15 de fevereiro de 2017

JURI É MARCADO PARA ABRIL EM ITABUNA

Ato lembrará nesta quinta, 11h30., em frente a Catedral de
São José o assassinato covarde do adolescente Nadson Almeida
Está marcado para o dia 11 de abril, a partir das 8:30hs, a sessão do Tribunal do Júri em Itabuna em que será julgado o PM Wallace Feitosa da Silva, acusado de dirigir a viatura que vitimou o adolescente Nadson Pereira de Almeida, de 15 anos, no dia 16 de fevereiro de 2014. Amanhã, quinta-feira/16, 3 anos após a morte do adolescente, os familiares e amigos de Nadson irão realizar uma manifestação pacífica às 11h30 na praça em frente a Catedral de São José e em seguida participarão da Missa ao meio dia, em memória de Nadson. No dia 16 de fevereiro de 2014, Nadson foi perseguido por uma viatura da PM, após não atender a uma ordem para estacionar a moto, houve perseguição policial e o adolescente foi atropelado e morto. O fato aconteceu no bairro Lomanto, em Itabuna. Dezenas de testemunhas foram ouvidas na Delegacia de Polícia de Itabuna e na Vara do Júri, todos moradores do bairro Lomanto, e contaram que o atropelamento foi proposital. As testemunhas afirmam categoricamente que a viatura derrubou a moto, o adolescente foi lançado para a frente, o capacete saiu de sua cabeça, caiu ao chão e a viatura passou por cima do mesmo. A Vara do Júri de Itabuna pronunciou o PM Wallace, que recorreu da decisão para o Tribunal de Justiça do Estado da Bahia e este manteve a decisão de julgamento pelo Tribunal do Júri. A Tese da defesa do PM, que não foi aceita pela Justiça Criminal em Itabuna e nem no Tribunal de Justiça é que o fato teria sido um acidente de trânsito. Na época, o caso Nadson teve uma grande repercussão, inclusive, no dia do crime a cidade de Itabuna foi palco de protestos e vandalismo, ônibus foram incendiados e vários veículos que estavam no pátio da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settran) foram destruídos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.