31 de julho de 2016

ESTÃO TODOS DESAGREGADOS NA DIREITA E ESQUERDA, EM ITABUNA

Roberto José e Mangabeira estão na expectativa das brigas
entre prefeituráveis de "esquerda" e "direita" os beneficiem
Diferentemente do que ocorria em todas as eleições passadas, as circunstâncias atuais submetem democratas e tucanos em palanques opostos e petistas e comunistas, como adversários um do outro. Fernando Gomes (DEM) e Augusto Castro (PSDB) dão sinais de que não recomposição entre ambos. Davidson Magalhães (PC do B) e Geraldo S. de Oliveira (PT), insistem em candidaturas inconsciliáveis. Fernando não tem mais idade para protelar seu sonho de conquistar seu quinto mandato como prefeito de Itabuna. Augusto tem ambições de poder, que necessita de vitória neste ano. Davidson busca ocupar o legado de liderança das esquerdas, com derrota de Geraldo, que depende de uma sua moribunda candidatura nestas eleições, para manter o nome vivo e tentar reconquistar o mandato perdido em 2014. Portanto, as disputas estão além dos interesses ideológicos, partidários e políticos. Questões pessoais e interesses locais, ditam a regras destas eleições. Quem ganhar seguirá carreira promissora. Quem perder ficará fadado ao fracasso e com a pecha de culpado pela derrota do "candidato parceiro de campo político". Assistindo a batalha do "fogo amigo", vão estar Antonio Mangabeira (PDT) e Roberto José (PR). A platéia dos indecisos está atenta aos acontecimentos e pode resultar em surpresas colossais, como ocorrera em quase todas as eleições passadas. Quem não viver até lá, não verá!

30 de julho de 2016

OS VICES VENCERIAM SEUS PREFEITURÁVEIS

Os vice, Leninha e Serpa, são superiores aos seus prefeituráveis
As atuais eleições municipais em Itabuna, estão gerando situações inusitadas e inimagináveis há alguns dias. Nunca se pensou, que "direita" e "esquerda", marchariam dividias com suas respectivas campanhas. Nem que houvesse a "mistura de alhos e bugalhos" ideológicos nas coligações, pois alguns partidos juntos numa mesma coligação, eram antagônicos recentemente e o que mais chama a atenção nas composições que estão sendo acertadas para formação das chapas dos partidos e coligações, são os vice-prefeituráveis, com muito mais prestígio eleitoral, quando comparados aos majoritários. Ou alguém ousaria duvidar que Leninha da Auto-Escola (PPS), seja mais forte que Davidson Magalhães (PC do B)? Ou que o Coronel Serpa (PSL) venceria Geraldo Simões (PT), numa disputa em que ambos concorressem ao mesmo cargo eletivo? Leninha e Serpa são maiores que seus titulares em suas respectivas chapas majoritárias. Serpa e Leninha numa mesma chapa, teriam mais votos, que Geraldo e Davidson como prefeiturável e vice, num mesmo palanque. E estes fatos criaram no jogo da busca do voto, circunstâncias em que os jogadores classificados, saíram do banco de reserva, mas resultaram em goleadas desfavorecendo os titulares. Leninha é melhor que Davidson e Serpa não é pior que Geraldo. Eles desunidos, são poucos para superarem seus adversários. E esta afirmação, o tempo confirmará, ou não, no início de outubro, quando os votos forem contados! 

29 de julho de 2016

ROBERTO JOSÉ RECUSOU 800 MIL REAIS PARA SER VICE DE FICHA SUJA

Roberto José recusou uma fortuna para ser vice de corrupto
Ontem, quinta-feira/29, interlocutores ligados a um pré-candidato a prefeito de Itabuna, com extensa lista de práticas de roubo de dinheiro público, tentou comprar a adesão do pré-candidato Roberto José (PR), para que ele fosse vice numa chapa fadada ao fracasso. A tentativa de cooptação, que começou com cifras inferiores a 300 mil reais, atingiu somas superiores a 800 mil reais e  mais três secretárias, em caso de vitória. Mas tudo isto não foi suficiente para convencer Roberto José ser vice. Ele, categoricamente, declinou do convite, declarando que manterá sua candidatura até o fim da campanha e que o povo de Itabuna saberá reconhecer sua capacidade técnica e ética, para se tornar o melhor prefeito da história da cidade. Esta atitude de Roberto José, revela que dignidade é um sentimento que requer alto valor moral; qualidade espiritual positiva e nobre, e que homem digno é encontrado em todas as camadas sociais e não seria diferente na política. Dignidade implica no uso da liberdade com autonomia para poder não se vergar ao domínio e exploração que as criaturas que se julgam mais poderosas, tentam impor sobre as demais. Quem é digno possui firmeza de espírito; é firme em suas opiniões, não se acumplicia com bandidos do colarinho branco e até desafiam-nos se isto for necessário para salvar a sua. Quem é digno sabe renunciar a qualquer cargo, posição ou bem material quando for chegada a hora, já que nunca trai seus ideais. Onde faltar a dignidade não existirá sentimento de honra. 800 mil reais jamais comprariam a honra e firmeza de propósito de quem tem projeto, que vai além dos seus interesses pessoais. Assim, Roberto José se impõe honrado e não escravo, capacho ou jumento de cangalha de alguém. Gente assim, jamais se permite ser arrematada. Não será exagero considerar a coragem como sendo a primeira das eloqüências, pois a coragem integra o caráter. Ambas essas virtudes, coragem e caráter possuem-nas o homem digno que respalda suas ações em direção à perfeição. Os homens dignos sabem refletir quando convém agir; já os fracos agem sem refletir e facilmente se vendem, ou se rendem. O mérito das ações que empreendem é medido pelo esforço que requerem e não pelos seus resultados. Parabéns Roberto José, por sua contribuição à minha convicção, que nem todas pessoas fazem da política, uma prática de prostituição. Valeu Roberto José!

REJEITADO POR TODOS EM ITABUNA, GERALDO IMPORTA VICE DE TEIXEIRA

Observa-se nesta foto, que Serpa, precavido, segura os bolsos
Depois de ter tido muitos convites recusados por todos os políticos civis de Itabuna, para compor sua chapa majoritária como vice-prefeito, aconteceu na tarde desta sexta-feira/29, o anuncio do petista, Geraldo Simões, de que o Tenente Coronel, Valci Serpa, está vindo da longínqua cidade de Teixeira de Freitas, para ser seu vice. Serpa se filiará ao inexpressivo PSL, que pertence ao presidente da Assembléia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo e que não tem nenhum candidato a vereador em Itabuna. Entre os nomes que recusaram embarcar na canoa furada do corrupto petista, estão os pré-candidatos a prefeito, Roberto José (PR) e Davidson Magalhães (PC do B) e os vereadores Ronaldão (PMN), Aldenes Meira (PC do B) e Carlito do Sarinha (SD). A relação das pessoas que fugiram de ser vice de Geraldo, possui quase a mesma quantidade de eleitores, que deverão votar nele em outubro. Parece piada, mas o fato é que Itabuna possui muito pouca gente, com coragem de submeter-se à condição de suplente de boi de piranha nestas próximas eleições. 

MÉDICO SÓ DECEPCIONA COMO PREFEITO

Marcos Wense ainda não convence que Itabuna
doente, tenha que ter um médico como prefeito
Não conheço um só caso, em que médico tenha correspondido à expectativa de ser bom prefeito. Todos adoeceram, ou morreram como gestores públicos e políticos. Todos entraram na prefeitura como pessoas amadas e veneradas, mas saíram, melancolicamente, rejeitados pelo povo. Foram promessas não cumpridas. Sonhos transformados em pesadelos. Basta saber da história de Paulo Martinho, em Itajuípe; Mardson Monteiro, em Buerarema; Fábio Pitanga, em Barro Preto; Tânia Brito; em Jequié; Monaliza, em Ibicaraí; Urbano Santos, em  Itapé e Olyntho Alves Moreira, em Potiraguá. Mais há outros péssimos exemplos de médicos que fracassaram como prefeitos no sul da Bahia. E por que médicos falham como prefeitos? Por que salvam vidas e matam suas próprias reputações? São indagações cujas respostas se perdem na incógnita de suas razões e confissões inconfessáveis. Só eles sabem sabem as causas dos seus fracassos como governantes. E estes fatos devem submetê-los a refletir sobre as perguntas aqui referidas. Quanto ao eleitor, é salutar que sejam mais criteriosos e cobrem dos seus candidatos médicos, as respostas que aqui, não encontramos e nem arriscamos dá. 

SEM O ELEITOR VIGARISTA, NÃO EXISTE O POLÍTICO VIGARISTA E VICE-VERSA

Quem vende voto é pior que o mais ladrão dos políticos
Há quem diga que existem dois tipos de eleitores: os que ainda não sabem em quem vão votar, e aqueles que, definitivamente, não sabem votar – e, por isso, fazem as piores escolhas. Eleitores desinformados estão sujeitos a toda sorte de assédio de políticos nem sempre bem intencionados: ouvem promessas que não serão cumpridas e têm a sensação de que ganharam alguma coisa – uma cédula de 50 a 100 reais, uma cesta básica, uma sandália, um tapinha nas costas, santinhos – quando, na verdade, são os que mais perdem depois que são conhecidos os resultados das urnas. A caça ao voto é um vale-tudo sem tamanho. Houve um tempo em que o eleitor ganhava dentaduras – a de cima antes de votar e a de baixo depois que seu candidato era eleito. E, para os portadores de deficiência, primeiro uma muleta e depois a outra. Ainda hoje, candidatos a cargos eletivos dão dinheiro para churrascadas regadas a cerveja para garantir uma dezena de votos – além de prometer vagas em escolas, milheiros de tijolos, vale gás e diversos mimos para conquistar o eleitor. É fato que a vitrine de candidatos também não é das melhores. O que sobra em quantidade falta em qualidade. Este ano não vamos escolher somente o prefeito e seu vice. Mas também vereadores. Em Itabuna serão eleitos (e reeleitos) 21 vereadores. Daqui a dois anos tudo recomeça com eleições para Presidente, Governador, Senadores, deputados estaduais e federais. É muita responsabilidade. E muitos escrutínios – convenhamos.

IGREJAS NÃO DEVEM SER BALCÕES DE COMÉRCIO

"muitos virão em meu nome, dizendo: 'Eu sou o Cristo!'
e enganarão a muitos. - Mateus 24:4-5
Vivemos num mundo de tantas ideias, diversas, desencontradas e contraditórias... Mil visões sobre a realidade que nos envolve: tem-se opiniões e teorias sobre o universo, sobre a natureza, sobre a história e suas leis, sobre a biologia, sobre o psiquismo humano, o sentido da sexualidade, da cultura... No entanto, nenhuma dessas ideias explica e engloba o todo da realidade, nenhuma satisfaz realmente o nosso coração, com suas perguntas infindáveis... As ciências não poderão jamais desvendar o sentido da realidade e da vida! Poderão oferecer alguns modelos de interpretação; modelos parciais, provisórios, bem setoriais! Mas, o sentido, mesmo, envolto em mistério, jamais ciência alguma poderá desvendar! Mais ainda: se tiver tal pretensão, descambará no puro e simples charlatanismo! Também as religiões: tantas! E agora, com a globalização dos meios de comunicação e a inédita intensidade de deslocamentos humanos, vamos nos dando conta da diversidade impressionante do modo como a humanidade concebe o divino, o sagrado e suas relações com Ele... Até mesmo no interior do próprio cristianismo mesmo: nunca se viu tantas denominações, tantas seitas, tantas “igrejas” pegue-e-pague como agora! Ao lado de denominações bastante sérias, há tantas “Igrejas” de araque, pastores de araque, missionários falsos profetas, com milagres inventados e promessas vâns... Triste vulgarização de coisas tão sérias! Religião é algo muito sério, pois envolve a busca do sentido que ilumina de modo global a realidade, a vida e a morte! Ante tal realidade tão complexa e inusitada, não são poucos os que se sentem perplexos e se questionando se existe mesmo a “verdade” e a “religião verdadeira”. Não seria o cristianismo, não seria a nossa fé católica simplesmente mais uma possibilidade entre tantas, mais uma tentativa ilusória de explicar e enfrentar a existência? Não seria mais lógico, mais tolerante afirmar, como o fazem as religiões do extremo Oriente, que o mistério, o divino não podem ser capturados, compreendidos e, assim, toda religião é apenas um balbucio humano, tímido, provisório, imperfeito e incompleto sobre este mistério que é a saudade visceral do coração humano? Esta visão não seria mais madura, mais tolerante, mais de acordo com a multiculturalidade do mundo globalizado atual? Uma religião como o cristianismo não seria uma pretensão intolerante de se julgar “dona da verdade”? Deixo estas perguntas.

28 de julho de 2016

A VACA DO BREJO AINDA MUGE

Não faltaram "jumentos" para darem leite para a "vaquinha"do PT
Vaquinhas berram. Leite esvai pelo ralo. E a vaca teima em não sair do brejo. O PT está condenado, como partido, pelo seu próprio metabolismo. Por sua própria formação molecular, os petistas são incapazes de mudar de métodos, isto é, de se corrigir. Lembram do mensalão? Um monte de petistas na cadeia, perda de cargos, cassação de mandatos – e nenhuma mudança. Aliás, o mensalão seria apenas o protótipo, o embrião do bilionário petrolão. Lembram que, condenados, José Dirceu e José Genoíno recorreram a uma vaquinha para pagar multas arbitradas pelo Supremo Tribunal Federal? Uma afronta à Justiça, uma galhofa com a sociedade. Mas fizeram, as vaquinhas deram leite – quer dizer, dinheiro – e as multas viraram motivo de chacota. Qualquer um pode depositar na conta bancária aberta, inclusive o próprio apenado, valendo-se de terceiros. Ou seja, usam o dinheiro público desviado para quitar débitos com a Justiça. Dirceu, Genoíno, tudo bem, mas, e Dilma? Como a afastada presidente da República pode protagonizar um esquema venal como esse de promover vaquinha para angariar fundos? Algum caso de doença? Uma enfermidade grave? Uma despesa médica emergencial? Nada. Dilma fez a vaquinha para bancar viagens aéreas. Objetivo: percorrer o país fazendo proselitismo, apupando o governo que está tentando consertar a tragédia que ela produziu, além, claro, de continuar mentindo para as camadas menos informadas da população. A vaquinha de Dilma pode não constranger os petistas, seus aliados, mas envergonha a nação. Dilma, Lula, o PT não precisam de vaquinhas, esmolas, ou doações maquinadas. São protagonistas de um fantástico esquema de pilhagem do dinheiro público. Não fossem profissionais da gozação, campeões de cinismo, não encenariam mais esse espetáculo de deboche e pouca vergonha. Afinal, o produto da vaca – que pode parecer muito para quem nada tem - não passa de merreca, se comparado aos rios de dinheiro desviados da petrolífera nacional. Esse triste episódio mostra, mais uma vez e de forma conclusiva, por que Dilma Rousseff não tem estatura ética nem moral para presidir o Brasil.

PREFEITURA NÃO É PROSTÍBULO, POCILGA E ESTÁBULO

Somente Vane enxerga em seu governo, avanços que ninguém ver
Neste dia 28 de Julho de 2016, Itabuna completa seus 106 anos, mas infelizmente sem nada para comemorar; todas as cidades reservam para a data de seu aniversario, desfile cívico, shows, festivais, inaugurações e lançamentos de obras... Mas em Itabuna se não coincidisse a festa que a Câmara promove para concessão de títulos de cidadania nessa data, talvez a nossa cidade estaria hoje, apenas lamentando mais homicídios, aumento dos dados epidemiológicos das doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti, escolas, cinemas, museus, galerias de artes, hospitais, postos policiais e de saúde fechados... ruas com dramática escuridão e esburacadas, com o matagal invadindo praças e acessos á cidade. E diante desta situação lastimável e lamentável, o alcaide, Claudevane Leite ("PC do B"), ainda ousaria fazer um pronunciamento, insistindo e enganando, sobre supostos avanços em todos os setores da prefeitura, cujos devaneios, somente ele crer. Infelizmente, os governantes não tem nada para comemorar, e sim lamentar, por que nos últimos anos Itabuna entrou em decadência, e só não esta pior por que a população desta cidade é composta por pessoas honestas e trabalhadoras e que não desistem nunca de seu perfil desbravador, arrojado, empreendedor e persistente. Se comparar com cidades como Vitória da Conquista, Lauro de Freitas e Camaçari, que há uns quinze anos eram menores e mais pobres que Itabuna e que atualmente progrediram tanto, que chega a nos envergonhar e constranger, infelizmente nosso município retrocedeu ao tempo; nacionalmente a política esta desgastada, em Itabuna está pior ainda, com um prefeito acabrunhado, frouxo e que se submeteu à insignificância de ser a trigésima primeira pessoas depois do quinto suplente de vereador comunista. Ao longo dos seus 106 anos, Itabuna está vivendo os piores anos da sua história, com um prefeito que mais decepcionou sua gente. Se Vane apostar carreira com cágado, perde. Porque o bicho é muito lento, mas anda para frente, enquanto que o alcaide só cai e quando se levanta, é para fazer parasitas do seu governos deitar e rolar com ganhos, que só fazem Itabuna perder e retroceder ao tempo. Como em todas as eleições, o eleitor é o responsável por eleger quem esta melhor preparado, mas neste ano, o itabunense tem a responsabilidade ainda maior, de avaliar melhor seus prefeituráveis, porque Itabuna não aguenta mais continuar com prefeito que não manda e nem desmanda na prefeitura. A cidade também não deve voltar a ser governada, por políticos que já foram prefeitos e somente se locupletaram do dinheiro público. Não dar mais para aceitar a prefeitura servindo de prostíbulo, ou estábulos e pocilga. 

PARTIDO DE MARINA SILVA NA REDE DE ROBERTO JOSÉ

Roberto José avança na busca de consolidar sua candidatura
Quado especulações apontavam a possibilidade de coligação envolvendo PR e PTN, o ex-deputado estadual, Gilberto Santana descartou ser vice de Roberto José, que também não quis compor como vice na chapa do prefeiturável do PRN. Mas o PR não estará só nestas eleições. Com articulações envolvendo os presidentes estaduais do PR, José Carlos Araújo e do Rede Sustentabilidade, Julio Rocha, os dois partidos decidiram se misturarem num mesmo palanque. Embora a Rede ainda não tenha definido quem será seu nome indicado para a vice, ficou combinado que a coligação que terá Roberto José como candidato a prefeito. Roberto José tem intensificado reuniões com lideranças dos bairros de Itabuna, com o objetivo de conhecer e debater sobre os principais problemas das comunidades para construção do plano de governo. "Itabuna necessita de um choque de gestão, uma nova forma de fazer política e gestão. Estamos visitando todos os bairros da cidade, ouvindo os moradores e acompanhando de perto as principais necessidades da comunidade. Só assim podemos construir um plano de governo consistente e realizável, sem emanações ou promessas mirabolantes", garante Roberto José. 

27 de julho de 2016

TALVEZ DILMA SEJA MAIOR ABERRAÇÃO QUE O PT E LULA

O Juiz Sérgio Moto tem sido o terror contra corruptos e máfias
O PT está condenado, como partido, pelo seu próprio metabolismo. Por sua própria formação molecular, os petistas são incapazes de mudar de métodos, isto é, de se corrigir. Lembram do mensalão? Um monte de petistas na cadeia, perda de cargos, cassação de mandatos – e nenhuma mudança. Aliás, o mensalão seria apenas o protótipo, o embrião do bilionário petrolão. Lembram que, condenados, José Dirceu e José Genoíno recorreram a uma vaquinha para pagar multas arbitradas pelo Supremo Tribunal Federal? Uma afronta à Justiça, uma galhofa com a sociedade. Mas fizeram, as vaquinhas deram leite – quer dizer, dinheiro – e as multas viraram motivo de chacota. Qualquer um pode depositar na conta bancária aberta, inclusive o próprio apenado, valendo-se de terceiros. Ou seja, usam o dinheiro público desviado para quitar débitos com a Justiça. Dirceu, Genoíno, tudo bem, mas, e Dilma? Como a afastada presidente da República pode protagonizar um esquema venal como esse de promover vaquinha para angariar fundos? Algum caso de doença? Uma enfermidade grave? Uma despesa médica emergencial? Nada. Dilma fez a vaquinha para bancar viagens aéreas. Objetivo: percorrer o país fazendo proselitismo, apupando o governo que está tentando consertar a tragédia que ela produziu, além, claro, de continuar mentindo para as camadas menos informadas da população. A vaquinha de Dilma pode não constranger os petistas, seus aliados, mas envergonha a nação. Dilma, Lula, o PT não precisam de vaquinhas, esmolas, ou doações maquinadas. São protagonistas de um fantástico esquema de pilhagem do dinheiro público. Não fossem profissionais da gozação, campeões de cinismo, não encenariam mais esse espetáculo de deboche e pouca vergonha. Afinal, o produto da vaca – que pode parecer muito para quem nada tem - não passa de merreca, se comparado aos rios de dinheiro desviados da petrolífera nacional. Esse triste episódio mostra, mais uma vez e de forma conclusiva, por que Dilma Rousseff não tem estatura ética nem moral para presidir o Brasil.

26 de julho de 2016

DEDICO ESTE DIA AO MEU AMADO NETO YAN

Quero dedicar este meu dia do avô, para meu amado neto Yan
Hoje é Dia dos Avós! Você já sentiu a emoção de ser avó? É indescritível! Com o nascer dos netos, renascemos! Sentimos o eclodir das estrelas! A alvorada surge mais calorosa e intensa! Presenciamos a magia da expansão da família! Sentimos a perpetuação do nosso amor como o frescor de botões de flores se abrindo! A mais sublime tarefa do ser humano é criar uma nova vida. Como é doce e suave o choro de um ente querido ao nascer! É cheiro de vida! Enquanto ele chora, a família sorri e os avós choram sorrindo! Os netos são o maior presente da maturidade. Com eles exercitamos a paciência, o carinho, o apoio, a cumplicidade. Duplicamos o amor. Tornamo-nos seres melhores. Como diria Rachel de Queiroz, “mora em outra casa. Traz presentes. Faz coisas não programadas. Leva para passear, “não ralha (repreende) nunca”. Deixa lambuzar de pirulitos. Não tem a menor pretensão pedagógica. Confidente das horas de ressentimento, o último recurso nos momentos de opressão, aliado nas crises de rebeldia... Tem todos os encantos de uma aventura”. Com o meu neto Yan, sinto-me mais aconchegante, afetuoso e rejuvenescido. Querido neto Yan, inspirando-me em Confúcio, digo-lhe: Quando você nasceu, a família se regozijou. Viva sensato e amorosamente, de maneira que ao partir, todos chorem e só você sorria. Netos, alvorada de vida!

NILO COELHO FOI GOVERNADOR SEM VOTO E DAVIDSON FOI DEPUTADO BIÔNICO

Davidson assumiu mandato de congressista
como biônico na suplência da coligação do PT
O noticiário chama a atenção para a indecente farra dos suplentes. Candidatos ao Senado Federal apresentam, como suplentes, a própria mulher, o pai, o filho, o primo ou o financiador da campanha. Se eleitos, nos seus impedimentos, são substituídos por figuras na maioria das vezes despreparadas para o exercício da função, de quem o eleitorado jamais ouviu falar e que, a bem da verdade, não têm o menor compromisso com o povo ou com a Nação. Ocorre a mesma coisa com os candidatos a vice nos cargos executivos. Como não são votados, não precisam ser conhecidos e nem ter afinidade com o público. São os verdadeiros mequetrefes que, de repente, aparecem investidos como autoridades e – o pior – decidindo sobre os destinos de todos nós. O suplente-parasita é uma invenção da Constituinte de 1946, que criou o suplente atrelado ao candidato, em respeito ao princípio partidário. Por certo, os constituintes de então pensaram apenas nos partidos e não nos efeitos colaterais ultimamente registrados, que desmerecem a figura do suplente embora, um dia, ele possa vir a ter a mesma importância do titular. A bem da verdade, os titulares, detentores do prestígio eleitoral e dos votos, deveriam ter mais consideração com o eleitorado e apresentar suplentes mais adequados. O outro parasita eleitoral, encarnado pelo vice dos postos executivos, é uma criação do período militar. Antes do movimento de 64, o vice também tinha de enfrentar uma campanha e conseguir votos para se eleger. O exemplo mais conhecido é o Jango Goulart, que foi vice de Juscelino Kubistchek (PSD) e de Jânio Quadros, sucedendo o segundo por ocasião da sua renúncia. No regime militar, tanto presidentes como governadores foram eleitos indiretamente – sem a participação do eleitorado – e com os vices atrelados. Os prefeitos, sim, eram eleitos diretamente pelo povo, e tinham seus vices igualmente colados. Isso levou muita gente inexpressiva, verdadeiros “postes”, a assumirem os governos de suas cidades, com todas as implicações que a falta de representatividade pode ocasionar. Veio a redemocratização e, em vez de acabar, o vice biônico foi confirmado também para governador e presidente da República. Num regime efetivamente democrático, todos os que pretendem assumir postos eletivos têm de passar pela eleição. As figuras do suplente de senador e do vice dos cargos executivos são indevidas. Precisam acabar com a maior urgência possível. Espera-se que as mesmas forças mobilizadoras pelo vitorioso processo da ficha limpa, se empenhem para banir da vida nacional as figuras biônicas do suplente de senador e do vice não eleito. Quem quiser ocupar esses postos, tem de passar primeiro pelo crivo do eleitor. Do jeito que está é, pelo menos, ilegítimo, até imoral.

25 de julho de 2016

ELEIÇÃO EM ITABUNA PODE TER POLARIZAÇÃO ENTRE TUCANO E CURURU

Os comunistas acham pouco terem destruído o governo de Vane
Se as candidaturas de Fernando Gomes (DEM) e Capitão Azevedo (PTB), forem indeferidas pela Justiça Eleitoral e a jurisprudência de instâncias superiores da Justiça não o beneficiarem com liminares, as eleições municipais deste ano em Itabuna, deverão ser disputadas pelo tucano Augusto Castro e o cururu Davidson Magalhães. Ambos devem convergir a maioria dos partidos em suas respectivas coligações e muito pouco restará para Antonio Mangabeira (PDT) e Geraldo S. de Oliveira (PT). É consenso entre os articulistas políticos, que quanto maior o agrupamento de partidos e lideranças, mais se fortalece quem pretende ganhar a eleição. Mangabeira só possui o PDT em sua campanha e Geraldo só conseguiu apoios de partidos sem nenhum candidato a vereador, que são os nanicos e inexpressivos PPL, PSL e Pros. Pedetista e petista não conseguem deslanchar suas candidaturas. Mangabeira empacou nos 4% e embora Geraldo esteja com índice dobrado, quando comparado ao candidato do PDT, sua rejeição recordista é superior a 50% do eleitorado itabunense e sua posição no quesito aceitação, é menos da metade do candidato do PSDB. Augusto Castro sem Fernando na disputa, se torna franco favorito, enquanto o comunista Davidson Magalhães o persegue na corrida eleitoral, com a maior coligação entre os prefeituráveis do campo situacionista. Portanto, as previsões apontam a possibilidade do próximo prefeito de Itabuna, está entre o tucano Augusto Castro e o cururu Davidson Magalhães.

ALAH ALERTA PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS CANDIDATOS

Alah Góes é especialista em legislação eleitoral
Recentemente promovi um curso sobre Legislação Eleitoral, sob palestra do renomado advogado Alah Góes e acabei também absorvendo o aprendizado. Alah ressaltou que as mudanças na lei eleitoral e a imposição de um teto de gastos para candidatos a prefeitos e vereadores prometem fortalecer a figura do voluntário na campanha ao pleito municipal deste ano. É neles que os candidatos, principalmente aqueles com menos recursos para gastar, vão se apoiar na corrida pelo voto, deixando para trás o popular cabo eleitoral, que recebe dos partidos um valor fixo para fazer o trabalho de convencimento do eleitor. Este ano, deve ser diferente, inclusive para candidaturas mais robustas financeiramente. Não só nesse aspecto. A Lei Eleitoral impôs também um controle mais rígido na prestação de contas. Diferente do que era feito na eleição de 2012, quando muitos candidatos só prestavam contas ao final do pleito, este ano vão ter que se desdobrar para apresentar à Justiça Eleitoral prestações a cada 72 horas após o recebimento de doações. O prazo é mais uma medida do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na busca por frear as fraudes eleitorais. Além disso, os candidatos e partidos políticos terão, obrigatoriamente, que abrir uma conta bancária específica para a campanha. Qualquer recurso recebido irá para essa conta, que terá acompanhamento permanente da Justiça Eleitoral e de outras instituições de controle financeiro. A conta deve ser feita na Caixa Econômica Federal, no Banco do Brasil ou em outra instituição financeira com carteira comercial reconhecida pelo Banco Central do Brasil, mesmo que não ocorra arrecadação ou movimentação de recursos financeiros, salvo para os candidatos em municípios em que não haja agência bancária ou posto de atendimento bancário, segundo o TSE. Até 2012, a abertura da conta específica era obrigatória apenas para candidatos a prefeito e partidos políticos. Este ano, valerá também para candidatos a vereadores nos municípios acima de 20 mil eleitores, que possuam correspondente bancário, como é o caso de Itabuna que dispõe do serviço.

OS POBRES DE BUERAREMA SÃO OS MAIS POBRES DO SUL DA BAHIA

Até ao saque o povo de Buerarema já recorreu contra a fome
Pobreza é a condição de não dispor de meios ou de verba suficientes que permitam a satisfação das necessidades. Existem diferentes tipos de pobreza tais como pobreza absoluta, pobreza relativa e pobreza subjetiva. Pobreza absoluta, é quando se carece dos meios para satisfazer as necessidades básicas humanas e é o pior tipo de pobreza. A pobreza experimentada hoje, pelo povo de Buerarema, é sistêmica e está relacionada com a desigualdade na redistribuição econômica na Bahia, onde os recursos se restringem a Salvador, Camaçari e pouco mais de umas cinco outras cidades e com o drama de não haver nenhuma cidade sulbaiana, mais judiada e menosprezada pelos governos em suas três estâncias, evidenciando a incapacidade governamental para satisfazer as necessidades da maioria da população. Daí, advém um aumento exponencial de desemprego e do emprego precário, do assalto sistemático aos direitos dos trabalhadores e cortes nos salários e subsídios, que também tem como consequência o empobrecimento da população para níveis jamais imagináveis. Para acabar com a pobreza e o desemprego, seria seria necessário o governo baiano implementar políticas sociais de acordo com as necessidades da população, bem como a transferência de industrialização para o sul da Bahia e em especial, para Buerarema. As crises que afetam o país, é mais dramática em Buerarema. O tempo parece retroagir na cidade. Nada avança. Tudo parece conspirar contra o povo bueraremense, que perplexo por não conseguir mudar o rumo da cidade, tem se mudado rumo a outras cidades e estados. Só em Brusque, em Santa Catarina, já existem mais de 8 mil homens e mulheres de Buerarema. O exodo é recorde na Bahia. A indignação do povo é tão grande, que a cidade foi a única dos 417 municípios baianos onde o presidenciável Aécio Neves (PSDB) superou a candidata Dilma Rousseff (PT) no primeiro turno das eleições em 2014. Buerarema vive há doze anos sob tensa disputa entre produtores rurais e indígenas tupinambás. Os primeiros perderam propriedades rurais, invadidas pelos índios que, por sua vez, reivindicam o direito à terra. A pendenga sobre regularização da demarcação de terras na região se arrasta no Ministério da Justiça (MJ) sem resolução há anos. E todo este drama parece não ter fim. 

VANE SUMIU

Vane tem se "enforcado" nos contra-tempos que causa a Itabuna
O itabunense que elegeu o prefeito Claudevane Leite ("PC do B"), jamais imaginou que ele seria tão decepcionante. A maioria entre os eleitores, acreditou que Itabuna teria fim da mesmice de prefeitos medíocres, corruptos, incompetentes e prejudiciais à cidade. A promessa do então vereador, que sonhava ser prefeito, empolgava por sua empostação de voz branda, suas gesticulações suaves, sua história simples e suas lutas beneficentes para jovens e famílias carentes. Mas como uma víbora venenosa à espreita das suas vítimas, ele mostrou suas garras de aves de rapina logo após sua posse como prefeito. Simplesmente terceirizou o governo. O entregou aos predadores, corruptos e incompetentes comunistas. E o resultado está revelado nos vergonhosos índices de rejeição a que ele está submetido em todas as pesquisas de avaliação sobre a qualidade da sua administração. É como se ele estivesse em férias permanentes. Ausente. Omisso. Rendido. As consequências recaem sobre o povo de Itabuna, que sofre tendo que pagar para poluir o rio cachoeira e consumir água salgada e cara. Dez escolas fechadas em apenas um dia. E mazelas que se sucedem, para gosto dos comunistas e desgosto dos itabunenses. 

JERBERSON JOSUÉ PODE SER VICE DE CARMELITA EM ILHÉUS

Jerberson vice é brinde à militância e coerência ideológica
Durante o sábado movimentado nos bastidores da política ilheense, a cúpula do PT municipal se reuniu no escritório da petista Marilene Lapa. Na importante e movimentada reunião, estavam presentes, além da totalidade dos membros da executiva municipal do partido, os militantes Edson Vieira e Jerberson Josué. Após debater a respeito do atual cenário, o PT ilheense considera que, em função do desgaste da sigla a nível nacional, é impossível que um dos demais partidos que colocam pré candidatos na disputa da sucessão municipal, hoje, queira uma aliança com a sigla. Assim, está batido o martelo em relação á real possibilidade de lançar uma chapa petista “puro sangue”. O partido não abrirá mão da candidatura da professora Carmelita á sucessão. Ainda diante de um cenário muito diferente da última eleição, quando Carmelita foi a principal oponente do candidato vencedor, o atual prefeito Jabes Ribeiro, o PT quer usar a candidatura majoritária para, ainda que diante de uma derrota iminente, garantir vitórias na proporcional. O partido quer garantir ao menos dois vereadores na próxima legislatura, e trabalha para que, entre os eleitos, esteja a professora Enilda Mendonça, ex presidente da APPI. Assim, durante a reunião, a cúpula propos ao militante Jerberson Josué que seja o vice na chapa “puro sangue” capitaneada por Carmelita. Por enquanto, Jerberson, que é pré candidato á vereador e pode minar planos de candidatos da Princesa Isabel e adjacências que tradicionalmente são bem votados na área e devem perder votos para o jovem petista, disse não. A cúpula do PT, porém, não acredita que Josué decline de um convite oficial. Se confirmado como vice na chapa de Carmelita, Jerberson será um das mais jovens personalidades a disputar o cargo na história política do município. Por chicoandrade.

O PENALTI NÃO CONVERTIDO DE UM JOGADOR PERDIDO EM ITAJUÍPE

Se joga bem e não toma gol, consegue-se fácil a vitória
Itajuípe é palco de uma disputa eleitoral, onde alguns indivíduos confundem eleição com partido de futebol. E querem impor um jogador apenas, como cartada suficiente para uma virada de jogo. Se sustentam em milhões de de razões irreais, como jogada implacável para reverter a desvantagem de uma previsível perda de goleada. Se a jogada que se joga é a que resultará em vitória, só o tempo dirá. Mas é necessário obedecer as regras do jogo. E razões irreais não são legais. O jogador se movimenta e só não avança mais, porque a marcação é cerrada. Ele se cerca de mequetrefes, lacaios e se joga de corpo, bolso e alma no devaneio de torcidas alheias, órfãs de times moribundos, sedentos por serem reclassificados, ainda que através de uniformes de outro escrete. É o jogo que se joga em Itajuípe. E joga a cidade no risco de apostar em um jogador, cujos lances dão altos riscos de perder muito mais do que já perdeu até os tempos atuais. Mas não há nada mais para sacrificar. A cidade reclama contra os contra-tempos e se joga na expectativa de uma força tão vigorosa, quanto a que fez a ave lendária fênix, renascer das próprias cinzas. E Itajuípe não é um jogo e nem será só um jogador, que a fará deixar de permanecer caída. É preciso que haja alguém mais Fênix, que se joga no meio do jogo, como uma mãe protetora, que jamais abandona suas crias sob as garras e patadas de um azarão manco, cego, surdo e tão perdido no meio do campo, como um jumento que cai do caminhão no meio de uma viagem. É este ao meu ver, o jogo que se joga; que se joga em Itajuípe!

24 de julho de 2016

AMIZADE SÓ DE PAI

Em toda a vida, poucos são os amigos de verdade como os pais
Celebramos recentemente o dia do amigo. É interessante observar as declarações feitas por aqueles que desejam expressar o quanto necessária é a amizade. Com o advento das mídias sociais, todos acabam reproduzindo frases, imagens e vídeos, e tantos outros signos referentes a esta data. Confesso que em momentos assim, sempre procuro vivê-los com intensidade, pelo fato de não fazer do tempo um inimigo. Passei aquele dia refletindo sobre os amigos de perto e os de longe, os que fazem parte da minha história. Há amigos que basta a presença e poucos minutos para se ter um profundo encontro de existências. Logo se chega ao cerne da questão, e a verbalização do que há no mais íntimo não é demorada, pois a confiança gera a liberdade para uma conversa autêntica. Quando não se há intimidade, as máscaras são postas e as palavras parecem ser frutos de uma prudência a cada colocação. Como é bom estar com um amigo e abrir o coração de verdade, sem ter receios de julgamentos ou más interpretações. Muitas vezes passei por situações difíceis na vida e tive pessoas que se aproximaram praticando o dom da solicitude e fazendo com que eu não estivesse só. As palavras já não eram tão necessárias, mas a presença fraterna dava o consolo e a força para seguir em frente. Particularmente tenho um grupo de amigos que carinhosamente chamo de “amigos de verdade”, pois com uma competência incrível fizeram e fazem das situações mais adversas motivos de crescimento e superação. Escrever esse artigo e tocar nessa temática me faz relembrar momentos que jamais serão esquecidos, pois a ação desse grupo fez com eu continuasse, e como é bom saber que isso é fruto da amizade. Tenho muitos amigos, mas o que considero o maior entre todos, é o meu pai "Cabral", pois amizade de verdade, só de pai. Sei disso porque tenho filhos e os possuo como somente um amigo de verdade os pode considerar. 

NEM MAX, NEM ZEM... DEU CUCA NO PSOL

O P-Sol usou "Cuca" para apaziguar os desânimos internos
Depois dos acirramentos dos ânimos entre o professor Max e o servidor público Zem Costa, o cantor e compositor Elivandro Cuca, conhecido na música como “Mister Cuca”, foi escolhido como candidato a prefeito de Itabuna, numa reunião ocorrida na noite de ontem, sábado/23,  pela nanica e isolada legenda do P-Sol. Max será o seu vice. A convenção será realizada no próximo dia 29, em local ainda não definido e condicionará Cuca a conciliar suas atividades artísticas com a campanha política, para se livrar da previsão de que apenas a "lanterninha" é o que está predestinada à sua perspectiva eleitoral. 

A ITAPÉ QUE NINGUÉM QUER

Humberto não quer saber de Naélito e Itapé não quer saber de Pedrão
O atual prefeito de Itapé, Pedrão, é o que há de mais emblemático na cidade. Personaliza Deus e o diabo; o santo e o profano; o gosto e o desgosto... numa única pessoa. É a síntese do caso do descaso popular. Referência do populismo, que se completa no assistencialismo. Do sucesso sobre os escombros dos insanos, que oxigenam seus próprios verdugos. A irresponsabilidade elevada ao extremo, de eleitores que se permitem ser ludibriados pelas promessas que não podem ser cumpridas; pelo fisiologismo barato de quem se contenta com uma cédula de 50 reais; o circo que entristece os palhaços... e as consequências, são ruas esburacadas e mal iluminadas; as drogas degenerando jovens e famílias órfãs de pais que se mudam da cidade, porque não a viram mudar. A Itapé de hoje é pior se comparada ao dia em que Pedrão voltou a governá-la. A prefeitura empobreceu, enquanto o prefeito enriqueceu. E seu povo sofreu o contra-tempo deste tempo de Pedrão em sua direção. Mas o mesmo povo que elegeu Pedrão, é quem mais o estar rejeitando atualmente. Tanto que ele não ousou se candidatar. Preferiu não ariscar. Mas ainda há muita gente que o venera. isto faz ele acreditar, que pode eleger quem quiser. Não dá agora para saber, quem o povo de Itapé quer eleger para suceder Pedrão. Mas é consenso que a maioria quer uma Itapé diferente: próspera, alegre, ativa, produtiva e sem pedras sob seus pés. Quem vai ganhar para prefeito eu não sei. Só sei que a Itapé que o povo quer, não é a cidade sofrida que hoje é. 

A GRATIDÃO QUE VENCE COM WENSE

Mangabeira tem um vice que condiz com seu perfil
O candidato a prefeito Antônio Mangabeira (PDT) confirmou que terá como seu companheiro de chapa majoritária, o histórico pedetista, comerciante, analista político e advogado Marco Wense. A decisão foi homologada na convenção do partido, que aconteceu na noite de ontem, sábado/23,  na AABB, presença do ex-prefeito de Itabuna, Félix Mendonça e uma multidão de pessoas, que lotaram e animaram as dependências do clube. O brizolista de carteirinha, Marcos Wense, é o nome mais merecedor de homenagens, reconhecimento e destaque no PDT de Itabuna. Sua trajetória política o notabilizou como o brizolista mais pedetista no sul da Bahia e mesmo nos momentos em que o partido se submeteu ao controle de mequetrefes, ali estava Wense "engolindo sapos" e "esperando a poeira baixar"! Este é um fato, que todo mundo sabe, até as freiras carmelitas – parafraseando o próprio Marcos Wense. Mas não é esta a primeira vez que Marcos Wense tem seu nome colocado numa disputa de vice-prefeito. Nas eleições de 2012, a convenção pedetista, que selou a chapa Juçara-Acácia, preteriu Wense pela professora. Uma eventual candidatura de Acácia a prefeita emplacaria Marco Wense como vice, mas o PDT não ousou candidaturas próprias, como é o que está acontecendo atualmente. E Antonio Mangabeira surge com a correção exigida pela história e numa atitude de gratidão, por tudo o que significa Marcos Wense no pedetismo e brizolismo de Itabuna e o indica como seu vice. O PDT pode não vencer nestas eleições, mas indicar Wense como vice já o faz vencer em dignidade, ética, honestidade, seriedade e respeito à história de um símbolo de uma vida exemplar, respeitável e merecedora de todas as honras... e votos!

O CHAPÃO DO CAPITÃO SÓ REELEGERÁ JOILSON E RONALDÃO

O Chapão do capitão, deverá reeleger Joilson Rosa e Ronaldão
Os três partidos que dão sustentação à suposta candidatura majoritária do Capitão Azevedo, estão com complicações enormes para formarem um chapão, que é a aglutinação de todas as legendas em torno de uma só coligação. A causa está na vantagem de perspectiva de votação, de alguns candidatos a vereador, sobre a maioria dos demais. O PTB possui Rui Porquinho e Gegéu. O PMN tem Ronaldão da UBI e o Solidariedade abriga quatro vereadores: Soldado Valéria, Walter Socorrinho, Joilson Rosa e Carlito do Sarinha. Este último está anunciando que não será candidato à reeleição. Mas, seis candidatos à reeleição numa só coligação, cuja perspectiva mais otimista, é eleger apenas dois, acabam desestimulando correligionários e o que agrava este fato, é que a vitória de Ronaldo é considerada como favas contadas. Isto colocará os demais numa disputa acirrada e ao mesmo tempo, desestimuladora, para candidatos com potencial menor. A desistência, ou diminuição de esforços e investimentos, terão consequências de perdas de votos para o coeciente eleitoral. Neste chapão, as apostas apontam que Rui Porquinho, Joilson Rosa e Gegéu, são os únicos que disputarão a segunda vaga. Os demais são considerados somente como "cabos eleitorais involuntários e de luxo". A possibilidade de Azevedo não conseguir registrar sua candidatura, agrava a situação do chapão, pois não surgirão os votos de legenda, que poderiam contribuir, para eleger um terceiro vereador. Portanto, no chapão PTB, PMN e Solidariedade, Ronaldão e Joilson são os únicos com favoráveis perspectivas de serem reeleitos. O resto... bom, o resto é só Rui, Gegéu e a lamúria de quem os acompanharão na hierarquia da suplência. 

23 de julho de 2016

MORO NEGA PEDIDO PARA SE DECLARAR IMPEDIDO DE ATUAR EM PROCESSO CONTRA LULA

Lula tenta fugir do Juiz Sérgio Moro, como o diabo foge da cruz
O juiz federal Sérgio Moro decidiu na sexta-feira/22 que vai continuar na condução dos processos que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O juiz negou pedido da defesa de Lula para se declarar impedido para julgar as causas. Na mesma decisão, Moro disse que a opinião pública tem papel importante para prevenir “interferências indevidas” em processos que envolvem acusados poderosos. Na petição, os advogados de Lula alegaram que Moro não poderia julgar o caso por ter escrito um artigo acadêmico em 2004, no qual se manifestou a favor da importância da opinião pública nas investigações contra políticos. Além disso, a defesa afirmou que o juiz participou de eventos políticos e que teria declarado,  em um jantar com advogados do Paraná, que Lula “seria condenado até o fim do corrente ano”. Na decisão, Moro negou que tenha comparecido a eventos políticos e afirmou que “falta  seriedade” aos advogados para justificar o pedido de suspeição da causa. Sobre a questão da opinião pública, o juiz informou que o fato é uma mera constatação, que não gera causa de suspeição. “O que este julgador tem afirmado reiteradamente é que o papel do juiz é julgar com base em fatos, provas e na lei, mas que a opinião pública é importante para prevenir interferências indevidas em processos judiciais que envolvem investigados ou acusados poderosos política ou economicamente”, justificou. Sobre a quebra de sigilo do telefone fixo do escritório de advocacia de Roberto Teixeira, advogado do ex-presidente, Moro afirmou que a medida foi legal e que Teixeira está na condição de investigado e não de advogado, fato que impediria o grampo, de acordo com as prorrogativas profissionais. “Se o advogado, no caso Roberto Teixeira, se envolve em condutas criminais, no caso suposta lavagem de dinheiro por auxiliar o ex-presidente na aquisição com pessoas interpostas do sítio em Atibaia, não há imunidade à investigação a ser preservada, nem quanto à comunicação dele com seu cliente também investigado”, acrescentou o juiz. Em nota, a defesa de Lula declarou que Moro, ao se recusar em se declarar impedido, comete atentado contra a Constituição e aos tratados internacionais, que garantem julgamentos por juiz imparciais. “A defesa apresentada por Moro, todavia, apenas deixou ainda mais evidente sua parcialidade em relação a Lula, pois a peça: (a) acusa; (b) nega, de forma inconsistente, as arbitrariedades praticadas; (c) faz indevidos juízos de valor; e, ainda, (d) distorce e ignora fatos relevantes”, destacou a defesa. Sobre o grampo realizado no escritório de advocacia, Roberto Teixeira declarou que o juiz usa sua função para atacá-lo. “É ridículo o argumento usado por Moro para me atribuir – sem a existência sequer de uma acusação formal do Ministério Público – a prática de ato criminoso. [...]Moro, ao que parece, pretende, em verdade, incriminar os advogados que se opõem às arbitrariedades por ele praticadas na condução da Operação Lava Jato e que são encobertas por alguns setores da imprensa em troca da notícia fácil”, concluiu Teixeira.

NOMEAÇÃO DE JOSÉ ALVES FAZ DAVIDSON VOLTAR PARA A SUPLÊNCIA

O cururu vôou para baixo e para o vaso de lixo do PT
O presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav) – Bahia, José Alves, foi confirmado na noite desta sexta-feira/22, como novo secretário estadual de Turismo. A exoneração do deputado federal Nelson Pelegrino (PT) do cargo será publicada na edição de hoje, sábado/23, do Diário Oficial do Estado, seguida pela nomeação de Alves. A indicação de Alves acontece após o PR reivindicar maior espaço no governo estadual, depois da ascensão do deputado federal José Carlos Araújo à presidência da sigla na Bahia. Em 2014, durante a formação do governo de Rui Costa, o partido deixou de controlar a pasta por divergências internas – não houve consenso entre os deputados federais José Rocha e João Carlos Bacelar para a apresentação de um nome. O governador selecionou Alves em meio a uma lista tríplice indicada pelos caciques do partido na Bahia. Na última semana, o nome dele chegou a circular na imprensa como certo, porém o vazamento da informação atrasou a nomeação. José Rocha, que também estaria entre os prováveis nomes para assumir a Setur, desistiu da vinda para Salvador e, com o resultado, Davidson Magalhães (PC do B) retorna para a suplência da Câmara dos Deputados.

GOVERNO REPETE PROMESSAS DE OBRAS NO SUL DA BAHIA

Rui Costa é hoje o que foi Rui ontem: hipócrita 
O governador Rui Costa assinou a autorização para o lançamento do edital de duplicação dos 17,98 quilômetros da BR-415, entre Ilhéus e Itabuna, na tarde de ontem, sexta-feira/22. A assinatura aconteceu no Centro de Convenções de Ilhéus, onde acontece o 8º Festival Internacional do Chocolate e Cacau e contou com a presença do secretário de Infraestrutura Marcus Cavalcanti. O governador disse “Esperar em, no máximo, 90 dias acompanhar o início das obras de duplicação. Também voltarei aqui em até 60 dias para ver as obras da ponte do Pontal (de Ilhéus), com os pilares sendo fincados", salientou. Com investimento estimado em R$ 140 milhões, resultado de parceria com o governo federal, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a obra beneficiará os moradores  de Ilhéus, Itabuna, Una, Canavieiras, Buerarema, Itacaré e Uruçuca. Segundo Cavalcanti, a expectativa é que o consórcio vencedor da licitação e responsável por executar a obra seja definido em um prazo de dois meses.

NINGUÉM TEM CORAGEM DE ASSUMIR QUE VOTOU EM RUI PORQUINHO

Há sim relação entre a compra de votos e a corrupção política
Poucos eleitores se recordam de quem votaram em eleições anteriores. Alguns até se orgulham de terem votado e ajudado a eleger vereador e prefeito. Mas há quem se envergonha do que fizeram com seus votos. Os venderam, ou deram por acreditarem em promessas, que jamais seriam cumpridas, ou por acreditarem em "falsos profetas". Estes fatos não impedem esses eleitores revelarem seus equívocos e se penitenciarem por isto. Entre estes, existem todos que votaram em Rui Porquinho. O fizeram porque venderam seus votos. Não foram enganados e nem se enganaram. Agiram premeditadamente. Sabiam que estavam votando, literalmente, num porco! Rui era o que havia de mais porcaria entre os que queriam ser vereador. E pagou por isto. Quem se vendeu se arrependeu, pois passou a ser desdenhado. Quando procuravam Rui Porquinho, pleiteando um favor, uma ajuda, ou algo que o beneficiassem, recebiam dele a lacônica resposta de não os dever nada, pois já havia pago pelos votos. E novamente Rui está à caça de quem os queira vender o voto. E não faltam mercadorias na prateleira dos insanos, egoístas e pelegos. Isto poderá fazer a Câmara permanecer com o espírito de porco a fazendo de pocilga. Quanto mais prostitutas do voto na praça, maior a possibilidade do voto não ser de graça e não ter graça. 

22 de julho de 2016

QUEM GANHA COM A BRIGA ENTRE FERNANDO E AUGUSTO?

ACM Neto decidiu apoiar o tucano Augusto e preteriu Fernando
Os ânimos estão acirrados entre os prefeituráveis líderes em todas as pesquisas de opinião pública em Itabuna e que há uns três dias atrás articulavam estarem coligados num mesmo palanque. Fernando Gomes (DEM) e Augusto Castro (PSDB) estão em condições iguais a caça e caçador; um querendo o couro do outro! E não faltam xingamentos, bravatas e chutes nos testículos. A briga está feia. Independentemente das causas e desfechos deste conflito, há de se buscar saber, o que resultará desse repentino rompimento. Quem ganha e quem perde com este conflito? Os beneficiados podem ser os adversários mais fáceis de convergirem apoio de Fernando Gomes, caso ele não possa registrar sua candidatura. Como ingrediente para apimentar seu impedimento, está a própria entrevista, que ele concedeu à Tv Itabuna, que é vedada a quem é candidato. Com o possível indeferimento do registro da candidatura do Capitão Azevedo (PTB), há de se supor, que Azevedo e Fernando se juntem contra Augusto. E ambos poderiam convergir seus apoios, para Roberto José (PR), que passaria a se tornar competitivo. Os ex-prefeitos não ousariam apoiar Geraldo S. de Oliveira, pois correriam o risco de se ridicularizarem diante de seus eleitores anti-petistas, que não os acompanhariam. Também é inimaginável apoiarem o médico Mangabeira, que diversas vezes declarou não querer nem conversa com eles. Outro que dificilmente teria benefício, seria o comunista Davidson Magalhães, pelas mesmas razões referidas ao ex-prefeito petista. Outra alternativa, seria o DEM lançar Sandra Neilma, esposa de Fernando Gomes, ou o médico Antonio Vieira, com a vice indicada pelo grupo de Azevedo. Se essa cartada ocorrerá e será bem sucedida, somente as duas próximas semanas revelarão. Todavia, há quem perde! E quem perde com a briga entre Fernando e Augusto? Por enquanto, só existe uma resposta para esta indagação: Itabuna. 

ADRIANA SIMÕES FAZENDO ITABUNA MAIS HUMANA

Nenhuma mulher é vereadora, sem primeiro
ter passado pelo aprendizado de uma professora
Em seus mais de 20 anos de educadora, Adriana Simões sempre se notabilizou como personalidade importante no processo educativo, responsável na formação de cidadãos e ensinando-os desde cedo sobre as diversas áreas do conhecimento humano, sobre a vida e a sociedade. A professora Adriana foi fundamental no desenvolvimento do milhares de estudantes e de cidadãos conscientes. Ela foi facilitadora do conhecimento que gera no estudante a dúvida, a reflexão e a contestação. Desta forma, Adriana foi o ponto inicial do aprendizado levando o estudante a questionar, inovar, a desenvolver e a procurar respostas para as perguntas que devem surgir. Adriana é prova viva do quanto transmitir conhecimentos não é uma tarefa fácil, principalmente em uma sociedade como a nossa onde a professora cada vez mais sofre com a desvalorização e recebe muitas vezes pouco respeito por parte de alguns estudantes e de governantes. Adriana acredita que somente uma liderança militante nos espaços políticos, pode se transformar numa força propulsora de uma desenfreada mudança de atitudes por parte dos legisladores e governantes. Adriana espera num futuro próximo poder ajudar e presenciar valorização dos professores como profissionais que são fundamentais na vida do ser humano. E que todos os alunos e alunas ao mostrarem-se como grandes cidadãos e bons profissionais, provem que o tempo e paciência que os educadores depositam neles não foram em vão. Ele entende que professores, são sim a espinha dorsal da sociedade e não há como imaginar o mundo sem essa profissão. É com essa consciência e obstinação, que Adriana Simões se esforça para juntar forças, que a façam ser uma voz aguerrida na conquista de circunstâncias mais humanas e solidárias, para educadores e educandos. 

O MAL ESTÁ À ESPREITA DOS DESAVISADOS E DESINFORMADOS

É preciso  estar atento aos riscos de infecção do HIV e Aids
Desde o ano 2000, mortes relacionadas à Aids mais do que duplicaram entre adolescentes em todo o mundo. A estimativa é que, a cada hora, 29 pessoas de 15 a 19 anos sejam infectadas pelo HIV, segundo o Unicef. Os números revelam que a doença segue como a segunda causa de morte entre jovens na faixa etária de 10 a 19 anos. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, a taxa de detecção de Aids em jovens entre 15 e 24 anos, no período de 2004 a 2013, cresceu de 9,6 para 12,7 casos por 100 mil habitantes, um aumento de 32%. De acordo com o relatório do Unicef, meninas são mais vulneráveis à epidemia de Aids, representando cerca de 65% das novas infecções em adolescentes no mundo. O medo de passar pelo exame, segundo o Unicef, faz com que muitos jovens não tenham conhecimento de sua situação. A maioria dos jovens entrevistados não querem fazer o exame por medo de um resultado positivo e por preocupação com estigma social. Na década de 1980, com o pipocar dos casos de Aids em todo o mundo, a população, assustada, precisou discutir abertamente assuntos como fidelidade, comportamentos sexuais, drogas, transfusão de sangue, e tomar atitudes de precaução contra o mal que destruía famosos e anônimos. Com o passar dos anos, as discussões foram perdendo o destaque, em parte pelo surgimento de drogas que prolongam a vida dos doentes. Hoje, o governo declara que a situação está estabilizada, mas a cada ano, cerca de 35 mil brasileiros se infectam. Estima-se que, no País, haja mais de 600 mil infectados, dos quais cerca de 230 mil não sabem, ainda, que são soropositivos. Apesar disso, muitos jovens descuidam-se, principalmente em relação às práticas sexuais desprotegidas, pois declaram não ter medo da Aids. Apesar de serem mais bem informados do que as outras gerações, os jovens de até 24 anos ignoram o preservativo por já não temerem a doença e por confiarem no parceiro. O fato de não terem vivido “o medo” da epidemia nas décadas de 80 e 90 ajuda a explicar essa falta de cuidado. A falta de informação e conscientização dos jovens em relação ao um assunto tão sério quanto esse é algo preocupante. Há necessidade, pois, de que a família, a escola e o poder público foquem em diálogos com a juventude. A falta de informação é a maior vilã da banalização da doença.

AVÓ DA PREFEITA DE BARRO PRETO JÁ FALECIDA É BENEFICIADA COM BOLSA FAMÍLIA

Jaqueline Motta tem sido nocauteada pela incompetência
A Controladoria-Geral da União (CGU) deveria fazer uma auditoria no programa Bolsa Família no município de Barro Preto. Conforme dados no Portal da Transparência, a avó da prefeita de Barro Preto identificada por Maria Eurico da Mota falecida há mais de 10 anos, está na lista dos contemplados do programa federal. Segundo o portal, que pode ser acessado por qualquer cidadão, de janeiro a dezembro de 2015 a idosa/falecida recebeu mais de R$ 945 reais, perfazendo aproximadamente R$ 120 reais por mês. Para comprovar a discrepância em Barro Preto, a secretaria de assistência social do município é comandada pela irmã da prefeita, a madame Patrícia Mota, que segundo informações, está usando o cargo para promover inúmeras traquinagens com o apoio do cunhado e comparsa, Erivaldo Vila Nova, esse último inclusive, vem tendo os passos monitorados pela PF. A denúncia gravíssima foi encaminhada pelos vereadores de oposição ao Ministério Público Federal, em Ilhéus, para que adote providências cabíveis. Tanto a secretária de assistência social, Patricia Mota, como a prefeita ficha suja Jaqueline Mota, podem ser enquadradas pelo crime de estelionato e improbidade administrativa. Pulseira de prata neles (as)! - Por fabiorobertonoticias.

21 de julho de 2016

MANGABEIRA NÃO ESTÁ "BEM NA FITA"!

Mangabeira encasquetou que só e com fé vencerá a eleição
Talvez eu seja mal interpretado, quando ressalto minha impressão de que o prefeiturável, Antonio Mangabeira (PDT),  não conseguiu ainda se posicionar entre os favoritos na corrida eleitoral de Itabuna. Mas é está minha suspeita. Não é afirmação. Nem posição de oposição. É só uma opinião sobre o que imagino perceber. E me faculto à prerrogativa de divagar além das minhas limitações de opiniões. Os fatos facilitam meu raciocínio. Mangabeira faz campanha diariamente; faz caminhadas nas ruas dos bairros da periferia; visita feiras livres, festas, igrejas, quermesses, cultos, missas, centros espíritas e terreiros de candomblé; promove eventos e reuniões constantemente; propaga suas propostas nas redes sociais e assim tem se tornado um nome conhecido, discutido, admirado e desdenhado. Nunca questionado em suas virtudes de pai, esposo e família. Sempre respeitado em sua conduta empresarial e profissional. Ético, sério, honesto e bem intencionado. Um nome perfeito para ser beato, ou bispo. Uma opção digna para suceder Vane do Renascer. E fazer Itabuna parar de permanecer parada. Mas equivocado para ser candidato a prefeito. É o que revela o momento. São os sinais das circunstâncias eleitorais. Mangabeira nunca pontua entre os quatro principais prefeituráveis. Não agrega partidos à sua coligação. O PDT está isolado e sem adesão não há coligação. Para reverter esta realidade, a mentira, o mercantilismo, a desonestidade e o jogo sujo da política, são alternativas que jamais seriam usadas por Mangabeira. E isto o está submetendo à condição de desfavorecido... e fadado ao fracasso!

AUGUSTO DIZ QUE CAMPANHA DE BAIXO NÍVEL NÃO INTERESSA À SOCIEDADE

Augusto Castro afirma que dedicará o tempo só para expor ideias
O pré-candidato a prefeito de Itabuna pelo PSDB, Augusto Castro, lamenta a atitude do ex-prefeito Fernando Gomes, que o ofendeu durante entrevista a um veículo de comunicação. O tucano afirma que tem trabalhado pela união dos partidos de oposição e acrescenta que isso é mais importante do que projetos pessoais. Augusto diz que “a sociedade não apoia esse comportamento do ex-prefeito” e quer uma política de alto nível, focada em propostas e projetos para a cidade. “Não vamos baixar o nível e continuaremos trabalhando pelo melhor para Itabuna, sem fazer o jogo sujo que alguns já tentam impor às eleições”, salienta. Para o pré-candidato, ao atacar sua honra, o ex-prefeito satisfaz aos interesses do PT e seus aliados. “Não vamos entrar em bate-boca porque temos responsabilidade e nosso projeto não é pessoal, mas uma resposta ao clamor do povo de Itabuna, que deseja um governo diferente, competente e com visão de futuro, e nós nos preparamos para administrar a cidade dessa forma”, afirma Augusto.

A DESUNIÃO AGRAVA NOSSA SITUAÇÃO DE INDIGÊNCIA

A discórdia chega num momento em que mais Itabuna precisa
da união das pessoas que podem fazer a cidade renascer!
Já diziam os filósofos gregos que um governante sem pulso degenera em demagogia e que isto termina por exigir um governo forte que ponha ordem na sociedade. A nossa História parece comprovar esta afirmação.  Foi só entregar o poder para os políticos comunistas e deu no que está aí. Sucederam-se ineptos, corruptos, inaptos e mentecaptos (observa-se pt em todos estes vocábulos). Com Azevedo teve impulso a desorganização hierárquica e quase todo mundo mandava e desmandava na administração. Menos o prefeito Capitão. E com Vane, a esculhambação se agravou, pois ninguém manda, ou desmanda. Não há bússola no Titanic, que zig zaga em mar revolto, sem ninguém a capitaneá-lo. Vane se acha prefeito, ainda que melhor intencionado, faltou-lhe um mínimo de habilidade; ensaiou uma faxina ética e teve que recuar em nome da “governabilidade”, ensaiou medidas racionalistas e recuou ante as pressões da oligarquia comunista, mas mesmo cedendo, os comunistas decretaram sua ruína. O prefeito, além de incompetente, acuado ao extremo nada consegue fazer além de tentar sobreviver, vendendo até a alma. Por sua história parcimoniosa de evangélico "paz e amor", não soube pedir o apoio da sociedade organizada, para que o garantissem contra as pressões advindas da corrupta politicalha quando contrariada e das pressões legislativas. Ao contrário, Vane permitiu humilhações lhes impostas por nomeações de parasitas; roubo de equipamentos do patrimônio municipal; submissão á ingerência do PC do B, que o fez afastar-se do ex-secretário, Roberto José, que era o único que poderia protegê-lo. Agora que até a opinião pública o repudia, está perdido. Seu prazo de validade como prefeito, venceu há mais de três anos. Quanto ao Legislativo, que só pensa em tirar vantagem, o sorvedouro de recursos é algo estarrecedor. O prefeito está dobrado e acuado em nível medular. Não há um só setor, que esteja funcionando bem no governo Vane. Isto ocorre em parte, pela inépcia governamental, em parte pela incompetência generalizada, mas principalmente pela atuação desastrosa das oligarquias feudais de partidos coligados, que impõem seus asseclas encastelados em cargos comissionados. Por último, mas não por fim, o sucateamento da educação, cujo ápice ocorreu com o fechamento de dez colégios municipais em apenas um dia. Entre as escolas fechadas, estava o Colégio Lúcia Oliveira, com mais de 80 anos de atividades. O merecido descrédito político somado a permanente sensação de decepção, tirou a esperança dos itabunenses, em qualquer possibilidade de Vane renascer.  Não há condições de mudar nada em Itabuna. Fosse somente um problema circunstancial, terminaríamos por seguir a teoria do sábio grego, mas cinco meses ainda terão que passar, para esse tenebroso governo de Vane acabar. Estamos em dificuldades enormes. Pior ainda, não acreditamos em nós e apreciamos falar mal de nós mesmos. Ainda o pior de tudo, estamos desunidos.  Já se disse que uma casa dividida não se sustenta em pé.

PR VINGA ROBERTO JOSÉ EM ITABUNA

Davidson deve estar endoidecido com o PR
Não é segredo o quanto os comunistas tramaram contra as gestões de Roberto José, à frente da Ficc e da Settran. As hostilidades, sabotagens e animosidades dos cururus, fizeram Roberto "comer o pão que o diabo amassou". Estes fatos sempre foram covardes e incompreensíveis, pois o governo Vane, nunca deixou de ser estigmatizado como comandado pelos comunistas. E estes não prestigiaram os únicos dois setores com boa avaliação no governo sob suas garras de aves de rapina. A cúpula do PC do B, sempre invejou Roberto José, por sua capacidade de gestão pública; carisma, simpatia, inteligência e sobretudo, superioridade eleitoral. As pesquisas revelaram que nenhum cururu, conseguia subjugar Roberto nos percentuais de aceitação popular. Fracassados na cobiça, os cururus partiram para a inveja. E influenciaram o soberbo Vane preterir Roberto. Só que a roda da vida gira e faz as pedras se reencontrarem. E não há nada mais irônico e reconfortador, que um dia após o outro. Esta realidade fez o PR estadual de Roberto José, protagonizar o revide contra os cururus. Ao entrar no governo Rui Costa, o partido do prefeiturável Roberto José, provocou a perda de mandato de deputado federal, biônico, de Davidson Magalhães, pois recusou nomear um dos seus deputados federais baianos, para assumir o cargo de secretário estadual  de turismo e assim abrir vaga, para Davidson permanecer como deputado biônico, já que Nelson Pelegrine (PT), acabara de sair do governo e consequentemente, retornar ao Congresso, justamente, para abrir espaço à participação do PR no governo Rui. E isto foi ruim para os comunistas de Itabuna. Enfraqueceu a já combalida candidatura do cururu. Com absoluta certeza, o âmago do Roberto gargalha e regojiza sobre os escombros de um avermelhado e sombrio castelo de areia... e o sapo chora! 

BABÁ CEARENSE É O MAIS AUTENTICO ITABUNENSE

Babá é o Cearense mais itabunense, existente em Itabuna!
A maior cidade do sul da Bahia, tem muitos itabunenses, que não nasceram em Itabuna. São como filhos que a adotaram e não o inverso. Diferentemente dos itabunenses, estes acolheram Itabuna como paixão. Fazem o ambiente mais humano e solidário. Chegam e crescem, fazendo a cidade crescer e chegar as suas aspirações. Os sonhos das conquistas, da prosperidade e da felicidade. Alguns chegam e vencem. E se convencem que fizeram escolhas certas. Outros partem sem ter chegado a lugar nenhum. Não foram felizes; sofreram em seus devaneios e desistiram de Itabuna. Os que ficaram, prosseguiram com seus sonhos e realizam sonhos de mutos nativos. Babá Cearense chegou, lutou e conquistou seus espaços. E no compasso dos avanços, se fez empregador, pagador de impostos e disposto a tomar conta de Itabuna, como um pai cuida de um filho. É neste contexto, que Babá busca se superar e ir além dos seus limites. Se tornar mais que um filho adotivo. E depois de bem representar a comunidade cearense em Itabuna, ele agora busca se tornar o cearense no parlamento, para melhor representa os itabunenses. Babá defende a ideia de que o indivíduo, quando não está feliz onde mora, têm que sair e se fazer valer; sair e lutar por seus valores. E se esforçar para merecer ficar, orando como se tudo dependesse de Deus e trabalhando como se tudo dependesse de si. Assim é Babá Cearense: Babá itabunense!

O PODER SECRETO DAS RARAS PESSOAS QUE TEM UM M NAS LINHAS DA MÃO!

As mãos podem mostrar, o que os olhos não deixam enxergar
Desde a antiguidade, milhares de pessoas ao redor do mundo afirmam que as nossas linhas nas palmas de nossas mãos dizem muito sobre o nosso caráter e destino, estas pessoas afirmam que são capazes de conseguir ler o significado oculto que estão escritas sobre elas. Embora a maioria das pessoas sejam céticas em relação ao assunto, outras pessoas realmente acreditam que existe algum sentido lógico por trás de tudo isso. Após um longo estudo, foi recentemente publicado no site “Cuisine and Health” que as pessoas que têm a letra M na palma da mão são pessoas muito especiais, que nascem para transformar o mundo. Segundo o estudo, quem possui o ”M” na palma da mão é especialmente talentoso, possui grande poder de intuição e tem um espírito empreendedor. As pessoas com o ”M” na palma da mão não são do tipo que se encontram facilmente, ou sempre. E elas detestam ser enganadas! Devido aos elevados níveis de intuição elas sempre vão saber se você mentir ou tentar enganá-las. Principalmente as mulheres que têm a letra M na palma da mão , que tem uma intuição muito mais forte do que a dos homens. ATENÇÃO: Nunca tente enganar uma pessoa que possui esta característica, é sério!: Pessoas com o ‘M’ tem os poderes necessários para fazer todas as mudanças que elas precisam na vida. Por isso, é vital que aproveitam todas as oportunidades que surgirem. De acordo com a tradição popular, muitas das pessoas mais conhecidas do passado, incluindo grandes profetas e líderes tiveram este sinal na palma de suas mãos. Por isso se você tem a letra «M» na palma de sua mão, cada vez que olhar para ela, lembre-se de que você é uma pessoa muito especial e que é capaz de alcançar qualquer coisa que querer ou sonhar para a sua vida. Apenas dois fatores podem impedir uma pessoa que tem a letra «M» na palma da mão de alcançar os seus sonhos: O primeiro e principal fator é, não aproveitar as oportunidades que aparecem em seu caminho, procure sempre focar naquilo que já é seu sem abrir mão do que possa agregar valor em sua jornada. E o segundo fator, mas não menos importante, é estar rodeado (a) por pessoas que não lhe inspiram confiança o suficiente para compartilhar de seus planos ou objetivos. Invista o seu tempo apenas em pessoas que ouvir a sua voz com brilho no olhar, e tudo de bom sempre acontecerá em sua vida. Se gostou deste artigo compartilhe com os seus amigos e familiares..

20 de julho de 2016

POR QUE ITABUNA REJEITA GERALDO E DAVIDSON?

Para o povo de Itabuna, Davidson e Geraldo, são tão prejudiciais
à cidade, quanto os mosquitos da Chikungunya, zica vírus e dengue
O petista Geraldo S. de Oliveira e o comunista Davidson Magalhães, não conseguem metade dos índices que tem o tucano Augusto Castro, nas pesquisas de opinião pública e as causas para esta situação, são relacionadas aos históricos que eles possuem, de hipócritas, predadores e parasitas. No caso do petista, esses defeitos de caráter, se agravam com sua condição de corrupto, com maior quantidade de processos e condenações judiciais, por práticas lesivas aos cofres públicos. São dois indivíduos, que sempre estiveram encastelados e mamando nas tetas do poder. Ocuparam cargos relevantes nos governos municipais, estadual e federal. Contaram com ótimas relações de compadrios com altíssimas autoridades; comandaram riquíssimas autarquias e tiveram orçamentos com volumosos recursos sob suas rédeas. Foram contemplados com excelentes oportunidades para contribuírem com o desenvolvimento de Itabuna e atenuação das mazelas que a infernizaram. Mas não fizeram nada, quando puderam fazer muito. Cruzaram os braços, fecharam os olhos e os ouvidos, e se recusaram a priorizar Itabuna, em seus esforços de ações e discussões. Só se locupletaram do poder. E dissimulam este fato, com cinismo, demagogia e álibis, que não convencem eleitores que não são estúpidos e pelegos. Estes fatos explicam estarem estigmatizados como parasitas, inúteis e prejudiciais aos interesses do povo sério, ético e honesto de Itabuna. Se Geraldo e Davidson, não tivessem o mesmo desplante sórdido dos seus eleitores, com absoluta convicção, não ousariam a expor seus nomes ao sufrágio popular. Mas caras de pau, é o que não lhes faltam!