8 de fevereiro de 2017

SER É DIFERENTE DE TER

É tão bonito ver aquelas pessoas que deixam seus celulares para estar na vida, com os amigos, com a família. É bonito ver pessoas fora de moda, fora dos padrões, pessoas excêntricas, esquisitas, especiais. Que descartam opiniões que não servirão para crescimento. Que acreditam no amor, não esse tipo de amor atual efêmero, mas aquele que cuida, que está presente independente dos quilômetros, que transcende o nosso ser, amor genuíno. É tão bonito ver pequenas gentilezas, em um mundo hostil que só consegue enxergar o próprio umbigo. Como diria Gandhi: "Seja a mudança que quer ver no mundo". Ou "Todo mundo pensa em mudar o mundo, mas ninguém pensa em mudar a si mesmo." Até mesmo: "Ontem eu era inteligente, queria mudar o mundo. Hoje eu sou sábio, estou mudando a mim mesmo." Frases assim, nos fazem querer mudanças. Tentar enxergar os nossos mundos mais profundamente e encontrar o que nos falta e o que é descartável. Mas mudar não é só trocar os pensamentos, é agir, é ser. Aquele que vê uma briga e não faz nada, também está tomando uma atitude. Pensar é diferente de agir, eu sei, você sabe, a teoria sempre foi mais fácil do que a prática. Nós nunca precisamos de muito, do tanto que a mídia exibe que precisamos. Na verdade o muito acaba se tornando pouco, muitas vezes. A questão não é ter o melhor de tudo, mas é valorizar o que você tem, é ser o melhor que pode ser, não querer ser o melhor de todos, a vida não é uma competição, nós não devemos ser inimigos uns dos outros, devemos juntar forças, devemos nos ajudar. O mundo exige união, mas só cria situações de discórdia. No fim o que fica é o que a gente foi, não o que a gente teve. Um coração cheio ou vazio. Uma alma pequena ou grande. Se abra para o mundo, aceite que talvez o seu nariz não é tão bonito mesmo, mas os seus olhos podem ser deslumbrantes. Aceite que talvez você não tenha uma mansão, mas tem um lar cheio de amor e acolhimento. Aceite que a sua vida não é como os comerciais de TV. Aquilo nem existe. Se aceite e aceite o outro que está do seu lado. Viva a sua vida, não a vida que dizem por aí nos outdoors. Nós podemos ser mais, mas temos a péssima mania alienada de acharmos que somos menos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.