFESSORA DE SANTA CATARINA PEDE NO SUPREMO CUMPRIMENTO DA LEI DO PISO

Uma professora de Santa Catarina ajuizou reclamação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que o tribunal determine o prosseguimento de um processo que corre na Justiça do estado exigindo que o governo catarinense cumpra a lei que estabelece o piso nacional do magistério. Sancionada em 2008, a legislação determinou um valor mínimo que deve ser pago pelos estados e municípios a professores da rede pública com jornada de 40 horas semanais. Atualmente o piso nacional do magistério é R$ 1.451. A professora pediu liminar ao STF para que o juiz responsável pelo processo na 3ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Florianópolis dê prosseguimento à ação movida por ela e a todos os outros processos que tratem do mesmo assunto. O STF já declarou que a Lei do Piso é constitucional em julgamento de uma ação direta de inconstitucionalidade movida pelos governadores de cinco estados. Na reclamação enviada ao Supremo, a professora alega que a 3ª Vara da Fazenda Pública “desrespeitou decisão tomada pela Suprema Corte” no julgamento da ação contra o piso. O juiz do estado acolheu o argumento apresentado pelo governo de Santa Catarina de que a decisão do STF ainda não tinha transitado em julgado e que, por isso, ainda estava pendente a análise dos recursos apresentados pelos estados autores da ação, inclusive Santa Catarina. O relator da reclamação será o ministro Joaquim Barbosa, que também relatou a ação impetrada pelos governadores contra o piso e foi favorável à lei. (Risomar Lima).

ÁGUIA BRANCA REDUZ A PRODUÇÃO DE RESÍDUOS EM 33 TONELADAS

Em dois anos de implantação do Sistema de Gestão Ambiental, a Viação Águia Branca já colheu bons resultados. Por ano, reduziu em 33 toneladas a quantidade de resíduos classe II (plástico, papelão, borracha, madeira, papel; outros que não são classificados como perigosos), o equivalente ao consumo diário de uma cidade de 30 mil habitantes; reduziu o consumo de água em 4,8 milhões de litros, igual ao consumo diário de um município de 25 mil habitantes; e reduziu o consumo de energia em 110.400kw/h, semelhante ao consumo de energia do Núcleo Operacional de Colatina, da empresa ao ano. Para atingir esses resultados, foi necessário uma série de ações coordenadas pela Gerência de Suprimentos e Meio ambiente. Segundo o gestor, Virgilio Pasolini, foram investidos R$ 4 milhões, além de realizadas campanhas de conscientização e destino diferenciado de alguns resíduos. Por exemplo, os pneus são encaminhados a uma fábrica no Mato Grosso, que produz material para fabricação de tapetes para carros, sapatos, vasos de plantas e até na composição de asfalto. Já o vidro dos parabrisas dos ônibus – que não é igual ao vidro doméstico - segue para reciclagem em São Paulo e o material proveniente de construção civil é transformado em tijolos por uma empresa parceira. A empresa também implantou a coleta seletiva e lançou a campanha “Atitude Sustentável” entre os funcionários. “Acredito que mais do que conscientização, conseguimos levar muitos funcionários a mudarem o próprio comportamento dentro e fora da empresa”, ressalta Virgílio Pasolini. Outro marco da implantação da Gestão Ambiental foi em 2011, quando a garagem de Campo Grande, em Cariacica, foi cerficada pela norma ISO 14001, sendo a primeira empresa capixaba de transporte interestadual e intermunicipal de passageiros a receber a certificação ambiental. A norma internacional tem a função de atestar que a empresa mantém o equilíbrio entre a manutenção da rentabilidade e a redução do impacto ambiental, por meio do comprometimento de toda a organização. Nesta semana, o case Sistema de Gestão Ambiental será apresentado dentro do 16º Prêmio da Qualidade, da Viação Águia Branca, concorrendo, entre 16 cases, ao prêmio de R$ 4 mil. Essa premiação é anual e tem o objetivo de reconhecer os trabalhos desenvolvidos pelos próprios funcionários e que agregam aos processos criatividade, economia, inovação e resultados financeiros.

ALEMÃES CRIAM SERVIÇO TELEFÔNICO COM ATENDENTES ESPECIALIZADOS EM OUVIR XINGAMENTOS

Dois empreendedores alemães desenvolveram uma forma de as pessoas liberarem as frustrações do dia a dia sem criar problemas com outras pessoas: uma linha telefônica que tenha como atendente uma pessoa pronta para ouvir todo tipo de xingamento. O serviço, conhecido como “Desabafe” (do alemão Schimpf-los, em tradução livre), conta com operadores de plantão sete dias por semana para atender pessoas zangadas e dispostas a usar linguagem de mau gosto para liberar a energia negativa. “Não julgamos as pessoas que estão bravas”, diz Ralf Schulte, que criou o serviço junto com o colega Alexander Brandenburger. “Isso acontece. É natural. Com a gente você pode explodir livremente”, acrescentou. Os criadores do serviço buscaram inspiração em suas próprias rotinas estressantes. Para Schulte, a empresa faz um favor às pessoas ao proporcionar uma forma de liberar toda irritação reprimida e ainda ajudar a evitar discussões no trabalho ou com a família. “Se você está estressado no trabalho, vai para a casa e desconta em sua companheira, mesmo que ela não tenha culpa nenhuma”, diz o empresário. E os atendentes não ficam apenas ouvindo. Eles também ajudam o cliente a liberar suas emoções. Quando a pessoa que faz a chamada não está muito inspirada para fazer os xingamentos, ou seja do tipo mais reservada, os operadores providenciam de imediato provocações como: “Esta é a terceira vez que eu ouço isso hoje – é tudo o que você consegue dizer?” O serviço custa 1,49 euro (R$ 3,70) por minuto – quantia que o empresário considera completamente justa. “Para liberar tudo o que está preso no peito, é uma barganha”. (Com Reuters).

26 de julho de 2012

ELEIÇÃO É OPORTUNIDADE DE EXERCER CIDADANIA

Consciente de seus direitos básicos (saúde, educação, moradia, água, segurança etc.,) vote somente em candidatos que tenham compromisso com Itabuna, que visem o bem comum, o interesse do povo. Para isso, conheça a sua história de vida, suas atitudes éticas, cristãs. Reflita: por que fulano A ou B quer ser prefeito, ou vereador? Quais suas intenções? Quais suas propostas de governo? Candidato A ou B é digno do meu voto? Por que eu devo votar nele (a)? Não vote aleatoriamente, cegamente. Use sua inteligência, seu raciocínio. Pense antes de se comprometer com qualquer candidato. Não vote movido pela paixão, pelos brilhos festivos das campanhas, pelas as aparências físicas, pelo tradicionalismo familiar. O futuro de sua cidade está em suas mãos. Por isso, vote com muita responsabilidade. Valorize seu voto, que é sua arma cidadã. Não vote em políticos com ficha suja (ou alguém que lhe seja marionete), oportunistas, mentirosos, hipócritas, que usam o poder político como caminho fácil para beneficiar a si próprio (enriquecimento súbito e ilícito), a seus familiares (emprego, mordomias, vida boa…) e a seus correligionários (emprego, privilégios, dinheiro). Político ficha suja é sinônimo de desgraça na vida do povo. Estamos em plena crise humanitária, com jovens sendo assassinados quase todos os dias. Muitos candidatos poderão querer tirar proveito dessa dramática situação. Trata-se do famoso “pão e circo” ou a famosa “conversa pra boi dormir”. Para muitos politiqueiros, fome, insegurança e miséria rendem votos. Abra seus olhos, fique atento para esse tipo de coisa. Cuidado com os espertos. Não comercialize seu voto, que é sua arma. Vender ou trocar voto por quaisquer coisas (Cesta Básica, material de construção, passagens, óculos, urna fúnbre, remédio, roupa, presente, areia etc.) é um grave atentado a sua dignidade, a sua cidadania, além de ser crime eleitoral. Eleitor sério, honesto, responsável não vende ou troca seu voto. Cuidado para não cair nessa tentação diabólica. Vender voto é coisa do diabo, não deve ter perdão. Candidatos que compram votos na calada da noite, ou em pleno dia, não têm compromisso com a população. Políticos compradores de votos têm como único objetivo o poder pelo o poder, para dele desfrutar das muitas mordomias. Se por acaso, algum candidato quer negociar o seu voto, grave a conversa, tire fotos, depois denuncie à Justiça eleitoral. Não se deixe ser tratado como boiada, massa de manobra. Diga um Não ao voto de cabresto. Você não é animal. Diga um NÃO ao coronelismo. Ninguém manda no seu voto. Você é livre, por isso, vote sem medo no seu candidato ideal. É você quem manda em seu voto. Nem prefeito, vereador nem cabo eleitoral, seja quem for, é dono do seu voto. Seja livre para votar em quem quiser. Assim como urubus gostam de carniças e bruxas detestam mocinhas e crianças, políticos com cabeça de pitu, descompromissados, oportunistas, que só pensam no poder e suas mordomias, gostam de tirar proveito do sofrimento do povo. Faça o seguinte questionamento: por que muitos políticos visitam minha comunidade só em tempo de campanha eleitoral? Quando na minha comunidade faltavam médicos, dentistas, água, escolas, segurança, saneamento básico etc., onde estavam esses ditos políticos? Eles agora estão aparecendo com suas promessas de mil maravilhas. por quê? Se na sua comunidade, a Saúde não funciona como convém, Educação de qualidade não existe, a violência assombra, a corrupção é escancarada, o esgoto corre a céu aberto, o povo não tem qualidade de vida, a fome e a miséria reinam etc. de quem é a culpa, do gestor, ou sua, que não soube escolher? Pense antes de escolher seu candidato. Dê um basta à dependência, à humilhação. Troque os verbos pedir e humilhar, pelo os verbos exigir, cobrar, reivindicar, lutar. O prefeito nada faz por caridade ou favor, porque é bonzinho, mas por estrita obrigação. Você é cidadão (â), portador (a) de plenos direitos. Exerça sua cidadania, lutando pelos seus direitos. Após as eleições, você tem um compromisso com sua cidadania, com seu município: exija dos seus eleitos (prefeito, vereadores) compromisso, trabalho, responsabilidade, transparência e seriedade com a coisa pública. Exija aplicação correta e honesta dos recursos públicos.

MENTIRA NÃO PODE SER DETECTADA PELOS OLHOS

De acordo com uma antiga teoria sobre linguagem corporal, é fácil descobrir quando alguém está mentindo. Quando os destros movimentam os olhos para cima e para a esquerda ao responder a uma pergunta, eles estão descrevendo uma recordação real. Quando dirigem o olhar para cima e para a direita, segundo a teoria, eles estão acessando os centros cerebrais de criatividade e visualizando um evento imaginado – e, portanto, inventando a mentira. A teoria dos anos 1970 é largamente reproduzida e ensinada com frequência em treinamentos de neurolinguística. Contudo, a teoria nunca foi totalmente comprovada e a nova pesquisa sugere que ela não passa de pseudociência. Em um estudo controlado, publicado no "PLos One", pesquisadores britânicos monitoraram o movimento dos olhos de 32 pessoas destras enquanto elas contavam a um entrevistador mentiras e verdades sobre fatos recentes. Os cientistas descobriram que não existia um padrão de movimento dos olhos que revelasse a mentira. Num segundo experimento, foi pedido a 50 pessoas que procurassem por sinais de mentira entre entrevistados. Embora metade do grupo tenha sido instruída a procurar pelo movimento dos olhos, ela não se saiu melhor em detectar a mentira do que o grupo de controle destreinado. Mas o que dizer de situações mais sérias da vida real? Para responder a essa pergunta, os pesquisadores examinaram vídeos de arquivo de noticiários de 52 pessoas fazendo apelos públicos pelo retorno a salvo de um parente desaparecido. Tempos depois, comprovou-se que metade estava mentindo. Os pesquisadores não descobriram evidências de que o movimento dos olhos revelasse mentiras ou verdades. A conclusão é que a pesquisa sugere que não é possível detectar mentiras com base no movimento dos olhos. (Anahad O'connor).

UMA IMAGEM DO BEM SÓ INCOMODA ALGUÉM QUE É DO MAL

Se eu fosse um vereador em Itabuna, criaria uma Lei obrigando órgãos públicos municipais a terem crucifixos em suas paredes. Uma imagem revela muito mais que bilhões de palavras! Assim como evangélicos abominam estátuas católicas, existem aqueles que querem proibir o crucifixo em repartições públicas. O crucifixo não representa apenas o sentimento dos cristãos, mas toda uma cultura de identidade do país. Lembremos: o primeiro ato público celebrado no Brasil foi uma Santa Missa, em Cabrália, há quinhentos anos. O Rio de Janeiro se chama São Sebastião do Rio de Janeiro. Nossa capital econômica é São Paulo. O Estado de belas praias é Santa Catarina. Onde se come uma moqueca gostosa é no Espírito Santo. A sétima maravilha do mundo é o Cristo Redentor, que está, justamente, fincado no espaço público. O crucifixo representa os cristãos e o próprio povo brasileiro! Mesmo assim há quem ouse querer proibir o crucifixo em prédios públicos. Esta história de Estado laico a justificar a retirada dos crucifixos dos prédios públicos é balela, no fundo o que querem é colocar a “religião” em guetos, como já foi feito com os judeus no século passado. Vai chegar o dia que antes de sair da Santa Missa o padre vai nos alertar para esconder o crucifixo que se traz no peito, afinal, lá fora, o espaço é público, e onde está o público é vedado à religiosidade. Para algumas poucas pessoas, crucifixo não pode em espaços públicos. Mas, pode a imagem de Che Guevara, pode foto do Lula, da Dilma, pode pirâmide de cristal, foice e martelo, símbolo “nuclear não”, enfim, pode qualquer imagem, menos a religiosa. A permissão do uso de símbolos religiosos nos prédios públicos, demonstra a tolerância de um povo. Na França o absurdo já se instalou. As crianças podem ir à escola com uma camisa “Che Guevara”, mas não podem ostentar sua crença através do crucifixo ou da estrela de Davi, que seja. Na Itália, felizmente, a Justiça reconheceu o direito dos italianos terem crucifixos nas paredes das escolas, ao mesmo tempo, que também reconheceu o direito da França não os ter. A Europa é culturalmente cristã, assim como o Brasil. Por exemplo, a Dinamarca tem uma cruz na bandeira, a Inglaterra e a Grécia igual. Será que temos que pedir para estes países mudarem suas bandeiras em nome de um Estado Laico? Evidente que não, isto é cristofobia, não é neutralidade, é antes porque não gostam do cristianismo e da Igreja. Espero sinceramente, que em Itabuna façamos valer nossa cultura cristã para afirmar a presença dos crucifixos nos espaços públicos com uma identidade natural e cristalina de nossa cultura cristã, e que a doença da cristofobia não se mascare por detrás do falacioso argumento do “Estado laico”, até porque a introdução de nossa Constituição Federal é pedagógica ao invocar a presença de “Deus” sobre todos nós. Que possamos superar o “incômodo” da cruz, que tão somente nos aponta o caminho da honradez e misericórdia.

ANA HICKMANN POSA PARA ENSAIO FOTOGRÁFICO EM ILHÉUS

De acordo com informações do site 'O Fuxico', a apresentadora Ana Hickmann está em Ilhéus, interior da Bahia, desde o último domingo (22), fazendo fotos para o catálogo da sua grife de roupas, bolsas e jóias. Segundo a publicação, foi a própria Ana Hickmann que sugeriu a idéia de fazer as imagens nas praias da Bahia. O site afirma ainda que a loira acorda cedo e fotografa o dia todo. "Ela é muito participativa e se envolve em todas as fases da campanha. Ela conversou com o pessoal da Equus e sugeriu que as fotos fossem feitas lá na Bahia e eles logo toparam", contou a assessora de imprensa da apresentadora. Ana Hickmann só retornará a São Paulo na semana que vem e vai direto para Itu, onde passará 15 dias gravando com as finalistas do quadro Top Model - O Reality.

POLICIAIS SÃO DENUNCIADOS PELO MP-BA POR TORTURA EM DELEGACIA

Quatro policiais, civis e militares, foram denunciados pelo ministério Público da Bahia (MP-BA) pelo Grupo de Controle Externo da Atividade Policial (Gacep) por constrangerem, com violência física e grave ameaça o detento Manoel de Jesus Rego Magalhães, na 16ª Delegacia Territorial em dezembro de 2010, para conseguir uma confissão. Segundo o Ministério Público, Manoel, que é funcionário de uma empresa de comunicação, compareceu à delegacia orientado por uma superiora dele, para denunciar o assalto sofrido no Itaigara, de onde foi levado R$ 8 mil em dinheiro pertencente à empresa. De vítima, Manoel passou a réu e mesmo negando ter sido o autor do roubo do dinheiro que havia sacado de uma agência bancária, foi torturado física e psicologicamente mais de uma vez, teve uma arma apontada para sua cabeça e recebeu tapas para admitir a autoria do delito, sofrendo tentativa de asfixia com um saco plástico colocado na cabeça, sendo impedido de ter acesso a um advogado. Ainda de acordo com a denúncia do MP-BA, Manoel chegou a urinar sangue em decorrência do espancamento sofrido e ficou mais de 15 dias com hematomas pelo corpo e sem conseguir falar direito. Ele só foi liberado próximo a meia noite, com a troca de plantão do delegado. Manoel não assumiu o crime. Os policiais militares denunciados são Arivaldo Maltez do Espírito Santo e Edson Balbino dos Santos Cunha. Já os policiais civis são Rene Ramos Filho e Luis Fernando dos Santos Santos. MAIS TORTURA - Também foram denunciados pelo Ministério Público (MP-BA), os policiais civis Gerson Monção dos Santos, Zildásio Silva Ribeiro Júnior, o “Ribeiro”, e Luís Carlos Ribeiro dos Santos, conhecido por “Bronca”. Eles são acusados de terem submetido Leonardo Santos Pires Lima, que estava sob a guarda deles, a intenso sofrimento físico e mental, com uso de violência física e grave ameaça, para obter uma confissão sobre participação no roubo ocorrido numa residência, em 14 de abril de 2001, no Alto do Coqueirinho, em Itapuã. O fato que não foi provado. Segundo os autos, junto com um amigo e o policial militar de prenome Júlio, já falecido, Leonardo foi abordado próximo ao Largo de Amaralina por policiais da 7ª Delegacia Territorial (DT/Rio Vermelho). O policial conseguiu se evadir mesmo que o carro tenha sido alvejado por três disparos, sendo Leonardo e o amigo conduzidos à 12ª Delegacia Territorial (DT/Itapuã). No dia seguinte Leonardo foi levado ao Alto do Coqueirinho onde, mesmo negando a autoria do crime, foi colocado de cabeça para baixo amarrado pelos calcanhares para ser torturado. Depois foi reconduzido à delegacia sob a ameaça de que a tortura física continuaria. De acordo com o MP-BA, isso só não aconteceu porque um advogado dele e do amigo levou documentos do curso de inglês que provaram que a vítima estava em sala de aula no dia e horário do roubo em questão.

25 de julho de 2012

WAGNER VARREU ITABUNA DO MAPA DA BAHIA

O crime da vassoura de bruxa fez a crise fincar pé em Itabuna. A ciência econômica mostra que um dos elementos centrais da economia real é a tal da expectativa, um parâmetro subjetivo, sem mensuração concreta, mas que, de fato, é quem determina o bom andamento do mercado. Itabuna viveu, e cresceu economicamente, por anos a fio das expectativas depositadas em alguns fatos específicos, principalmente da lavoura do cacau e posteriormente da industrialização e fomento da exploração de serviços. Entretanto, há duas décadas a cidade viu frustrada suas expectativas, seja pelas graves conseqüências do terrorismo biológico a que foi submetida, seja pela paralisação das obras privadas e do Governo do Estado. Com as expectativas frustradas, a cidade mergulhou numa maré de desanimo, ou, em outras palavras, numa crise, neste cenário os investimentos caem, a especulação diminui e a economia real aparece, a cidade de Itabuna volta a ser igual a todas as outras cidades do estado, dependente do comércio, dos gastos públicos e dos salários dos servidores. O cacau não mais alimenta a economia como antes. O Estado não possui uma só obra e até alguns que estavam em fase terminal, foram abandonadas aos escombros. Não existe uma só boa referência de administração pública do Estado em Itabuna. Nem uma pintura de paralelepípedo. Há cinco anos o governo Wagner não constrói uma sala de aula na cidade. O crime cresceu vertiginosamente neste mesmo período. E o Estado usurpou a Saúde Plena com conseqüência de sucateamento do setor em Itabuna. O governador Jaques Wagner abandonou a cidade e a região. Parece até que riscou a cidade do mapa. Ele sabe que é o grande responsável pela “onda” de falta de esperança em que a cidade mergulhou. Em suma, Itabuna andou pra trás, da pujança ao desencantamento. Lamentável!

TJ OBRIGA BAHIA A INDENIZAR PACIENTE COM HIV

O Estado da Bahia foi condenado pelo Tribunal de Justiça a indenizar uma adolescente de 15 anos que contraiu o vírus HIV durante uma transfusão de sangue no Hospital Roberto Santos, em Salvador, em 1998. Ela contraiu o vírus durante um tratamento para anemia, quando tinha 2 anos e 8 meses, e hoje faz tratamento contra a Aids. A sentença, do desembargador Salomão Resedá, obriga o Estado a pagar indenização de R$ 100 mil, além de uma pensão vitalícia de quatro salários mínimos (cerca de R$ 2,5 mil) à adolescente. O processo corre na Justiça desde 2005 e a família já havia obtido ganho de causa em primeira instância, em 2010, mas o governo recorreu. A Procuradoria Geral do Estado informou que vai recorrer novamente da decisão, desta vez ao Superior Tribunal de Justiça, em Brasília.

ELEIÇÕES TERÃO 41% A MAIS DE POLICIAIS NA DISPUTA, EM RELAÇÃO A 2008

Sem coturno, quepe ou pistola em punho, 302 policiais militares e 77 civis da Bahia adotaram o discurso como arma. Decidiram pendurar o distintivo por um tempo para tentar a carreira política, seja como candidatos a prefeito, vice ou vereador. O crescimento no número de policiais que vão à disputa este ano é de 41% em comparação com a eleição de 2008, percentual muito acima do aumento de 11% registrado em todo o país. O fenômeno da multiplicação de candidatos policiais não é restrito à Bahia. No Amapá e no Maranhão, o aumento foi de 76% e 46%, respectivamente. Além do salto no número de candidaturas com distintivo, os três estados têm outro fator em comum: foram palcos de movimentos grevistas de policiais em 2011 e 2012, com ampla repercussão nacional. No movimento contrário, estados em que as greves não ganharam corpo, como São Paulo, o aumento foi de 8%. Em Santa Catarina, houve queda de 1%. Líder da greve da PM baiana, que durou 12 dias e ganhou destaque internacional, Marco Prisco é um dos 379 PMs candidatos a vereador na Bahia. Prisco, que vai tentar uma vaga na Câmara de Salvador pelo PSDB, reconhece que sua participação no movimento deve lhe render dividendos eleitorais. “Minha luta já tem 12 anos, não foi por causa desse movimento apenas, mas com certeza (a greve) me projetou, porque ficou clara a responsabilidade e o respeito que tenho com a tropa”, afirmou. Como exemplo, Prisco recorda o início da carreira do deputado estadual Capitão Tadeu (PSB), que ganhou seu primeiro mandato após mobilizar os policiais em manifestações na década de 80. Ele destaca ainda o caso do também deputado estadual Sargento Isidório (PSB), que se projetou após a greve da PM de 2002. “É natural, depois de uma luta surgem vários nomes”, completou. E o próprio Isidório concorda: “Quando fiz a greve, não pensava no futuro político, eu já denunciava comandantes de grupos de extermínio, corrupção dentro da polícia. Quando a greve explodiu, eu fui um pavio”. O parlamentar ressalta que sua projeção em 2002 lhe levou à carreira política. “Na hora em que você dá um grito, seus companheiros se alegram e logo dizem: ‘saia candidato’”, destacou. Nesta eleição, o deputado disputa a prefeitura de Candeias, na Região Metropolitana. GREVISTAS - Além de Prisco, outros oito líderes da greve da PM deste ano também lançaram-se candidatos a vereador: o sargento Marcus Vinícius (PSD), em Santo Antônio de Jesus; soldado Augusto Junior (PSB), em Ilhéus; o soldado Josafá Ramos (PPS), em Feira de Santana; soldado Ivan Leite (PMDB), em Dias D’Ávila; soldado Lourival Moreira (PTN), em Paulo Afonso; e o subtenente Evaldo Silva Santos (PSB), em Alagoinhas. Outros dois que também foram presos juntos com Prisco, o soldado Fábio Brito (Psol) e o sargento Elias Brito de Lima (PPL), também registraram candidatura na Justiça Eleitoral, mas cogitam sair da disputa. APOIO - Entre os policiais civis, a análise é de que eleger mais representantes da categoria pode virar uma alternativa às greves, como forma de conquistar reivindicações da categoria. “É o momento de mudar a estratégia de luta. Antes, a gente fazia greve, paralisação, mas a gente entendeu que precisa de uma interação com a sociedade para buscar seu apoio e conseguir melhorar o projeto de segurança. E ele vai melhorar no momento que a gente estiver no Legislativo”, defendeu o secretário-geral do Sindicato dos Policiais Civis do Estado (Sindipoc), o investigador Bernardino Gayoso. Segundo ele, a própria entidade de classe possui um planejamento para conseguir eleger o maior número de vereadores e prefeitos, com vistas à eleição de 2014. “Aí, vamos participar diretamente da construção dos projetos de segurança”, disse. Atualmente, 77 policiais civis são candidatos na Bahia, contra 56 de 2008. (Rafael Rodrigues).

APÓS 105 DIAS DE GREVE, PROFESSORES TENTAM RESISTIR A CANSAÇO, DESGASTE E FALTA DE SALÁRIOS

Os sinais de desgaste provocado pelos 106 dias de greve dos professores da rede estadual de ensino estavam visíveis nos rostos, bolsos e ânimos dos docentes que participaram da assembleia-geral desta terça-feira (24), no Colégio Central. O cansaço foi admitido pelo próprio presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Rui Oliveira, que ponderou em entrevista que “a categoria está muito desgastada e debilitada”. O corte de salários e a falta de perspectivas para a resolução do impasse provocam baixas na adesão do movimento e as estratégias para minimizá-las foram discutidas pelos docentes. “Se o companheiro estiver fraquejando, por dificuldade ou cansaço, a gente tem que pegar pelo braço e trazer de volta para o movimento e não se voltar contra ele”, defendeu Germano Barreto, professor de Feira de Santana, que discursou sobre formas de combate à desunião. Em entrevista ao Bahia Notícias, a diretora da APLB na região cacaueira, Ruth Menezes, pediu aos colegas para não “criminalizar os companheiros” que deixaram a paralisação. “Quem voltou ao trabalho foi por necessidade, porque está com água e energia cortadas, aluguel atrasado, sem limite no cartão até para comprar comida. Não é justo criminalizar esses colegas que resistiram o quanto puderam e deram sua parcela de contribuição ao movimento”, argumentou. O balanço apresentado pela educadora contrapõe os dados oficiais do Estado, ao indicar que, dos 27 municípios que compõem a regional, apenas em Ilhéus e Itabuna, “os dois maiores”, a greve continua. O principal entrave apontado é o corte de salários, já que a realização de bazares e campanhas para arrecadar cestas básicas não se mostrou suficiente. “Sempre que falo aos professores da minha regional peço a eles que resistam por mais uma semana, mas não sei o quanto eles aguentam. [...] Precisamos discutir uma saída honrosa, mas precisamos também entender que já somos vitoriosos pelo resgate da união da categoria, pela resistência e pela visibilidade nacional que conseguimos dar ao movimento”, concluiu. (Patrícia Conceição - Foto: Tiago Melo/Bahia Notícias).

NEM SEMPRE SANTO, NEM SEMPRE PROFANO... NA CÂMARA!

Convenhamos: se já não é fácil divulgar e construir a Imagem de um Prefeito sem o uso maciço da mídia de massa, do rádio e da televisão principalmente, que dizer, então, de fazer o mesmo trabalho com um Vereador? A vereança tem algumas características que dificultam a construção de imagem dos parlamentares: Vereador só é notícia, se a notícia for ruim. Mesmo nas cidades que tem sucursais das redes abertas de TV e de jornais, o trabalho das Câmaras Municipais não recebe muito destaque dos noticiários. E, quando recebe, em geral é relacionado a alguma notícia ruim, como escândalos ou votação de leis impopulares. A cobertura jornalística feita é desequilibrada. Os temas positivos debatidos no Legislativo, de interesse da população, não são abordados. A imprensa pressupõe que só as mazelas interessam ao povo e, por isso, dão audiência. As pessoas não sabem bem o que faz um Vereador. Qual é o trabalho do Vereador? Para a maioria das pessoas os legisladores municipais são vistos como despachantes dos problemas (menores, mas não menos importantes) dos bairros, ou potenciais solucionadores de problemas pessoais. E é a partir desses dois aspectos, de baixa densidade, digamos, que os vereadores são avaliados. Os vereadores são mais regionais que temáticos. Isso faz com que a maioria dos eleitos tenha uma imagem mais difusa (“Fulano do Bairro Tal”) e menos profunda. A luta pela sobrevivência eleitoral, aliada à fragmentação do voto (poucos vereadores atingem mais de 1% dos votos válidos), faz com que a maioria dos candidatos que se elegem seja os que buscaram identificação maior com um bairro. Aqueles candidatos que trabalham temas (Educação, limpeza pública etc.) em geral tem mais dificuldade de reunir o número de votos necessário para se eleger. Vereadores não planejam a imagem almejada. “Como quero ser visto e ficar conhecido na minha cidade e, em especial, entre os meus eleitores?” Esta não é uma pergunta que a maioria dos vereadores se faz quando começam seus mandatos. Ter clara a imagem almejada (a ser construída ou reforçada) ajuda a delinear os rumos do Mandato e facilita o planejamento da Comunicação. Vereadores não fazem Comunicação eficiente. Explico melhor: os vereadores são, em geral, bons comunicadores e estão sempre em contato com suas bases eleitorais. Essa comunicação, no entanto, tem como foco, principalmente, as demandas apresentadas pelos eleitores. Poucos vereadores tem uma estratégia clara de, em meio à discussão de demandas, incluir os temas do seu interesse, e que reforçam sua imagem. Nesse sentido, falta planejamento. Voltaremos a esse assunto mais adiante. Você acha que algum aspecto importante da imagem do Vereador deixou de ser abordado neste post?